Revisão das peças do carro – quando deve ser feita

Texto: Redação
Data: 15 Julho, 2019

A longevidade dos componentes do veículo é muito variável, mas existem alguns prazos recomendados de manutenção. Saiba aqui quais são, geralmente, os intervalos de revisão das peças do carro

É habitual ouvir dizer que ter um automóvel é quase como ter um filho, já que ele exige atenção constante. O que, de certo modo, acaba por ser verdade. Tal como os pequenos precisam de diversos cuidados, também o seu “bebé de quatro rodas” precisa sempre um olhar atento. Para saber como proceder e ao que deve ter atenção, aqui ficam os intervalos recomendados de revisão das peças do carro. Descubra, a cada momento, quais os componentes a que deve prestar maior atenção na viatura…

Óleo do Motor e Filtro - Habitualmente deve ser mudado a cada 15.000km. recorde-se também de ver regularmente o nível, pois alguns fabricantes recomendam que se reabasteça o óleo entre os intervalos das revisões programadas
Pastilhas de travão - Recomenda-se a mudança a cada 10.000km. Sons agudos e vibrações ao travar, ou um aviso no painel de instrumentos, indicam que chegou o momento de trocar as pastilhas
Escovas - Normalmente devem ser mudadas a cada 12 ou 24 meses, depois do final do Verão. Listras com água ou sujidade que permanecem e vibrações ou ruídos durante a limpeza são indicadores de que chegou o tempo de "reformar" as escovas
Pneus - Quando estão a perder os rastos (menos de quatro milímetros de profundidade) devem ser mudados. Além disso, não devem ser utilizados por mais de quatro anos. E se conduz poucos quilómetros, este intervalo de mudança deve ser reduzido
Alinhamento da direção - Também se recomenda que esta operação seja feita a cada 10.000km, de forma a garantir precisão no comportamento do carro. E ajuda a reduzir consumos e desgaste dos pneus
Filtro de Ar - Garante que as impurezas que existem no ar não são enviadas para o motor, onde se acumulariam e causariam problemas. Deve ser mudado a cada 15.000km
Filtro de Combustível - Tem a mesma função do anterior filtro, mas evitando sujidades agregadas à gasolina ou gasóleo. A sua revisão depende das indicações dos fabricantes, variando entre 15.000km ou mais de 60.000km
Filtro do habitáculo - É o terceiro filtro que habitualmente se muda a cada 15.000km. Serve para purificar o ar interior, e por evitar que bactérias e fungos entrem para o habitáculo a sua substituição não deve ser ignorada
Recarga do Ar Condicionado - Na teoria, por ser um sistema estanque, nunca seria necessário recarregar. Mas a indicação habitual é de mudança a cada 24 meses, ou quando deixa de fornecer ar frio. A sua "manutenção" passa por ligar o A/C entre 15 a 20 minutos, pelo menos uma vez por mês
Bateria - É um dos casos em que não há uma previsão certa. Mas depois de três ou quatro anos comece a colocar de parte o dinheiro para uma bateria nova. Dificuldade a arrancar é uma pista de que o fim está próximo...
Luzes - Mais um caso sem prazo de vida definido. Mas deve ter atenção, pois as multas de conduzir sem luzes não são simpáticas e pode ser impedido imediatamente de circular. Caso tenha de trocar uma das lâmpadas, o melhor é trocar logo o par, pois pode evitar um regresso à oficina em pouco tempo
Velas - Depende das indicações dos fabricantes (desde cerca de 40.000km até mais de 100.000km) e dos materiais em que são fabricadas. As velas de Iridium ou platina duram mais que as "convencionais", prolongando o prazo entre mudanças
Correia de Distribuição - Depois dos 100.000km deve ter atenção ao estado deste componente. Caso esteja muito desgastado ou com alguns cortes, é melhor mudar. Porque, se ela partir e não tiver uma faceta de MacGyver, vai quase de certeza ficar apeado...
Válvula EGR - Alguns aconselham a que seja mudada, ou pelo menos desentupida, a cada 80.000km. Se começar a sentir cheiro a combustível, maiores consumos, aumento da temperatura e sons parecidos a "pancadas" no motor (especialmente em baixas rotações), pode ser esta a causa
Filtro de Partículas - Dão problemas especialmente a quem faz poucos quilómetros ou circula em engarrafamentos, pois o carro não atinge a temperatura que precisa para fazer sozinho a regeneração do filtro
Existem soluções, como fazer ocasionalmente percursos mais longos a velocidades acima dos 70 km/h para ativar a regeneração. Ou aditivos de limpeza. Mas a partir dos 120.000km devem ser vistos com maior regularidade e podem precisar de ser substituídos (e nunca, por lei, removidos...).
Abrir mensalmente o capot para ver o óleo (até se existem fugas), o estado dos bornes da bateria e o nível do líquido de refrigeração pode avisá-lo de problemas, reduzindo os custos de reparação. Além disso, nunca ignore luzes de aviso no painel de instrumentos