LEXUS RX 450H

Texto: Ricardo Machado / Fotografia: José Bispo
Data: 25 Dezembro, 2016

Maior e mais confortável, a quarta geração do Lexus RX é um dos SUV mais silenciosos. Para compensar, e em plena sintonia com o comportamento, a imagem está mais dinâmica.

O silêncio a bordo dificilmente figurará entre as qualidades mais apreciadas de um SUV. No entanto, percorridos os primeiros 20 km em circuito misto, a ausência de ruído é a segunda caraterística mais marcante do novo Lexus RX 450h. A primeira é o espaço generoso. O RX 450h cresceu 120 mm, alargou 10 mm e ampliou a distância entre eixos em 50 mm para se transformar num dos SUV mais espaçosos do segmento. Junte-se um isolamento acústico de referência a bancos traseiros com costas reclináveis e ajuste longitudinal e temos o SUV ideal para “meditar”.

No interior, vive-se um ambiente sofisticado. No entanto, regista-se alguma falta de coerência tanto no desenho e apresentação dos diversos componentes, como na qualidade dos materiais. O ecrã de 12,3 polegadas que domina a zona central do tablier tem contraste e visibilidade superiores, mas o joystick que permite aceder às diversas funções nele apresentadas não tem um funcionamento preciso. Neste caso, uma solução mais simples, como um comando rotativo, seria mais eficaz.

O sistema produz um total de 313 CV, fruto da combinação dos 262 CV do V6 de injeção direta e indireta, com os 167 CV do motor elétrico dianteiro e os 68 CV do motor elétrico traseiro. Juntos lançam as 2,2 toneladas de RX 450h até aos 100 km/h em 8,3 segundos, mais 0,6 segundos que o tempo oficial.

À frente, não há lugar para distrações. Mesmo com cruise control adaptativo e sistema de manutenção na faixa de rodagem, é preciso manter as mãos no volante. Uma ação intuitiva quando se tem 313 CV às ordens do pé direito. Único no segmento, o sistema híbrido do RX 450h sincroniza um bloco 3.5 V6 a gasolina com um motor gerador elétrico, sem embraiagens ou caixa pelo meio. O resultado é progressivo e linear como o de uma caixa CVT, com o V6 num, aparente, esforço interminável. Corre o risco de se tornar cansativo em condução empenhada, mas no quotidiano nem se dá por ele.

Estamos no modo Sport, dos quatro disponíveis, aquele que mais potencia a sonoridade do motor. Pressionando o seletor ativa-se o modo Normal e rodando para a esquerda o modo Eco. Neste, o sistema híbrido privilegia a carga das baterias de 288 V acomodadas sob os bancos traseiros e permite fixar a média ponderada nos 7,8 l/100 km. O quarto modo de condução é o tradicional EV, para circular em cidade apenas com o esforço dos motores elétricos. Em estrada, as diferenças de andamento entre os três modos que utilizam o motor térmico, são muito ténues, com a resposta sempre pronta. Os travões acabam por ser sobrecarregados perdendo rapidamente eficácia. Já a suspensão segura razoavelmente os movimentos da carroçaria, contribuindo para uma condução segura, mesmo nas zonas mais encadeadas.

VEREDITO

Verdadeiro compêndio de tecnologia, o RX 450h destaca-se pelo conforto e pela disponibilidade do conjunto híbrido de 313 CV. Não tem concorrentes diretos, mas o preço é superior ao das principais alternativas premium.