Publicidade

Saiba porque motivo o catalisador é tão roubado

Texto: Carlos Moura
Data: 22 de Junho, 2023

Os metais raros tornam o catalisador num componente muito apetecível para os ladrões, sendo esse um dos motivos porque é tão roubado. Mas existem formas de dificultar a vida aos “amigos do alheio”. Conheça algumas.

De acordo com dados da GNR são roubados 20 catalisadores de automóveis por dia e essa ameaça continua a aumentar devido ao aumento dos metais raros que integram aquele componente.  

O catalisador é um componente do sistema de escape dos automóveis a gasolina e a gasóleo, cuja função é controlar e reduzir as emissões de gases nocivos do tubo de escape. Através de um processo químico efetuado no interior do catalisador, gases como o monóxido de carbono ou o óxido de azoto são transformados noutros elementos como água e dióxido de carbono.

Apesar de à primeira vista parecer ser um componente secundário num automóvel, já que se trata de um cilindro de metal, o catalisador possui metais preciosos que os tornam muito apetecíveis para os “amigos do alheio”: paládio, ródio e platina. 

Aqueles metais têm uma elevada cotação no mercado negro. Por exemplo, uma grama de ródio pode valer até 800 euros. Por comparação, uma grama de ouro de 24 quilates pode custar 60 euros.

Bastam dois a três minutos

Uma má notícia para os proprietários de automóveis é que um catalisador pode ser roubado em cerca de dois ou três minutos minutos. Os ladrões chegam com um macaco, elevam o veículo para se colocarem por baixo e com recurso a uma serra elétrica convencional ou ao corte a quente conseguem cortar o tubo de escape e extrair o catalisador.

Quando o proprietário chega ao veículo rapidamente se apercebe que o catalisador foi roubado. Quando se liga a ignição, o motor começa a bater um ruído muito forte, como se fosse um automóvel de competição, e além disso, emite muito fumo.

Em caso de roubo, o proprietário deverá fazer uma participação à Polícia.

Teoricamente, o veículo poderá continuar a circular sem catalisador, mas isso é ilegal e implica o chumbo na hora de realizar a inspeção periódica obrigatória. 

Recomendações úteis

A substituição do catalisador implica uma despesa considerável. Contudo, existem alguns procedimentos para evitar o roubo do catalisador. Quem tem garagem, deverá estacionar o automóvel sempre nesse local. Se tiver de ser estacionado na via pública deve-se optar por ruas iluminadas, vigiadas ou onde passem mais pessoas. Não se deve estacionar com duas rodas em cima do passeio, pois isso facilita muito o trabalho ao ladrão.

LEIA TAMBÉM
Catalisador. Saiba o que é e como funciona

Além disso também se pode optar pela aquisição nas lojas de acessórios mais especializadas as chamadas gaiolas. Tratam-se de peças metálicas especialmente concebidas para proteger os catalisadores dos roubos. Não são totalmente eficazes, mas ajudam a tornar mais difícil e demorado o trabalho de extração da peça. Neste tipo de crime, o tempo é tudo, pelo que a gaiola pode mesmo ser um trunfo. 

Outra forma de dificultar o roubo será pintar o catalisador com pintura calorífica que resista a altas temperaturas. O proprietário também pode mandar gravar a matrícula do carro ou o número VIN. Isto não impede o roubo, mas dificulta a comercialização do catalisador.