Publicidade

Exclusivo. Já guiámos as versões elétrica e PHEV da nova Transit Custom

Texto: Carlos Moura
Data: 7 de Junho, 2024

Os arredores de Frankfurt foram palco para os ensaios dinâmicos da nova Transit Custom que guiámos em exclusivo nacional nas versões elétrica e híbrida plug-in. As novas propostas chegam ao mercado nacional no início de 2025 e final de 2024, respetivamente. 

Após o lançamento da E-Transit, que recentemente recebeu uma nova opção de bateria com maior autonomia, a Ford Pro continua reforçar a sua oferta de veículos comerciais eletrificados para conseguir alcançar o objetivo de que metade das vendas de veículos novos tenham emissões zero em 2030. 

Os mais recentes membros da família de comerciais eletrificados da marca norte-americana são a E-Transit Custom, a E-Transit Plug-In Hybrid e a E-Tourneo Custom. Até ao final do ano, a oferta será alargada com a introdução do E-Transit Courier e do E-Tourneo Courier.

As novas propostas dirigem-se essencialmente às pequenas e médias empresas, que representam cerca de 99% do tecido empresarial da União Europeia e são responsáveis por cerca de 50% do Produto Interno Bruto. 

Para apoiar a transição para a mobilidade elétrica, a Ford Pro decidiu lançar um ecossistema, que não só inclui o produto, mas também soluções de hardware, software, carregamento, financiamento, assistência e conversões, que podem vir já de fábrica ou efetuadas por uma rede de 200 transformadores certificados. 

Nova plataforma

As novas versões da Transit Custom, elétrica a bateria e híbrida plug-in, utilizam a nova plataforma desenvolvida especificamente para a segunda geração deste comercial de dimensões médias, estando preparada para receber diferentes tipos de cadeias cinemáticas e sistemas de tração. 

Assim, enquanto a Transit Custom diesel e híbrida plug-in têm tração dianteira, já na variante elétrica a potência é transmitida às rodas traseiras. Além disso, a oferta contempla ainda versões com tração integral.

Na E-Transit Custom e também na E-Tourneo Custom, a bateria está localizada por baixo da carroçaria, entre os eixos, não penalizando o compartimento de carga ou dos passageiros, respetivamente.

No caso dos furgões, o volume útil continua a ser de 5,8 m3 e 6,8 m3, nos derivativos com distância entre-eixos de 3,10 e 3,50 metros respetivamente. As dimensões exteriores também são iguais, com um comprimento de 5,05 metros ou 5,45 metros, respetivamente, uma largura de 2,03 metros (sem espelhos) e uma altura inferior a dois metros para possibilitar o acesso à maioria dos parques de estacionamento subterrâneos.  

Três níveis potência

Basicamente, a E-Transit Custom é uma Transit Custom elétrica que partilha o ADN com a versão de combustão. E como a esta não faltam qualidades como foi reconhecido pelo júri do International Van of the Year que a distinguiu com o troféu relativo ao ano de 2024, a base é bastante prometedora. 

Os mais atentos poderão reparar nalgumas diferenças subtis no exterior como a ausência do tubo de escape, a letra “E” ao lado da designação do modelo e a porta de carregamento, situada no lado esquerdo do pára-choques dianteiro.

A principal alteração consiste naturalmente na linha motriz. A E-Transit Custom recebe uma bateria de 65 kWh, que está associada a um motor elétrico que está disponível em três níveis de potência, os quais variam em função da versão de equipamento escolhida. Nos níveis Trend e Limited vem com 100 kW (136 cv), a Sport 160 kW (218 cv) e a MS-RT 210 kW (285 cv).

Qualidade percecionada 

A qualidade dos materiais utilizados a bordo é de excelente nível, designadamente os revestimentos dos bancos, os plásticos do painel de bordo e os acabamentos das portas. À semelhança da maioria dos furgões, a divisória metálica limita o ajuste do assento duplo do passageiro, pelo que tem de ir sentado numa posição mais direita. O condutor tem várias possibilidades de regulação que podem ser elétricas nas versões Sport e MS-RT. 

A Ford tem orgulho no seu volante cortado em baixo, o qual pode ser aberto no pacote opcional Mobile Office, transformando-se num suporte para tablet, podendo também ser utilizado como uma mesa de refeições ou de trabalho. Contudo, só pode ser utilizado quando o seletor da transmissão se encontra na posição P.

Em termos de conectividade, a E-Transit Custom está equipada com o sistema SYNC 4 da Ford, o qual se encontra associado a um ecrã tátil, cujo funcionamento é rápido e simples. Será de referir que a maioria das funções têm de ser ativadas através deste ecrã, incluindo, por exemplo, a seleção dos modos de condução (Eco, Normal e Sport) ou a função E-Pedal. 

A parte inferior do ecrã tátil apresenta alguns botões físicos para o desembaciamento do pára-brisas. O Apple CarPlay e Android Auto são de série.

Espaços para arrumação

O seletor dos modos de condução encontra-se numa simples alavanca atrás do volante, enquanto o travão de estacionamento elétrico está localizado no centro do painel de bordo, o que permitiu libertar espaço no meio da cabina. Os utilizadores têm ainda ao seu dispor duas entradas USB e uma tomada de 12V no centro do painel de bordo e suportes para copos.

LEIA TAMBÉM
Ford Transit Custom Van 300 L1 EcoBlue 136 cv. Diesel de acesso à gama

As portas possuem três espaços para arrumações e o painel de bordo conta com dois compartimentos abertos no topo. Por baixo do assento do passageiro também existe um compartimento do passageiro.

Equipamentos

A versão de acesso à gama é a Limited que inclui ecrã tátil de 13” com sistema SYNC 4, câmara traseira, ar condicionado automático, sistema Ford Pro Power Onboard, que permite a utilização do veículo como um gerador para fornecer energia a ferramentas ou mesmo para iluminação exterior.

A versão seguinte é a Trend, que acrescenta jantes de liga leve de 16”, bancos com regulação elétrica, pacote de estacionamento, luzes LED, duas portas laterais, aquecimento lombar para condutor e banco duplo aquecido do acompanhante.

Passando à variante Sport, esta distingue-se exteriormente pelas duas listas verticais no capot, jantes de liga leve de 17” e spoiler traseiro. O interior recebe ar condicionado duplo.

O topo de gama da E-Transit Custom é a versão MS-RT, que adiciona um pára-choques dianteiro aerodinâmico, jantes de liga leve de 19” MS-RT, saias laterais rebaixadas, pára-choques traseiro desportivo com difusor integrado, spoiler traseiro de inspiração desportiva, capas dos espelhos e dos puxadores das portas em preto. pinças de travão em azul MS-RT, iluminação ambiente interior, volante aquecido em pele com pacote Office, carregamento por indução. 

Condução agradável

A Ford anuncia uma autonomia máxima de até 337 quilómetros para a E-Transit Custom. A entrada de carregamento está localizada no pára-choques dianteiro no lado esquerdo e com uma carga rápida de 125 kW é possível recuperar entre 10% a 80% da capacidade da bateria em 40 minutos. O carregador de bordo é de 7,4 kW, o que significa que uma carga completa demora cerca de 8h30m.

Em termos dinâmicos e à semelhança da sua congénere de combustão, o co mportamento da E-Transit Custom é bastante agradável. A versão ensaiada, Sport, tinha um lastro de 400 quilos no compartimento de carga, o que, em conjunto com o peso da bateria, ajuda o veículo a ficar colado ao piso. Mesmo nalgumas estradas menos boas alemãs, a suspensão não tem dificuldades em absorver as irregularidades e o rolamento é bastante bom.

A direção leve facilita as manobras em ambiente urbano, enquanto a câmara traseira e o espelho elétrico com vista permanente (opção) ajudam consideravelmente no estacionamento.

Três modos condução

A E-Transit Custom oferece três modos de condução: Normal, para o dia-a-dia; Eco, para ajudar a preservar a autonomia; Escorregadio, para melhorar o comportamento com piso molhado ou gelo.

Além disso também existe um modo de regeneração de energia durante as desacelerações que é ativado através do botão “L” na coluna da transmissão. A E-Transit Custom conta igualmente com o modo “E-Pedal” que permite conduzir apenas com o pedal do acelerador, mas esta opção tem de ser selecionada no ecrã tátil.

Em todas as configurações, a regeneração é significativa, mas está longe de ser particularmente inclusiva e contribui para otimizar a eficiência energética. 

Com 415 Nm de binário, todas as versões proporcionam uma aceleração rápida, especialmente a Sport e a MS-RT. A resposta do acelerador é suave e os travões são competentes, quando chamados a intervir.

Versão PHEV

A oferta da gama Transit Custom conta igualmente com uma versão híbrida com bateria recarregável externamente (PHEV), cujo sistema é oriundo do Ford Kuga. A linha motriz compreende um motor a gasolina de 2,5 litros, de ciclo Atkinson com 100 cv com um motor elétrico, os quais desenvolvem uma potência combinada de 232 cv, e uma bateria de 11,8 kWh. A autonomia anunciada em modo elétrico é de 56 quilómetros. O consumo médio homologado em ciclo WLTP situa-se entre 1,4 l/100 km e 2,9 l/100 km.

Em funções das necessidades, a Transit Custom Plug-In Hybrid conta com quatro modos de condução: EV Now, EV Later, EV Auto e EV Charge.

O veículo arranca normalmente em modo elétrico e quando a bateria atinge o seu estado de carga mais baixo, o sistema muda automaticamente para o modo EV Auto. Por outro lado, existe a possibilidade de obter a carga total da bateria, recorrendo ao modo EV Charge, passando o motor a funcionar como um gerador.

O motor de combustão também entra em ação quando se atinge uma velocidade de 100 km/h e o condutor não demora muito a se aperceber da situação, já que termina o silêncio a bordo, fazendo-se ouvir o ruído oriundo do compartimento por baixo do capot.

Os programas de condução da caixa de velocidades automática de variação contínua podem ser selecionados através de uma alavanca localizada e modo denominado L, que tem a função de aumentar a travagem regenerativa sempre que se alivia o pé do acelerador, para abrandar ou mesmo travar. Uma desaceleração mais forte permite aumentar a quantidade de energia recuperada e armazenada na bateria, alargando o potencial de autonomia elétrica.

A Transit Custom Hybrid Plug-In vai chegar ao mercado nacional no último trimestre deste ano e a E-Transit Custom no início de 2025.