Publicidade

ZF desenvolve volante para condução autónoma

Texto: Redação
Data: 15 de Dezembro, 2017

A casa alemã acaba de apresentar um novo conceito de volante destinado a viabilizar as funcionalidades da condução autónoma. Preparado para a autonomia de nível 3 (controlo total do veículo mas com supervisão humana), este volante tem um sofisticado controlo de gestos e deteção tátil, enviando informações ao condutor através de representações gráficas e iluminação dinâmica. O volante tem toque capacitivo para acionamento da buzina e conceito de airbag que permite funcionamento em redor do ecrã.

“A interface veículo-condutor é um elemento essencial para a ZF alcançar a sua meta ‘Vision Zero’. À medida que as funções automatizadas se tornam mais comuns, as tecnologias avançadas que são aplicadas no volante são importantes e podem ajudar a aumentar a segurança do condutor e o reconhecimento de qual é o modo de condução que está ativado”, afirma Jürgen Krebs, vice-presidente de engenharia de sistemas de volante e airbags do condutor.

O novo conceito da ZF tem funcionamento intuitivo por meio de movimentos habitualmente utilizados em smartphones ou outros equipamentos inteligentes. Por exemplo, um toque simples na cobertura pode acionar a buzina, um toque duplo ou um toque seguido de deslizamento no aro do volante pode ativar as funções associadas a esse ponto do volante, como por exemplo o controlo do sistema de ar condicionado. Os gestos são captados e o ecrã central confirma e acompanha essa confirmação com representações gráficas e sinais luminosos.

Leia também: No Reino Unido vão circular carros totalmente autónomos em 2021

O volante usa várias interfaces para indicar o modo de condução do veículo. Um ecrã LCD de sete polegadas instalado na parte central do volante mostra claramente se é o motorista ou o veículo que está no comando. Além disso, foi integrada no volante uma faixa luminosa LED com luzes azuis para indicar o modo autónomo, luzes brancas para o modo de condução manual e luzes vermelhas para alertar o condutor.

Outras utilizações dessa faixa de LED incluem luzes amarelas para indicar os sinais de mudança de direção, além de iluminação mais intensa ou intermitente para indicar diferentes opções escolhidas pelo fabricante do veículo.

O sistema também oferece uma série de funcionalidades integradas no volante de forma inteligente, incluindo dez sensores capacitivos na parte exterior do aro do volante, para detetar em que parte do volante estão as mãos do condutor e ainda mais um na parte interior do aro do volante para identificar se o condutor está a segurar no volante de forma adequada. Tudo isto proporciona um alto grau da deteção tátil – ajudando a clarificar se é a pessoa ou o veículo que está a comandar, o que será fundamental na condução autónoma de nível 3 ou superior.

A configuração única do volante trouxe novos desafios, já que o airbag do condutor não pode ser alojado na sua posição tradicional por causa do ecrã LCD instalado na zona central. Os engenheiros da ZF projetaram um novo conceito de airbag que é acionado na parte de trás do volante e cobre o ecrã, através do aro do volante, ajudando a proteger o condutor em caso de colisão.

Leia também: Autónomos Google já andam sem supervisão