Porsche obrigada a recall de 60000 SUV

Texto: Nuno Fatela
Data: 20 Maio, 2018

A suspeita da existência de um software de alteração de emissões surge após uma alegada fraude cometida por outra marca do grupo VW, a Audi.

Depois de na última semana ter sido noticiada a possível existência de um novo sistema ilegal de alteração de emissões nos modelos da Audi, outra marca do Grupo VW vê-se agora envolvida numa suspeita similar. Trata-se da Porsche, que foi agora obrigada pela autoridade federal dos transportes da Alemanha, a KBA, a chamar às suas oficinas 60.000 exemplares do Macan e do Cayenne. Mas este recall poderá ser futuramente alargado a 125000 veículos comercializados globalmente, já que ele destina-se inicialmente apenas aos automóveis comercializados em solo germânico.

 

Esta suspeita recai sobre o motor Diesel V6 de três litros que está sob o capot de 52831 unidades do Macan, a que se juntam 6755 Cayennes com o V8 4.2L também a gasóleo. Segundo as autoridades, os dois SUV podem estar equipados com softwares ilegais que alteram as emissões de óxidos de nitrogénio, o que seria uma situação similar ao defeat device que deu origem ao Dieselgate. Poderá ter sido a própria Porsche a despoletar o caso, pois foi a marca que avisou as autoridades em fevereiro sobre o facto de ter encontrado irregularidades em testes de emissões, segundo noticia a Automotive News, com base num artigo difundido inicialmente pelo Der Spiegel. Questionada pelas duas publicações, a Porsche não emitiu qualquer declaração sobre o caso.

Partilhar