Mobieco

Publicidade

Já a partir de 2030. Renault tornar-se-á 100% elétrica na Europa

Texto: Redação
Data: 17 de Janeiro, 2022

A decisão está tomada: a partir de 2030, a Renault vai comercializar apenas carros elétricos na Europa. Já para a subsidiaria Dacia, os planos indicam que esta transformação deverá ocorrer mais tarde, de forma a manter a sua estrutura de preços acessíveis.

Depois da Fiat, Ford e Peugeot, entre outras, também o catálogo da Renault, na Europa, vai passar a ser totalmente constituído por veículos elétricos. A revelação foi feita à Automotive News Europe pelo próprio Luca de Meo, diretor executivo do grupo Renault, acrescentando que a transformação terá lugar já em 2030.

Segundo o mesmo responsável, esta medida faz parte da estratégia maior de transformação do Grupo Renault, que tenciona lançar 24 veículos novos até 2025 e reinventar a marca Alpine, tornando-a uma marca desportiva totalmente elétrica.

Naquela que é já uma tendência entre os construtores automóveis, também o Renault Group acaba de anunciar que se tornará uma marca 100% elétrica, na Europa, já a partir de 2030
Naquela que é já uma tendência entre os construtores automóveis, também o Renault Group acaba de anunciar que passará a comercializar apenas carros elétricos, na Europa, já a partir de 2030

No entanto, para a subsidiaria Dacia, o plano é outro. De forma a manter a sua estrutura de preços acessíveis, de Meo planeia adiar a transição para a Mobilidade Eléctrica, possivelmente para depois de 2030 e dependendo das condições. Isto, para que a marca romena possa manter a sua estrutura de preços “acessíveis”.

LEIA TAMBÉM
Renaulution. A Revolução na Renault

O anúncio da decisão agora conhecida, relativamente ao Grupo Renault, surge numa altura em que a companhia prepara o lançamento no mercado do novo Mégane E-Tech, do Renault 5, e do crossover compacto Renault 4. Modelos a que se seguirão dois novos EV, em princípio, já para 2025.

Recordar que a tomada de posição agora adoptada pelo CEO do Renault Group surge pouco tempo depois do principal responsável pelo Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento do Renault Group, Gilles Le Borgne, ter criticado a intenção da União Europeia de proibir a venda de veículos híbridos no espaço europeu, até 2035. Dizendo que 2040 seria um prazo mais realístico, dada a taxa de desenvolvimento das infraestruturas e o custo relativo dos veículos elétricos hoje em dia.

O novo Renault 5, 100% elétrico, é um dos modelos com que a marca do losango conta, para fazer a transição para a Mobilidade 100% elétrica na Europa
O novo Renault 5, 100% elétrico, é um dos modelos com que a marca do losango conta, para fazer a transição para a Mobilidade 100% elétrica na Europa

 “Temos a obrigação de participar nesta transformação” rumo à neutralidade de carbono em toda a indústria, defendeu, em declarações reproduzidas pelo Automotive News, Luca de Meo. Fundamentando, precisamente aí, a necessidade de acelerar a transição para os veículos elétricos.

Com a divulgação oficial dos resultados comerciais e financeiros, relativos a 2021, prevista apenas para 18 de fevereiro, Luca de Meo não deixou de defender que plano estratégico apresentado no início de 2021 tem vindo a ser implementado, tendo já levado a uma redução de dois mil milhões nos custos fixos, ao mesmo tempo que as vendas de veículos híbridos subiram para 60 por cento do volume total. Já o tempo de desenvolvimento de novos produtos, foi reduzido em 25 por cento.