Quanto custa entrar na Fórmula 1?

Texto: Nuno Fatela
Data: 23 Janeiro, 2019

Foram revelados os valores pagos por cada uma das equipas na nova época, que variam consoante os resultados obtidos no ano anterior. Com a organização a receber cerca de 15,2 milhões de euros, saiba quanto custa entrar na Fórmula 1…

A Federação Internacional do Automóvel (FIA) factura, este ano, cerca de 15,2 milhões de euros só com as inscrições das dez equipas que participarão no Mundial de F1 de 2019. A Mercedes será a principal contribuinte, na sua qualidade de campeã, com um total de 655 pontos, pagando 27,6% do total do bolo. É o preço do sucesso… Desde 2013 que todas as equipas têm de pagar um valor base de meio milhão de dólares (cerca de 480 mil euros), a que se soma depois um extra, em função do seu desempenho na época anterior. Com uma «penalização» para o campeão… Enquanto a Mercedes pagou mais 5760 € por cada ponto somado, as restantes equipas desembolsaram «apenas» 4799 €. As contas chegaram a estes valores que, comparados com os pagos há um ano, permitem uma comparação directa entre a qualidade das épocas de 2017 e 2018…

 

As despesas de inscrição ficaram assim ordenadas:

Mercedes: 
– 2019: 4,2 milhões de euros
– 2018: 4 milhões de euros

Ferrari: 
– 2019: 3,2 milhões de euros
– 2018: 2,8 milhões de euros

Red Bull: 
– 2019: 2,5 milhões de euros
– 2018: 2,1 milhões de euros

Renault: 
– 2019: 1 milhão de euros
– 2018: 712.000 euros

Haas: 
– 2019: 926.000 euros
– 2018: 667.000 euros

McLaren: 
– 2019: 777.000 euros
– 2018: 590.000 euros

Racing Point: 
– 2019: 730.000 euros
– 2018: 1,3 milhões de euros

Sauber: 
– 2019: 710.000 euros
– 2018: 476.000 euros

Toro Rosso: 
– 2019: 638.000 euros
– 2018: 694.000 euros

Williams: 
– 2019: 514.000 euros
– 2018: 830.000 euros

 

Recorde-se que, no caso da Racing Point, não significa que a última época tenha sido pior que a de 2017. Apenas que, ao ter mudado de designação, em finais de Agosto, no G.P. da Bélgica, perdeu todos os pontos já somados pela Force India (59). Ou seja, por causa disso perdeu bastante dinheiro em prémios mas, em compensação, também pagou menos de metade em inscrição do que teria pago se os pontos tivessem contado todos… Mesmo assim, certamente que a equipa de Silverstone teria preferido somar os 111 pontos que lhe teriam dado o 5.º lugar no Mundial, a «morder» a Renault.

 

Artigo escrito em colaboração com o F1Flash