Publicidade

Por causa das emissões. Nissan GT-R sai de cena na Europa

Texto: Carlos Moura
Data: 15 de Março, 2022

Um dos mais capazes desportivos da atualidade, o Nissan GT-R, deixa de ser vendido na Europa devido às elevadas emissões do seu motor V6 de 3,8 litros.

A Nissan vai deixar de comercializar o superdesportivo GT-R na Europa, um dos modelos mais capazes do seu segmento que oferece um desempenho dinâmico verdadeiramente impressionante.

A atual geração foi lançada em 2007, e ainda não se sabe se terá sucessora. Todavia, em algumas latitudes este modelo já está a deixar de ser comercializado como a Austrália por não cumprir os rígidos testes de colisão daquele país.

Mais “recente” atualização do Nissan GT-R foi apresentada em 2017 no Salão de Nova Iorque

O Nissan GT-R vai despedir-se da Europa e em muitos países já não está disponível, designadamente nos Países Baixos, Itália, Espanha ou Portugal. Aliás, este modelo deixou de aparecer nos sites oficiais da marca.

O site autoblog.nl apurou junto da Nissan que o GT-R está a deixar o mercado europeu, pelo menos por agora, devido às rígidas normas de emissões de dióxido de carbono.

LEIA TAMBÉM
Resgatado ao crime. GNR “alista” Nissan GT-R para transporte de orgãos

Desde o seu lançamento em 2007 que o Nissan GT-R conta com um vigoroso motor V6 de 3,8 litros. Em função das especificações oferece diferentes níveis de potência. Entre 2008 e 2011, este bloco desenvolvia 486 cv, aumentando para 530 cv em 2011 e 2012. A versão comercializada entre 2012 e 2016 tinha mais 20 cv. Entre 2014 e 2016, a versão Nismo já oferecia 600 cv. O modelo R-35, em comercialização a partir de 2016, é proposto com 570 ou 600 cv.