Mobieco

Rimac C Two luta pelo lugar cimeiro dos superdesportivos

Texto: Nuno Fatela
Data: 6 Março, 2018

No concorrido mundo dos modelos de altas performances a luta é sempre aguerrida, mas o fabricante croata mostrou um modelo capaz de lutar pela liderança neste segmento. Presente no Salão de Genebra, o Rimac C Two vai atingir os 100km/h em menos de dois segundos.

Por incrível que possa parecer, um acidente até pode ser bom para determinadas marcas. Foi o que aconteceu com a croata Rimac. Apesar de já ser conhecida devido ao seu primeiro automóvel, o potente Concept_One, foi com o incrível espetanço de Richard Hamilton aos comandos deste modelo que ficou sob a luz da ribalta. E é bom que o apresentador britânico tenha cuidado se quiser experimentar o novo superdesportivo elétrico deste fabricante, pois o Rimac C Two é ainda mais agressivo.

Com uma produção que estará limitada a 150 unidades, o modelo apresenta-se no Salão de Genebra com uma furiosa motorização, composta por quatro propulsores elétricos e que anuncia 1914cv e 2300Nm. Cada um deles surge conetado a uma transmissão específica, as da frente com uma relação e as traseiras com duas velocidades. De forma a oferecer ainda maior dinâmica e controlo para toda esta força bruta, a Rimac optou por um sistema de tração integral com softwares responsáveis pela vectorização de binário.

E performances de topo são a promessa, num nível similar ao anunciado pelo futuro Tesla Roadster, de que promete ser um enorme adversário. Isto porque os tempos de aceleração anunciados são bastante parecidos, com o croata Rimac C Two a demorar apenas 1,97 segundos a acelerar até aos 100km/h (ao nível do seu rival americano). Este bólide elétrico estará nos 300km/h em apenas 11,8 segundos e a velocidade máxima fica situada nos 412 km/h.

O Rimac C Two anuncia uma autonomia de 650km, algo para que recorre a um pack de baterias com 120kWh formado por células de formato cilíndrico com lítio, manganésio e níquel. Estes componentes encontram-se integrados num monocoque em fibra de carbono, material também utilizado para o teto e que se encontra ainda exposto em diversos locais da carroçaria e do habitáculo. O estilo do modelo sublinha as suas capacidades com vários apêndices aerodinâmicos, onde se incluem os difusores dianteiros e na retaguarda, a asa traseira e as entradas de ar integradas no capot.

Tendo em conta o historial da marca acima referido (embora sem que ela tenha tido qualquer culpa), não admira que ela destaque as múltiplas assistências de segurança integradas. Isto porque o Rimac C Two recorre a uma combinação entre oito câmaras, dois sensores Lidar, seis radares e ainda 12 sensores ultrassónicos para sistemas como a travagem de emergência com capacidade para fazer manobras evasivas.

Partilhar