Publicidade

Valorpneu recolhe menos 27% de pneus

Texto: David Espanca
Data: 18 de Maio, 2020

A Valorpneu registou um decréscimo de 27% no total de pneus recolhidos e valorizados, no decorrer do primeiro trimestre de 2020, face ao período homólogo do ano anterior.

Os últimos dados avançados pela Valorpneu para este primeiro trimestre de 2020 indicam um decréscimo de 27% da sua atividade, em relação a idêntico período do ano passado. Assim, das 13.388 toneladas de pneus recolhidos e valorizados, foram recicladas 9.130 toneladas e valorizadas energeticamente 4.258 toneladas de pneus usados.

Estes resultados, de acordo com aquela entidade, “não foram animadores e alertaram o mercado; a agravar esta situação está a falta de visibilidade do que vai acontecer até ao final do ano”. Climénia Silva, diretora-geral da Valorpneu disse mesmo que “o primeiro trimestre de 2020, em termos de pneus recolhidos e valorizados, foi o mais baixo desde o início do funcionamento do SGPU, ou seja, desde 2004”.

No que diz respeito a 2019, foi o primeiro ano completo de vigência da sua nova licença, que exigiu “um esforço considerável no sentido da renovação dos vínculos contratuais com os produtores, centros de receção, recauchutadores e outros valorizadores do sistema, bem como no estabelecimento de contratos com comerciantes e distribuidores e ainda numa resposta adequada aos novos requisitos e condições impostas, explica a Valorpneu em comunicado.

“O primeiro trimestre de 2020, foi o mais baixo desde o início do funcionamento do SGPU, ou seja, desde 2004”, adianta Climénia Silva

Reciclagem, atividade mais representativa

O sistema gerido pela Valorpneu integrou em 2019, uma vez mais, a totalidade dos pneus usados gerados em Portugal, voltando a ultrapassar os objetivos de recolha e valorização definidos no seu licenciamento.

A reciclagem foi a operação mais representativa, com 47.240 toneladas de pneus usados sujeitos a esta operação. Para valorização energética foram utilizadas como combustível 30.915 toneladas. No que toca à preparação para reutilização, foram recauchutadas 2.148 toneladas e reutilizadas 526 toneladas de pneus usados no âmbito do SGPU.

Nos recauchutadores nacionais foram ainda recauchutados pneus usados, correspondendo a 2.380 toneladas com origem no estrangeiro e 6.950 toneladas sobre pneus que não se constituíam resíduo, prolongando a vida útil do produto e economizando recursos naturais.

“Em 2020 os números não serão certamente tão positivos, dada toda a crise pandémica que estamos a viver”, avança a Valorpneu

2020: reinventar áreas de intervenção

No total, em 2019, foram colocadas no mercado nacional 97.948 toneladas de pneus e geradas 75.095 toneladas de pneus usados, considerando o desgaste dos pneus durante a sua vida útil, sendo que 80.831 toneladas foram recolhidas e tratadas no âmbito do SGPU. A colocação de pneus no mercado apresentou uma evolução positiva, em cerca de 7%, espelhando o crescimento do mercado de substituição de pneus.

“Em 2020 os números não serão certamente tão positivos, dada toda a crise pandémica que estamos a viver, e a comprovar estão os resultados da atividade da entidade gestora do primeiro trimestre deste ano”, explica aquela entidade.

No entanto, prossegue, “apesar de toda a incerteza, a Valorpneu vai continuar a cumprir as suas obrigações enquanto entidade gestora de pneus usados em Portugal, reinventando-se em muitas das suas áreas por forma a manter-se como uma entidade de referência a nível europeu no SGPU”.