Mobieco

Publicidade

Fiat E-Ducato Furgão Maxi LH2 13m3 47 kWh. Que regeneração!

Texto: Carlos Moura
Data: 22 de Junho, 2022

O primeiro comercial elétrico da Fiat Professional é o E-Ducato que oferece as mesmas funcionalidades e capacidades da versão de combustão, mas com emissões zero. O sistema de regeneração é exemplar. O preço é que nem por isso!

Primeira proposta totalmente elétrica da Fiat Professional, o E-Ducato foi projetado para oferecer a mesma volumetria e versatilidade das versões de combustão interna, estando disponível em mais de 400 configurações para satisfazer as necessidades de todos os operadores profissionais, desde frotas para transporte de mercadorias e empresas de construção até artesãos, comerciantes ou fornecedores de serviços municipalizados.

O segredo reside na sua arquitetura com tração dianteira e sem ocupação de espaço no fundo do chassis e à ampla distância entre as longarinas, que possibilitou a instalação das baterias por baixo do piso, deixando intacto o volume útil de carga. Esta solução também garante uma melhor distribuição do peso e um baixo centro de gravidade, otimizando o comportamento dinâmico do veículo sob todas as condições de carga.

Em termos de estilo exterior, o Fiat E-Ducato mantém-se fiel às linhas do modelo de 2020, não tendo recebido as mesmas alterações introduzidas no modelo deste ano. Segundo os responsáveis da Fiat Professional, isso foi propositado e por dois motivos. Em primeiro lugar, o processo de desenvolvimento do E-Ducato é anterior ao Ducato de combustão e, por isso, não foi possível implementar as inovações introduzidas na atualização deste modelo; por outro lado, assegura uma diferenciação visual entre a Ducato elétrica e de combustão. 

O principal elemento de estilo consiste numa carroçaria que compreende dois volumes bem definidos: um superior e outro inferior. A secção dianteira distingue-se pelos montantes que se integram mutuamente através da musculada grelha frontal, a qual ainda inclui ao centro o anterior logotipo da Fiat. A frente distingue-se ainda pela grelha preta (opção) e pela linha dos faróis em Piano Black.

Carga normal e rápida

Para assinalar o início da era elétrica, o E-Ducato estreia um logotipo constituído por dois elementos distintos: a letra “E” em azul, cor associada à inovação e sustentabilidade, precedida por um “D” de Ducato, em prata escovada por cima.

A arquitetura elétrica do E-Ducato compreende um motor elétrico, que desenvolve uma potência de 90 kW (122 cv) e um binário máximo de 280 Nm, alimentado por uma bateria de iões de lítio com uma capacidade de 47 kWh ou 79 kWh. A unidade ensaiada estava equipada com a primeira opção, que permite percorrer até 170 km segundo o ciclo WLTP e até 235 km no ciclo urbano.

Equipado com um carregador de bordo de 11 kW é possível recuperar a capacidade total da bateria de 47 kWh numa wallbox de 11 kW em cerca de 4h50m, enquanto num posto de rápido de 50 kW demora cerca de 50 minutos para carregar até 80% da bateria.

A entrada do ponto de carga está localizado atrás da porta do condutor, posição essa que em postos de carregamento rápidos obriga a avançar muito o veículo em direção à torre ou impossibilita mesmo se as mangueiras forem muito curtas como, por exemplo, numa determinada rede de supermercados.

Design interior inalterado

A cabina do Fiat E-Ducato Furgão é bastante espaçosa e oferece uma lotação para três ocupantes, graças a um assento individual do condutor e duplo do acompanhante.

O design interior ainda é o da versão anterior deste modelo, mas a consola central já inclui um ecrã tátil de cinco (série) ou sete polegadas (opção). Este ecrã também permite visualizar as imagens da opcional câmara traseira, o que bastante útil num veículo com um comprimento exterior de quase seis metros, como é o caso da unidade ensaiada que corresponde à versão Maxi de tecto alto (L3H2). 

Os sensores de estacionamento traseiros são de série, assim como os espelhos exteriores elétricos, o airbag do condutor, os apoios de braços, a regulação do banco do passageiro  

O E-Ducato conta igualmente com um ecrã no lado esquerdo do condutor, que transmite informações acerca do fluxo de energia ou do nível de carga da bateria, mas, estranhamente, não acerca do consumo médio (apenas uns gráficos de difícil leitura).  

Equipamentos específicos 

O painel de instrumentos é específico do E-Ducato, incluindo o tradicional velocímetro e em substituição do conta-rotações um indicador de potência para visualização da linha motriz elétrica com os modos Charge, Economy e e-Power. Ao centro encontra-se um pequeno ecrã digital monocromático, que possibilita o acesso a alguns dados do computador de bordo, e por baixo os indicadores do nível de carga da bateria e de condução económica.

A posição de condução é elevada que assegura uma boa visibilidade para o exterior. Lateralmente, os espelhos exteriores de campo duplo são uma preciosa ajuda. Para ligar o sistema de propulsão elétrico tem de se colocar a alavanca do seletor de condução na posição N e depois rodar a chave no canhão da ignição.

A condução é a típica de um veículo elétrico, com a suave linha motriz elétrica a disponibilizar potência suficiente para enfrentar as subidas ou o trânsito intenso. O E-Ducato oferece três modos de condução – Normal, Eco e Power -, que podem ser selecionados através de um botão no painel de bordo, permitindo maximizar a autonomia ou as prestações, em função das necessidades. Será de referir que a velocidade está limitada eletronicamente a 100 km/h, o que exige algumas precauções nas ultrapassagens em vias rápidas ou autoestradas.

O E-Ducato também oferece os sistemas de regeneração de energia e-Coasting e e-Braking, que são ativados deslocando a alavanca do modo de condução na posição D para a esquerda. Este sistema de regeneração de energia nas desacelerações e nas travagens é verdadeiramente impressionante porque oferece a capacidade para recuperar uma quantidade assinalável de energia, aumentando bastante a autonomia disponível para a condução. Na verdade, é um dos melhores sistemas da atualidade.

Mesma volumetria

A unidade ensaiada do E-Ducato corresponde à versão Maxi de tecto alto (L3H2), que combina um comprimento exterior de 5,99 metros, com uma largura de 2,05 metros e uma altura de 2,58 metros. O compartimento de carga é idêntico ao da versão de combustão, disponibilizando um volume útil de 13 m3, graças à combinação de um comprimento interno de 3,70 metros, uma altura de 1,93 metros e uma largura de 1,79 metros. 

Com homologação em 3500 quilos e como pesa em vazio 2735 kg, a carga útil é de apenas 765 kg. Ao abrigo de uma diretiva comunitária, já transposta para o ordenamento jurídico nacional, é possível conduzir veículos de mercadorias, equipados com energias alternativas e peso bruto superior a 3500 kg com carta de ligeiro.

Preço elevado

A versão Maxi L3H2 Furgão do Fiat E-Ducato está disponível no mercado nacional a partir de 73.808 euros, com uma dotação de série bastante limitada.

Todavia é possível configurar este veículo com equipamento adicional e a unidade ensaiada é exemplo disso, já que acrescenta o ecrã tátil de sete polegadas com navegação, o ar condicionado automático, a câmara traseira de estacionamento, a porta USB, luzes diurnas LED, o sensor de luminosidade e chuva, os encostos de cabeça “Ducato”, o tablier Tecno Ducato, os espelhos elétricos rebatíveis, o porta-objetos no tecto da cabina e o pack de segurança (inclui assistente de manutenção da faixa de rodagem e sistema de travagem de emergência). Como consequência, o preço final sobe para uns pouco simpáticos 78.642 euros. 

LEIA TAMBÉM
Fiat Ducato poderá ter motorização microhíbrida ou a hidrogénio

Para quem necessita de um furgão elétrico de grandes capacidades, o Fiat E-Ducato assume-se como uma das opções possíveis, já que oferece a mesma volumetria da versão de combustão, embora uma carga útil ligeiramente inferior devido ao aumento da autonomia.

A autonomia superior aos 227 quilómetros é mais que suficiente para a maioria das operações urbanas, enquanto o custo energético é de 4,52 euros por cada cem quilómetros percorridos. Menos atrativo é o equipamento de série, limitado, o preço de venda ao público, que que, como vimos, numa unidade como a ensaiada ultrapassa os 78 mil euros. 

Ensaio publicado originalmente na Turbo Comerciais 45 – dezembro / janeiro de 2022.

Ficha Técnica

Fiat eDucato Furgão Maxi LH2 13m3 47 kWh 

PREÇO73.808 € (78.642€ unidade ensaiada)
MOTORELÉTRICO; 90 kW (122 cv);
BINÁRIO280 NM
TRANSMISSÃODianteira; 1 Vel; Auto
COMP./LARG./ALT.5998/2050/2579 MM
D.E.E.4035 MM
PESO BRUTO3500 KG
TARA2735 KG
CARGA ÚTIL 765 KG
VOLUME ÚTIL13,0 M#
CONSUMO31,2 kWh/100 KM (WLTP) (Teste ND kWh/100 KM)
AUTONOMIA227 KM
EMISSÕES0 G/KM
IUC0 €

Equipamento

Controlo de estabilidade, airbag condutor, apoio de braço dianteiro, três lugares na cabina, sensores de estacionamento traseiros, suspensão traseira bilâmina, espelhos retrovisores exteriores elétricos, rádio com ecrã tátil de 5” e Bluetooth, carregador de bateria de 11 kW, cabo carregamento modo 3.