Os truques dos fabricantes para as provas de emissões

Texto: Redação
Data: 17 Abril, 2018

Um estudo de organizações de consumidores europeias revelou que existe um conjunto de subterfúgios permitidos para as avaliações com os novos ciclos de testes. Veja quais os truques dos fabricantes para as provas de emissões.

Está em destaque num meio de comunicação social espanhol um conjunto de alterações permitidas aos veículos de homologação que são submetidos aos novos testes de emissões. Como tem sido noticiado, há uma diferença notória nos registos em laboratório ou em estrada real dos modelos. Para minimizar esta situação, existe um conjunto de truques dos fabricantes para as provas de emissões WLTP, que ajuda a suavizar as diferenças ao aproveitar alguns subterfúgios existentes no diploma legal. Um estudo de organizações de consumidores europeus revela mesmo que existem diferenças relativamente a vários modelos, que superam os limites estabelecidos em diversos dos gases emitidos pelo escape. A organização explica que escolheu os mesmos laboratórios para os testes, mas com a diferença de utilizar veículos saídos diretamente dos concessionários ao invés dos que são fornecidos, já “com preparação das marcas”, para as homologações.

Desligar o alternador
Aumentar a pressão dos pneus
Utilizar lubrificantes especiais
A introdução dos novos testes já contempla exceções. Até 2019 os valores em estrada não podem estar acima do dobro do laboratório, e em 2021 o máximo que podem exceder é 50
Estudos recentes de organizações de consumidores revelam que com os novos WLTP grande parte dos carros atuais supera os limites.
65% supera os limites de CO2
27% está acima no NOx
41% não cumpre os registos máximos de micropartículas

Fonte: AutoBild.es e OCU

Fotos de arquivo

Partilhar