Publicidade

Turbo do Ano 2020. Sabe qual foi o Melhor Desportivo do ano transacto?


Data: 28 de Janeiro, 2021

Depois da divulgação da Melhor Versão Desportiva, passamos, esta quarta-feira, aos desportivos puros e ao vencedor do Turbo do Ano 2020 na categoria de Melhor Desportivo do ano que passou. Faz ideia de qual é?…

Versões que são também uma das principais responsáveis pelo Sonho que o Automóvel promove, os desportivos também não faltaram em 2020, tornando igualmente difícil a tarefa de escolher um, de entre todos.

No entanto e porque, aqui na TURBO, nunca fomos de enveredar pelo caminho mais fácil, preferindo, antes, o mais verdadeiro, nem sequer tivemos de sentir o aroma a octanas, quando chegou o momento de eleger aquele que foi, para nós, o desportivo de 2020.

LEIA TAMBÉM
40 anos, 40 carros. Vote nos seus favoritos e ganhe prémios

Numa época em que o Elétrico dá mostras de ter vindo para ficar, abrangendo todos os segmentos, versões, modelos e carroçarias, a escolha dos jornalistas da TURBO recaiu, por muito controvérsia que tal possa gerar, no Porsche Taycan. Um desportivo… diferente daquilo a que estamos habituados, mas, ainda assim, um vencedor totalmente justo e justificado, no texto que passamos a reproduzir.

Melhor Desportivo do Ano: Porsche Taycan

“Poderão alguns sorrir ao elegermos o Porsche Taycan como o melhor desportivo de 2020. Poderão, até, questionar como é possível colocar o “rótulo” de desportivo a um automóvel que pesa mais de 2000 kg, mede quase cinco metros (pouco menos que o Panamera) e conta com uma carroçaria de cinco portas. Todos os argumentos são legítimos… até conduzirem o Taycan. Até perceberem que a Porsche não fez concessões à dinâmica apaixonante, à capacidade de aceleração vertiginosa e a todas as demais caraterísticas que definem um desportivo.
A aposta na propulsão 100% elétrica num Porsche é um dos mais óbvios sinais de como as coisas estão a mudar. Fazê-lo com os resultados que o Taycan exibe, simboliza, provavelmente, a queda do último preconceito relativamente à mobilidade elétrica. As performances falam por si e o comportamento é imediatamente reconhecido. Para chegarmos ao Porto num folego temos que cumprir os limites de velocidade mas, não é cada vez mais assim com qualquer automóvel? E desses quantos precisam de pouco mais de três euros por cada 100 km? E que, ainda por cima, são capazes de nos cortar a respiração e manter as costas coladas ao banco?”

Entretanto e depois de um desportivo… elétrico, desvendamos, ainda esta quarta-feira, o vencedor do Turbo do Ano 2020, na categoria do Melhor Ecológico PHEV.