Teste Mercedes Marco Polo: Quem precisa de hotel?

Texto: Nuno Fatela
Data: 22 Abril, 2019

Temo nome de explorador e foi mesmo isso que mostrou ser. Estivemos ao volante da Mercedes Marco Polo e ficámos na dúvida sobre qual a melhor solução de alojamento para as próximas férias…

Os hotéis são a principal escolha das pessoas quando vão de férias, mas cada vez mais são vistas nas estradas as alternativas a esta forma de “veranear”. E se as autocaravanas são uma opção muito particular e com alguns handicaps, existem “derivados” de outros modelos que cumprem todas as necessidades com nota máxima. Estivemos em Barcelona ao volante de uma delas, a Mercedes Marco Polo. “Nascida” a partir da Classe V, mas totalmente equipada para partir à conquista do mundo sem qualquer constrangimento, a carrinha campista da Mercedes tem ainda uma vantagem: todo o luxo que a marca da estrela coloca em cada automóvel…

Autocaravana ou Marco Polo?

Qual a primeira grande vantagem comparativamente às autocaravanas? A altura, pois ao contrário destes veículos de grandes dimensões, a diferença entre os 1928mm de altura da Classe V e os 1980mm da Marco Polo é mínima. Isso significa que facilmente pode ficar parado numa garagem privada ou pública com limite de altura de dois metros. A mudança entre V e Marco Polo resulta da cama superior que se projeta quando o automóvel está parado. É verdade que aqui temos “apenas” uma cama e que o espaço não é enorme, mas serve perfeitamente para as necessidades de descanso depois de um dia de trabalho. Qual a única ressalva a fazer? A necessidade de estar em boa forma física para aceder ao espaço…

 

Não é apenas na altura que o Mercedes Marco Polo consegue ser uma alternativa mais natural ao automóvel quotidiano que uma autocaravana. O mesmo acontece com as restantes dimensões, algo que facilita bastante a sua condução. Não temos um enorme furgão para andar a circular entre curvas e, comparativamente à Classe V que testámos, a diferença de 2180kg para 2487kg pouco se faz sentir.

Para isso é fulcral a capacidade do motor Diesel de quatro cilindros com 239 cv (300d), que surge combinado a uma caixa automática de nove velocidades G-Tronic. Obviamente o Audi e-Tron que testámos recentemente é “outra música”, mas podemos dizer que no Marco Polo se sente muito menos as 2,5 toneladas do que acontece no SUV elétrico germânico. Terminámos com uma média pouco acima dos 9.0l/100km, ainda longe dos 6,9l/100km anunciados pela marca, mas com o modelo a mostrar-se bastante ágil para o peso que tem.

 

Qualquer condutor que tenha uma boa noção do espaço do seu automóvel, mesmo sem hábitos de condução dos “furgões”, consegue facilmente manobrar o Mercedes Marco Polo em terrenos mais sinuosos. Para isso também ajuda a posição mais alta de condução (se as pessoas elogiam a visibilidade dos SUV, os furgões podem ser uma moda no futuro…) e o facto de não termos um veículo bastante largo. Para que fique bem claro, o Marco Polo (e o Classe V) não é o modelo mais largo da gama de passageiros da marca da estrela. O novo GLS, que acaba de sair, tem 1956mm de largura, mais 30mm que a “camper van”. Portanto, pode-se conduzir praticamente como qualquer outro ligeiro de passageiros, mas com muito mais visibilidade.

Hotel ou Marco Polo?

Está pronto para pagar um ‘balúrdio’ só para poder acordar a ver o nascer do sol perfeito sobre o mar ou no topo das montanhas? Esqueça… Basta parar a sua Marco Polo no “postal” perfeito e tem tudo o que precisa para férias tranquilas. E realmente tudo, já que com a referida cama superior e o rebatimento dos bancos traseiros ficamos com espaço para quatro pessoas viverem agradavelmente.

 

Efetivamente não se trata apenas de dormir. Qualquer pessoa com bons contactos no osteopata pode fazer isso num ligeiro de passageiros com generosa habitabilidade. Falamos mesmo de viver. Admitimos que não foi possível experimentar a cama superior, mas tivemos oportunidade de confirmar que a cama no “piso térreo” nada fica a dever no conforto a alguns hóteis por onde passamos. Tanto no espaço como no conforto. Afinal, a maior parte do “colchão” é o bastante confortável banco traseiro da Marco Polo, que se rebate ao simples toque de um botão.

Viver a bordo da “camper van” significa também que temos uma casa sobre rodas. Frigorífico, fogão a gás (com botija de cinco litros das habituais camping gaz, passe-se a publicidade a esta marca) e um lavatório para poder dizer não aos copos e pratos de plástico são alguns dos atributos. Tal como um chão em madeira onde podemos andar de pantufas ou mesmo descalço (e mais fácil de limpar que alcatifas ou outros materiais) e vários espaços de arrumação para que tenha o armário sempre num primor. Tudo isto encontramos a bordo da Marco Polo. E pode estar descansado, não precisa de andar de cócoras a bordo, a altura interior também merece nota positiva.

 

Esta carrinha é verdadeiramente multifuncional. Basta rodar os bancos do condutor e ‘pendura’ (na verdade, foi a operação mais complicada que encontrámos a bordo da Marco Polo) para termos uma agradável sala de estar onde podemos estar à vontade a conversar ou simplesmente a descansar depois de um dia bem passado ao ar livre.

Já sabe que tem onde dormir confortavelmente, onde cozinhar e onde descansar com toda a tranquilidade. Portanto, falta saber… onde tomar banho. Este é o maior problema. Apesar de poder equipar um chuveiro na retaguarda, permitindo tomar banho ao ar livre num estilo mais “naturalista”, a verdade é que o reservatório de água está pensado principalmente para a utilização dos equipamentos interiores. Não tem muita capacidade e também não tem esquentador, portanto prepara-se para um bom banho de água fria…

 

Se esquecer este ‘handicap’, pois pode sempre fazer umas paragens em parques de campismo ou optar pelos chuveiros das praias para tirar a sujidade num estilo mais ‘liberal’, vai seguramente descobrir uma forma de fazer férias com muito mais liberdade. Está farto do lugar onde decidiu passar férias? Basta rodar a chave e escolher na navegação do MBUX o seu destino seguinte. Não há problemas de ter hotel reservado para mais dias.

Além disso, é necessário não esquecer que esta é uma forma bem mais barata de fazer férias. Se estiver num quarto sem cozinha vai ter de gastar o dinheiro para as refeições fora (o que, em zonas turísticas, significa por vezes preços inflacionados sem a correspondente qualidade). Ao que junta ainda todos os euros que poupa logo de início com o alojamento!

Se por acaso os 67.852€ da Mercedes Marco Polo 300d o deixam assustado (V220d [163cv] – 61.382€; V250d [190cv] – 65.134€), há que referir que este é um modelo multifuncional, que pode ser usado no dia-a-dia com toda a tranquilidade. Temos um “cockpit” verdadeiramente Mercedes e ao nível da restante gama de modelos de passageiros da marca, tanto nos materiais como nas tecnologias, o que significa que, excluindo os habituais preconceitos relativos aos furgões, este não tem de ser um veículo guardado na garagem apenas para as ocasiões especiais.

Se ficou convencido, comece a escolher os seus destinos e prepara-se para uma forma mais livre e em perfeito contacto com a natureza para as suas férias. A chegada a Portugal as novas Classe V e Marco Polo está planeada já para maio. Boas férias…

 

Veja também:

Nova Mercedes Classe V chega em maio
Descubra em vídeo o novo Mercedes CLA Coupé
A história do Mercedes Classe G
Mercedes-AMG GLC 63 renova-se e faz recorde em Nurburgring
Ensaio Completo Mercedes C220D – Ainda mais forte

 

Partilhar