Volante do carro tem (muito) mais bactérias que o tampo da sanita

Texto: Nuno Fatela
Data: 28 Janeiro, 2019

Com quase quatro vezes mais bactérias do que o tampo de uma sanita pública, o volante do carro tem também o dobro da sujidade do que um botão de elevador

Um estudo realizado nos Estados Unidos, pelo Centro Nacional de Informação Biotecnológica, mostrou o lado mais sujo dos interiores do automóvel. E falamos em sujo no sentido literal, pois foi concluído que o volante do carro é mesmo um local muito pouco higiénico, até bem menos do que outras superfícies onde as pessoas evitam tocar. Segundo as contas deste organismo, a quantidade de bactérias por cm2 no volante, segundo a unidade de medida CFU (Colony Forming Units) alcança os 629CFU. O que significa quase quatro vezes mais do que os 172CFU do tampo de uma sanita pública, o dobro dos 313 CFU de um botão de elevador num local público ou seis vezes mais do que os 100CFU que existem em média em cada smartphone. Mas, como poder na fotogaleria do automóvel, há mais locais do carro que não primam pela limpeza…

Um dos maiores motivos da acumulação de baterias no automóvel é o hábito de comer a bordo
O estudo do Centro Nacional de Informação Biotecnológica indica que o volante do carro é dos locais mais sujos onde se colocam as mãos. Mas há mais locais a bordo onde as bactérias de acumulam...
Volante: 629CFU
Bases para copos: 506CFU
Cinto de Segurança: 403 CFU
Pegas das portas: 256 CFU
Alavanca da Caixa de Velocidades: 115 CFU
Controlos Audio: 99 CFU
Outros locais com altas concentrações de bactérias. Botões da bomba de combustível: 2,6 milhões de CFU
Manete da bomba de combustível: 2 milhões de CFU
Existem diferenças entre os vários tipos de automóvel. Uma viatura de car-sharing tem em média 6056 CFU
Já uma viatura alugada tem apenas 2001 CFU
Cinco passos para reduzir a quantidade de bactérias a bordo:
1. Limpar as superfícies do habitáculo
2. Trocar os filtros de ar
3. Limpar as chaves da viatura
4. aspirar os bancos e outros locais
5. Lavar os tapetes com uma esfregona

O mais preocupante é que, entre as 700 bactérias encontradas no volante do carro, encontram-se os estafilococos e os propionibacterium, habitualmente associados a diversas doenças. Para esta situação pouco higiénica também contribuem os hábitos de muitos condutores (pelo menos nos Estados Unidos…), que apenas limpam o seu carro, em média, uma vez por ano. A isto junta-se a maior fonte de proliferação de bactérias no carro, e que passa por comer no interior da viatura. Portanto, se não costuma limpar o seu carro com regularidade, é melhor mudar de hábitos. Ou então passar a conduzir com luvas…

 

Fonte: CarRentals, via Motor1

Fotos. CarRentals e marcas diversas

Partilhar