Os Jipes mais importantes da história – O Mercedes Classe G

Texto: Redação
Data: 25 Maio, 2018

O Mercedes Classe G – O ícone

Se existe um modelo que incorpora toda a mística dos puros off-roaders, como eram vistos os jipes clássicos, ele é o Mercedes Classe G. E usamos a expressão no presente, “incorpora”, pois mesmo na nova geração essa imagem dura de um explorador que não pode ser parado permanece inalterada. E, tendo em conta que a Mercedes é uma das marcas que tem vindo a apostar num visual moderno especialmente nos modelos mais recentes, este é um facto emblemático. Significa precisamente que o Classe G não precisa de mudar, ele resiste à passagem dos tempos com uma imagem que mostra precisamente aquilo que os seus clientes desejam, uma garantia de que nada os vai fazer parar. E por isso é, com exceção do Unimog, o modelo com mais tempo de produção na marca com o mesmo nome, preparando-se para celebrar 40 anos de vida em 2019.

Com uma história muito associada à exigente pista de montanha austríaca localizada em Schockl, onde tem vindo a ser testado ao limite desde 1979, o Classe G é um verdadeiro caso à parte na marca germânica. Foi desenvolvido a partir de 1972, numa parceria entre a Daimler e a Steyr-Daimler-Puch (hoje Magna Steyr) como veículo militar, segundo algumas fontes por ideia do Xá do Irão. Mas acabou depois por ser lançado como uma versão civil. E em boa altura, pois desde então tornou-se num verdadeiro ícone que pouco mudou ao longo da história.

Apesar de manter inalterado o design exterior e algumas características mecânicas, como o chassis de longarinas, a bordo o Classe G é hoje em dia um modelo totalmente moderno, onde nem o painel de instrumentos digital está em falta. Nos motores a história é também genial, pois originalmente surgiu com blocos entre 72cv e 156cv e a geração estreada em 2019 contempla um motor de 422cv no G500 e outro de 585cv no G63.

Mas, dado o estilo único do G-Wagen, as várias divisões da Mercedes não podiam deixar de aproveitar este modelo para versões muito especiais. Além dos mais tradicionais, se assim podemos dizer, G63 (544cv) e G65 (612cv) de 2013, destaque para o singular G63 6×6 (um dos SUVS mais caros do mundo) que, com seis rodas motrizes, leva ainda além as capacidades fora de estrada do modelo. Em 2015 acaba por surgir mais uma curiosa criação com assinatura da divisão de performance, o G500 4×42. Também, devido à exclusividade do Classe G, a Maybach decidiu lançar este ano o G650 Landaulet, apresentado como a mais opulenta e luxuosa forma de andar a bordo de um SUV com capota em lona. Estava limitado a 99 exemplares.

Uma das mais interessantes histórias na vida do Classe G foi escrita em 1983 por Jacky Ickx, que levou o 280 G à vitória desse ano no Dakar. Outro facto curioso é que o modelo, também de utilização por forças militares, estará ao serviço de Portugal, com fotos que documentam como o Mercedes Classe G está integrado no nosso Exército.