Smart ForFour 90cv Turbo

Texto: Marco António / Fotografia: José Bispo
Data: 26 Novembro, 2017

O Forfour tem no motor de 0,9 de 90 CV um dos seus mais importantes aliados. Para além de oferecer melhores prestações e um comportamento mais divertido, continua a ser económico.

O Forfour regressa depois de um interregno de 10 anos, desta vez em parceria com a Renault em vez da Mitsubishi a quem esteve ligada durante muitos anos e com quem partilhou muitas tecnologias, nomeadamente motores. Irmão gémeo do Twingo, o novo Smart partilha da mesma tecnologia, nomeadamente o motor 0,9 litros turbo de 90 CV utilizado pela marca francesa noutros modelos, nomeadamente no Clio.

Embora o motor seja o mesmo da versão de 71 CV, tem uma cilindrada 100 cc mais baixa (898 cc). Tal deve-se à redução do curso dos cilindros que passou dos 81,3 milímetros para os 73,1 milímetros, uma forma de compensar a existência ou a falta do turbo, conforme a perspetiva.

Com apenas 3 cilindros, este motor da Renault está montado sobre o trem traseiro, o que obrigou a quase deitar o motor para que ele coubesse nessa zona sem penalizar muito a mala. Não se pode dizer que este tenha sido um exercício fácil devido ao aumento das forças de segunda ordem nas paredes dos cilindros que, gerando mais atrito, geram também mais calor o que obrigou a reformular o sistema de refrigeração, inclusive através da entrada forçada de ar.

Para ultrapassar esse problema, que no motor de 90 CV é mais acentuado, foram usados materiais mais leves, nomeadamente o alumínio. O resultado não podia ser melhor e a prova está na forma expedita como este motor se desenvencilha, ao demorar, por exemplo, dos 40 aos 120 Km/h em quinta, 33,5 segundos.

Resta saber se há muitos clientes interessados em pagar mais 2300 euros por terem mais 19 CV. Pensamos que sim, devido ao ganho que isso representa em termos de prestações, com a vantagem de não penalizar os consumos.

Segundo as contas oficiais, 19 CV correspondem a mais 0,1 litros de gasolina, embora na prática não seja bem assim. Durante o ensaio a diferença foi mais acentuada, com uma média que andou em redor dos 6,2 l/100 Km, um resultado positivo tendo em conta que fizemos uma condução sem restrições. Um fator que contribui para esse bom resultado é a transmissão manual de 5 velocidades da Renault e que também serve o Fortwo, resolvendo uma das maiores críticas feitas à geração anterior.

A caixa tem um escalonamento que aproveita bem as capacidades do motor, onde a quarta velocidade mais curta faz 28,2 Km/h às 1000 rpm, um aspeto que beneficia as recuperações e torna a sua condução mais agradável e divertida, quer seja na cidade ou na estrada onde esta versão mais musculada consegue um outro desempenho que a versão de 71 CV não oferece.

Embora não tenha a mesma agilidade na cidade que o Fortwo, por ter um diâmetro de viragem de 8,7 metros contra 6,9 metros do seu irmão mais pequeno (que neste capítulo não tem rivais), mesmo assim ele é um dos mais ágeis entre todos os concorrentes selecionados, desde o Citroën C1 e seus pares até ao VW up! passando pelo Kia Picanto, entre outros. Esta capacidade invulgar, juntamente com a direção assistida elétrica, aumenta o prazer de usar este pequeno carro em múltiplos cenários, nomeadamente na auto-estrada, onde é menos sensível ao vento.

É, no entanto, na cidade onde ele se sente como peixe na água. Apesar de não ser tão curto quanto o seu irmão mais pequeno, é muito fácil arrumar o Smart Forfour nos sítios mais apertados. Goza também de uma boa visibilidade periférica, ainda que o terceiro pilar seja algo volumoso.

Construído a partir do mesmo conceito do Fortwo, que tem como base a célula Tridion, o Forfour tem lotação para quatro/cinco pessoas. Mas como não há bela sem senão a mala não leva mais do que 190 litros (975 litros sem o banco traseiro). Comparando os dois valores com os adversários qualquer um deles se situa na média do seu segmento. Sendo um carro de quatro lugares o Forfour tem mais concorrentes que a versão de dois lugares, em relação aos quais oferece custos de utilização muito semelhantes. A ver vamos se o preço proposto (14 250 euros) convence uma clientela que segue mais a emoção do que a razão.

VEREDITO

O pequeno motor de 3 cilindros de 90 CV vem dar novo alento ao Smart Forfour. O aumento de rapidez não se refletiu muito no aumento do consumo. Este continua a ser baixo, ao contrário das prestações que melhoraram bastante.


Ensaio publicado na Revista Turbo 406, de julho de 2015

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.

Esta metodologia não foi aplicada a este ensaio. Todo o texto encontra-se no capítulo inicial.