WLTP fez disparar as vendas de carros na Europa

Texto: Nuno Fatela
Data: 11 Setembro, 2018

O medo de pagar mais pelos novos automóveis em setembro, e a antecipação das matriculações por parte das marcas, tiveram impacto no mercado durante agosto. E as estatísticas mostram bem o impacto do WLTP nas vendas…

A ACAP revelou recentemente os dados provisórios de vendas em agosto, que mostraram o maior crescimento mensal ao longo de 2018. O total de 15.281 ligeiros de passageiros comercializados significou um aumento de 28% em comparação ao período homólogo, bem acima da média anual que mostra uma evolução positiva de 8,4%. Logo nessa altura, a Associação Automóvel de Portugal afirmou que a “transição para um novo ciclo de ensaios (WLTP) com impacto na medição das emissões de CO2 gera antecipação de compras de veículos ligeiros”, e a realidade não se limitou ao território nacional. Afinal, por toda a Europa foi bem visível o impacto do WLTP nas vendas de automóveis.

 

Entre os principais mercados do continente, a maior subida deu-se em Espanha, com mais 49%. Esta tendência também se verificou na França (+40%), Alemanha (+25%), Reino Unido (+23%) e Itália (+ 9,3%), sendo ainda mais expressiva no sexto maior mercado do continente, a Bélgica. Nesta nação, o impacto do WLTP nas vendas de automóveis foi um aumento de 53%.

Os analistas do mercado destacam dois factores que justificam estes números. O primeiro, referido pela ACAP, deve-se ao medo dos compradores de que o novo ciclo de testes viesse aumentar o preço dos automóveis. Mas é ainda assinalada a existência do que se designa como “registos táticos”. Esta expressão refere-se ao facto dos fabricantes anteciparem a legalização dos automóveis, algo que por vezes se verifica também em dezembro para que sejam cumpridos objetivos anuais de vendas, e que permite neste caso ter um stock disponível enquanto os modelos não são homologados com o novo ciclo.

Mas esta medida, que tornou ainda mais evidente o impacto do WLTP nas vendas, pode vir a ser uma boa notícia para os clientes, referem os analistas. Afinal, estas viaturas que ficaram agora nos parques das marcas podem vir a ser escoados com campanhas promocionais, a preços mais baixos durante os próximos meses. No entanto, será preciso esperar mais algum tempo para verificar se isso vai efetivamente acontecer.

 

Fonte: ACAP e Automotive News Europe

Partilhar