Publicidade

Oficial! Ford Fiesta vai ser substituído pelo Puma elétrico

Texto: Carlos Moura
Data: 27 de Outubro, 2022

A produção do Ford Fiesta vai acabar no final de junho de 2023, sendo este modelo substituído indiretamente pelo Puma elétrico. Saída da Rússia também já foi concluída.

A Ford confirmou que um dos seus modelos mais populares e vendidos de sempre, o Fiesta, vai acabar em junho de 2023, sendo substituído indiretamente pelo Puma elétrico.

A atual geração do representante da marca do oval no segmento B vai sair de cena seis anos após o seu lançamento e depois anos após a mais recente atualização. 

A Ford publicou mesmo um video de despedida onde se vê um avô proprietário de um Fiesta a ler uma história ao neto. Intitulado “Fiesta – o pequeno carro da família”, o livro conta a história deste compacto que é descrito como “o carro das pessoas”, Perto do final diz que o Fiesta acaba porque “a sua missão terminou”.

Segundo modelo mais antigo da Ford

O Fiesta integra a gama da Ford desde 1976 e o segundo modelo mais antigo da marca do oval, depois da Transit. Nos seus 47 anos de carreira já foram comercializadas mais de 18 milhões de unidades em todo o mundo.

O último Fiesta vai sair da linha de montagem no final de junho de 2023. As encomendas continuam abertas até se esgotar o volume de produção previsto. Recentemente, a Ford deixou de produzir a carroçaria de três portas, o que significa que este modelo estará disponível apenas com cinco portas. O Ford Fiesta ST continuará como a versão desportiva da gama durante cerca de um ano. 

Ford Fiesta Base, 1976

Após a despedida do Fiesta, a principal fábrica da Ford na Alemanha será transformada no Ford Cologne Electrification Centre, dedicado à produção de veículos elétricos.

O video de despedida termina com um nota positiva, vendo-se um Puma elétrico atrás de uma porta de uma garagem com um carregador. O Ford Puma EV já foi conformado e deverá ser produzido pela Ford Otosan na fábrica de Craiova, na Roménia, a partir de 2024.

Ford sai da Rússia

Entretanto a Ford confirmou a saída do mercado russo, sete meses depois de ter interrompido a produção nas fábricas daquele país. A marca americana refere que concluiu o abandono após a venda dos 49% que detinha na joint-venture Ford Sollers.

LEIA TAMBÉM
Ford anuncia dois milhões de EV ano em 2026 com novas baterias

A marca americana adianta que as ações foram vendidas por um valor simbólico, estando prevista uma opção de compra nos próximos cinco anos se “a situação global mudar”, isto é, se a Rússia terminar a sua “operação militar especial” na Ucrânia.

O joint-venture Ford Sollers foi criada em 2011, com três fábricas dedicadas à produção dos modelos Focus, Mondeo, EcoSport, Fiesta e Explorer para o mercado local até 2019 e a Transit até 2022.

Ford Sollers