Válvulas digitais inteligentes: solução para os motores de combustão

Texto: Nuno Fatela
Data: 21 Dezembro, 2018

É verdade que cada vez parece mais certa a transição para os motores elétricos, mas continuam a surgir tecnologias que podem garantir viabilidade futura aos motores de combustão interna. A mais recente novidade são as válvulas digitais inteligentes 

É verdade que muitos garantem que os motores elétricos (ou talvez mesmo a hidrogénio) são a solução de futuro de mobilidade. Mas, tendo em conta que as legislações apenas obrigam a reduzir o impacto ambiental dos propulsores, nada impede as marcas que apostarem na continuidade dos motores de combustão. Para tal, basta encontrar soluções que assegurem a sua viabilidade. Algumas ideias já chegaram à produção, como a taxa de compressão variável da Infiniti ou a ignição por compressão para gasolina da Mazda, e também foram reveladas investigações para trazer de volta os pistões opostos ou fazer a ignição por microondas. Agora surge mais uma solução: válvulas digitais inteligentes.

A ideia passa por conseguir um controlo individualizado de cada uma delas, para que uma maior precisão na abertura e encerramento garanta sempre a mistura mais correta entre ar e combustível. Algo que até permite aos motores adaptarem-se a diferentes cargas, consoante o foco do condutor esteja na eficiência ou nas máximas performances. O segredo para as válvulas digitais inteligentes é o facto delas não estarem sujeitas à tradicional combinação por correias ou correntes entre a cambota e a árvore de cames. Ao invés, cada uma  conta com uma “mini-árvore de cames” controlada por motor elétrico, sendo usada tecnologia para monitorizar em permanência qual a sua posição e sensores para garantir que a abertura e encerramento se efetua no momento exacto. Por isso, é indicado no vídeo que esta solução vem digitalizar o único elemento analógico que ainda existe nos motores de combustão.

Esta solução foi desenvolvida pela Camcon Automotive, e o CEO da empresa britânica explicou as vantagens obtidas com as válvulas inteligentes digitais. “O que isto significa é que podemos dar ao motor exatamente aquilo que ele precisa em baixas rotações, aquilo que ele precisa em altas rotações, ou em qualquer ponto intermédio, sem ter de fazer compromissos. Podemos mudar a temporização, a abertura, até podemos configurar determinados eventos. E podemos fazer duplos eventos. Podemos mudar o comportamento da árvore de cames entre um evento e o outro. Podemos ir do ralenti à máxima aceleração em uma rotação. Podemos, basicamente, fazer tudo”.

A Camcon tem vindo a analisar as suas válvulas inteligentes digitais num protótipo de motor Ingenium da Jaguar com centenas de horas no banco de testes e, embora sem apresentar valores concretos, afirmou que já conseguiu uma redução efetiva das emissões poluentes. As estimativas reveladas anteriormente pela empresa anunciam uma descida no impacto ambiental dos motores entre 15% e 20%, ao mesmo tempo que as sensações ao volante são melhoradas, tal como a potência e binário.

 

Fonte: Motor1

Partilhar