Polestar2 é o “anti-Model 3”

Texto: Nuno Fatela
Data: 27 Fevereiro, 2019

Um preço e uma autonomia similares aos rival americano são alguns dos trunfos com que o Polestar2 quer superar o Tesla Model 3

Depois de se ter apresentado ao mundo com um modelo híbrido, chegou finalmente o primeiro modelo 100% elétrico da Polestar. O que significa cumprir o destino traçado para a marca, de ter apenas automóveis de emissões 0 e com generosos níveis de performances. E este novo emblema nem se preocupa em esconder qual o seu objetivo, afirmando que o novo Polestar2 é “o primeiro elétrico a competir na mesma faixa de mercado que o Tesla Model 3”. Para tal, anuncia um preço-base na Alemanha de 39.900€ (em linha com os 35.000$ do modelo americano), a que se junta no primeiro ano uma Launch Edition avaliada em 59.900€.

A base para o Polestar2 é a plataforma CMA utilizada pela Volvo, o que permitiu acomodar sob o piso as baterias com 78kWh de capacidade. Com esta base a ajudar também a reduzir os ruídos e vibrações (são menos 3,7dB em comparação com uma plataforma tradicional), este fastback equipa dois motores elétricos, com potência combinada de 300kW (408 cv) e 600Nm. Conseguindo atingir os 100 km/h em menos de cinco segundos, a autonomia deste modelo está situada nos 500km. A Polestar anunciou ainda que, para quem deseje explorar ao máximo o potencial do seu novo modelo, existirá ainda um pack Performance para o chassis, que contempla amortecedores da Ohlins, travões da Brembo e jantes de 20”. E ainda elementos estéticos como os cintos em cor dourada.

Esteticamente, o Polestar2 é um fastback elétrico de linhas onde a singular grelha, goste-se ou não, seguramente capta as atenções de todos. A frente é ainda caracterizada pela assinatura visual muito parecida ao ‘Martelo de Thor’ dos Volvo, surgindo ainda muitas semelhanças nas óticas traseiras entre este Polestar e os modelos da marca sueca. Do exterior são ainda destacadas as janelas “de assinatura”, com envolvência a negro.

A bordo a maior novidade é a estreia mundial do infotainment Android, algo que permite contar com apoios como o Google Assistant e, importante para um veículo elétrico, o Google Maps com suporte para saber onde carregar a viatura. Além disso, existe ligação à Play Store, permitindo obter mais aplicações para o automóvel, que se configura como um ambiente digital altamente adaptável (algo para que também contribui a concentração de quase todas as operações em ecrãs). Tratando-se de um “automóvel Android”, o Polestar2 beneficia ainda de soluções mais alargadas para a utilização do smartphone como chave do veículo.

Após a estreia mundial no Salão de Genebra, na próxima semana, o Polestar2 vai fazer um périplo por diversos países para se mostrar a potenciais interessados. A entrada em produção está marcada para o próximo ano, em instalações situadas na China, de onde deverá ser expedido para os vários mercados selecionados. De momento Portugal não está de momento contemplado, mas a Polestar anunciou que vai nos próximos tempos alargar a lista de nações onde comercializará os seus modelos.

 

Veja também:

Porque usa a Polestar foguetes num crash-test?
Este é o Polestar 1 de 600cv
Polestar recorre em força à fibra de carbono

 

Partilhar