Opel Grandland X Hybrid 4 chega em março por 57 670 euros

Texto: António Amorim
Data: 23 Janeiro, 2020

Fomos à Suiça dar uma volta com o SUV da Opel que utiliza a tecnologia híbrida do DS7 Crossback E-Tense 4x4 e que chega a Portugal já em março, com o preço de 57 670 euros.

Não é barato, porque falamos de um carro com três motores, um 1.6 Turbo de injeção direta a gasolina com 200 cv e dois elétricos, um em cada eixo.

O Grandland X Hybrid 4 também só está disponível numa única versão de equipamento de topo Ultimate, com navegação 5.0 Intellilink e ecrã tátil de oito polegadas, sistema de alerta de colisão ativo com reconhecimento de peões, programador de velocidade ativo, alerta de cansaço, reconhecimento de sinais de trânsito e muitos outros elementos tecnológicos de topo, mas sem a suspensão pilotada do “primo” da DS.

Está disponível com o nível de equipamento único de topo Ultimate

O motor elétrico dianteiro está acoplado à caixa automática de oito velocidades e debita 110 cv de potência. O motor elétrico traseiro debita 113 cv e assegura a tração integral elétrica sempre que necessário ou quando o condutor assim o definir, selecionando para isso o modo de condução All-Wheel Drive.

A tração integral está sempre disponível e também pode ser selecionada a qualquer momento pelo condutor através do modo All Wheel Drive

Há mais três modos de condução: o Electric, no qual apenas são utilizados os motores elétricos  e se anunciam 59 km de autonomia com a bateria de 13,2 kWh totalmente carregada; o Hybrid, que faz a gestão automática dos três motores de acordo com as condições e estilo de condução, e ainda o modo Sport, que aproveita todos os 300 cv de potência combinada que o carro consegue, para acelerações de zero a 100 km/h em 6,1 segundos e uma velocidade máxima de 235 km/h (135 km/h no modo elétrico).

Aqui se selecionam os modos de condução do Opel Grandland X Hybrid4

Ultrapassada a autonomia elétrica, o motor a gasolina entra em funcionamento, realizando ele próprio médias que rondam os 7,5 litros aos cem.

O ecrã central dá-nos toda a informação, incluindo a relativa a médias de consumo

Durante este primeiro contacto confirmámos a suavidade e silêncio de funcionamento do grupo propulsor híbrido, que connosco conseguiu assegurar cerca de 36 km no modo elétrico puro, com temperaturas exteriores negativas e por isso com aquecimento (elétrico) ligado e bancos aquecidos.

O Grandland X Hybrid 4 tem a bateria de iões de lítio alojada debaixo do banco traseiro, ao lado do depósito de combustível de 43 litros. O facto de ter um motor elétrico no eixo traseiro e um diferencial rouba-lhe a parte inferior da bagageira, que assim fica com 390 litros disponíveis com os bancos na sua posição normal.

A bateria de iões de lítio tem 13,2 kWh de capacidade e está arrumada debaixo do banco traseiro, ao lado do depósito de combustível de 43 litros

Para os primeiros cem quilómetros nos quais conta com 59 km de zero consumo de gasolina, a marca anuncia uma média de 1,4 litros aos cem (32 g/km de CO2).

O carro tem um carregador de bordo monofásico de 3,7 kW, existindo em opção um de 7,4 kW, com o qual se consegue uma recarga total em cerca de duas horas. Com o carregador incluído de série a recarga demora quatro horas. Se for ligado a uma tomada doméstica de 1,8 kW a bateria exige um pouco mais de sete horas para recarregar por completo.

Com uma potência de carga de 7,4 kW o Grandland X demora cerca de duas horas a carregar por completo a bateria

Também é possível, durante a condução, guardar a carga da bateria para usar mais tarde, selecionando a função e-Save.

O Grandland X também terá disponível uma versão híbrida de tração apenas dianteira, que chega ao mercado nacional em abril. Debita 224 cv e vai custar cerca de 10 mil euros menos que este 4x4.

A Opel está neste momento a definir se a versão 4x4 vai ou não conseguir encaixar-se na Classe 1 das portagens nacionais.

Saiba mais em https://www.opel.pt/carros/grandland-x/hibrido.html