Os jipes mais importantes da história – Nissan Patrol

Texto: Redação
Data: 25 Maio, 2018

Nissan Patrol – Mil Caras

É um dos mais emblemáticos jipes de sempre e mesmo após sair da gama da marca para solo nacional continuam a ver-se muitos exemplares do Nissan Patrol a cruzar as estradas (e a terra batida, pedras, rios, …) portuguesas, dada a sua imensa capacidade fora de estrada. A marca afirma mesmo, num documento, que este automóvel tem sido há mais de meio século um credível exemplo de capacidades 4×4, podendo ser encontrado em campos, montanhas e até no subterrâneo, minas em todo o mundo. Demos-lhe o nome de mil caras pois assumiu múltiplos nomes ao longo da sua história, tendo até ganho novos emblemas como os da Datsun e da Ebro. Mais um exemplo disso é o facto de ter ganho uma nova “roupagem” para ser vendido como modelo de luxo da Infiniti nos Estados Unidos.

Lançado em 1951 na geração 4W60, com inspiração no Jeep Willys, logo na primeira geração que durou até 1960 o Nissan Patrol esteve disponível em versões de três portas, com distância curta entre eixos, e cinco portas e as rodas dianteiras e posteriores mais afastadas. Inicialmente surgiu com motor 3,6L de 85cv e tração integral, mas a renovação em 1955 para 4W61 ofereceu-lhe motores 92cv e 105cv. Exemplo da sua multifacetada vida, esteve desde logo disponível como veículo militar, na variante Nissan Carrier 4W70.

A segunda geração foi a que teve vida mais longa, comercializada entre 1960 e 1987, e mostrou como os antigos jipes eram multifacetados ao estar disponível com três distâncias entre eixos (consoante os mercados), tetos rígidos ou em lona e várias opções de carroçaria. Apesar desta longa vida, foi quando os Patrol 160 e 260 foram substituídos pela geração Y60 que se deu um momento importante para a vida do modelo, pois a troca da suspensão com molas semi elípticas pelas molas helicoidais ofereceu um imenso aumento do conforto do modelo.

 

Após ter estado no mercado entre 1987 e 1997, o Nissan Patrol Y60 deu lugar à geração Y61 que continua a ser comercializada em alguns países. Mas, para outros mercados, deu já lugar ao Y62 no ano de 2010. Um dos momentos mais curiosos na vida, e mais uma demonstração de que este jipe assume diversas personalidades, é o facto de ter sido mesmo apresentado um Patrol Nismo, no momento em que a divisão de performance se deu a conhecer aos povos do Médio Oriente em 2015. Acompanhada no evento pelo GT-R Nismo e pelo 370Z Nismo, esta versão contava com jantes de liga leve de 22’’, alteração na suspensão com molas da Bilstein e um motor de 5,6L com 428cv.

Já ouviu falar do Jonga P60, do Patrol Ebro, do Sanxing Desert King, do Nissan Safari ou do Infiniti QX56? Todos eles são, na verdade, o Nissan Patrol nas suas diversas representações e vidas, o que explica porque escolhemos o nome de “Mil-Caras” para este modelo. Logo na primeira geração este modelo foi conhecido como o veículo militar Jonga P60 na Índia e comercializado como Datsun Patrol nas Filipinas. Na segunda geração este chegou mesmo a ser o único Nissan vendido nos Estados Unidos, através dos stands da Datsun, e foi ainda conhecido como Nissan Safari no Japão e ainda MQ Patrol em outros mercados.

A terceira geração corresponde também ao Sanxing Desert King do mercado chinês, além da Austrália o ter comercializado algum tempo como Ford Maverick. E foi ainda conhecido no mercado espanhol como o Patrol Ebro, antes desta marca ter sido totalmente anexada pelo fabricante nipónico aquando da adesão dos países ibéricos à CEE.

Da atual geração destaca-se o facto de ele ter servido como base para o Infiniti QX56, e do seu substituto QX80. Além disso, passou a ser vendido no mercado americano como Nissan Armada a partir de 2016, substituindo o anterior “Titan” e com capacidade de transportar até 8 passageiros. Além disso, é preciso destacar ainda outro traço essencial do Nissan Patrol, que é o facto dele ser veículo de transporte para vários organismos da ONU em todo o mundo.

Um dos maiores momentos de glória para a atual geração do Patrol surgiu em 2013, quando o modelo alcançou um recorde do Guiness ao rebocar um avião totalmente carregado. Uma verdadeira demonstração de força, pois “levou às costas” um total de 170,9 toneladas ao longo de 50 metros. Um feito que lhe valeu também a designação de “Hero of All Terrain”.

 

Partilhar