Publicidade

PSA confirma regresso ao mercado indiano

Texto: Nuno Fatela
Data: 25 de Janeiro, 2017

Tal como tínhamos avançado nos últimos dias, o grupo liderado pelo português Carlos Tavares assinou um acordo com a CK Birla para o retorno a este mercado, onde planeia vender os seus automóveis a partir de 2020.

No início desta semana o jornal Les Echoes anunciou que o grupo PSA (detentor das marcas Peugeot, Citröen e DS) se preparava para anunciar o regresso à India, como lhe noticiámos neste artigo, e agora o fabricante gaulês confirmou a aposta neste mercado em franca expansão. O retorno será feito através de uma parceria com o gigante industrial indiano CK Birla, e foi explicado que este acordo conjuga as ideias delineadas pelo plano “Push to Pass”, delineado por Carlos Tavares para o fabricante gaulês, com a estratégia de crescimento do grupo indiano no sector automóvel. Para tal será feito um investimento inicial de 100 milhões de euros para a produção de automóveis e motores, e foi indicado que nestas futuras propostas, que serão comercializadas a partir de 2020, serão utilizadas “tecnologias de ponta para uma nova gama de modelos que sejam seguros, respeitadores do meio ambiente e que cumpram as normas industriais e expetativas dos clientes”.

A produção inicial será de 100.000 veículos, mas foi indicado que esta capacidade poderá crescer progressivamente de acordo com o aumento das vendas. A produção de propulsores será, no entanto, superior, já que os motores não serão apenas utilizados nos modelos da PSA e CK Birla mas também em viaturas de outros fabricantes. O regresso ao mercado indiano, uma das estratégias para o crescimento das vendas da PSA no plano Push to Pass, é sem dúvida um passo importante, já que foram comercializados nesta nação três milhões de automóveis em 2016. Um registo que significa que só o mercado automóvel da India já tem vendas equivalentes a 20% de todo o mercado europeu, mas com perspetivas de crescimento bastante encorajadoras, pois espera-se que neste gigante asiático sejam comercializados entre 8 e 10 milhões de viaturas em 2025.