Toyota Woven City

Toyota. Depois dos automóveis, vai agora construir uma cidade inteira!

Texto: Redação
Data: 9 Janeiro, 2020

Porque o mundo já não é o que era e até as tecnológicas já pensam em conquistar um quinhão do mercado automóvel, a Toyota Motor Corporation, construtor automóvel por excelência, também decidiu arriscar. E, vai daí, acaba de anunciar que vai construir… uma cidade inteira.

Concebida como um “laboratório vivo”, a Woven City, ou “Cidade Tecida” em português, acaba de ser apresentada no Consumer Electronics Show 2020 que decorre em Las Vegas e pretende ser um novo olhar sobre o futuro das cidades e da mobilidade.

“Cidade protótipo do futuro”, conforme designa a própria Toyota Motor Company, a Woven City será erigida num local com mais de 70 hectares, num dos mais emblemáticos locais do Japão – na base do Monte Fuji.

Nesta cidade, a Toyota pretende instalar não apenas residentes, mas também investigadores, que assim poderão testar e desenvolver, num ambiente real, tecnologias avançadas em domínios como a condução autónoma, robótica, mobilidade pessoal, casas inteligentes e Inteligência Artificial.

A construir na base do Monte Fuji, a Woven City foi apresentada pelo responsável máximo da Toyota Motor Corporation, Akio Toyoda, e o arquitecto responsável pelo projecto, o  dinamarquês Bjarke  Ingels
A construir na base do Monte Fuji, a Woven City foi apresentada pelo responsável máximo da Toyota Motor Corporation, Akio Toyoda, e o arquitecto responsável pelo projecto, o dinamarquês Bjarke  Ingels

Um laboratório vivo

“Construir uma cidade completa desde o início, mesmo em pequena escala como esta, é uma oportunidade única para desenvolver tecnologias futuras, incluindo um sistema operacional digital para a infraestrutura da cidade”, afirmou, na apresentação do projeto, o presidente da Toyota Motor Corporation, Akio Toyoda.

“Com pessoas, prédios e veículos conectados que comunicam através da troca de dados e sensores, poderemos testar a tecnologia conectada com IA… tanto no mundo virtual, como no físico… maximizando o seu potencial.”, conclui.

Projeto dinamarquês

A Toyota decidiu já entregar o projeto arquitectónico da Woven City ao arquiteto dinamarquês Bjarke  Ingels, cuja equipa elaborou projetos como o World Trade Center 2, em Nova Iorque, a sede da Lego, na Dinamarca, e a nova sede da Google, em Mountain View, nos EUA, e em Londres.

Com edifícios construídos maioritariamente em madeira, segundo as técnicas de marcenaria japonesa, a "Cidade Tecida" deverá albergar, inicialmente, uma população de cerca de 2.000 pessoas
Com edifícios construídos maioritariamente em madeira, segundo as técnicas de marcenaria japonesa, a “Cidade Tecida” deverá albergar, inicialmente, uma população de cerca de 2.000 pessoas

Sobre o plano diretor da cidade propriamente dito, deverá contemplar vários tipos de ruas, variando entre artérias para veículos mais rápidos e ruas para utilizadores de velocidades mais baixas, mobilidade pessoal e peões. Estando igualmente previsto vias exclusivamente para peões, numa espécie de passeio “promenade”.

Sustentabilidade é a palavra de ordem

Quanto à habitação, deverá ser erigida principalmente em madeira, segundo técnicas tradicionais japonesas e a aplicação de métodos de produção robótica, até por uma questão de sustentabilidade, defende o construtor nipónico. Motivo também pelo qual a energia utilizada terá como origem o Sol e a pilha de combustível a hidrogéneo.

Apesar de construídas em madeira, as casas serão equipadas, segundo a Toyota, com as mais recentes tecnologias de apoio humano, integrando igualmente Inteligência Artificial, destinada a acompanhar a saúde dos ocupantes, cuidar das suas necessidades básicas e melhorar a vida diária.

Nas suas deslocações do dia-a-dia, estes mesmos habitantes deslocar-se-ã em veículos totalmente autónomos e de zero emissões.

Embora com garantias de concretização, a Woven City só começará a ser construída no início do próximo ano
Embora com garantias de concretização, a Woven City só começará a ser construída no início do próximo ano

Realidade em 2021

Apontando como previsão inicial o acomodar de cerca de 2.000 pessoas, a Toyota espera poder vir a aumentar este número de residentes, à medida que a cidade for evoluindo e crescendo.

Quanto ao arranque das obras, está, desde já, previsto, para o início de 2021.