Publicidade

Novo Kia Picanto chega a Portugal

Texto: Marco António
Data: 10 de Abril, 2017

Kia Picanto 

Um novo carro urbano chega a Portugal

A Kia continua imparável na renovação da sua gama de modelos. Desta foi a vez do Kia Picanto, um carro urbano que acaba de chegar a Portugal…

Esta é a terceira geração do modelo mais pequeno da marca coreana, agora com uma nova plataforma, a mesma que o Hyundai i10 irá usar mais tarde. O pequeno Picanto luta por um segmento que, não sendo tão importante quanto o segmento do Kia Rio ou do Kia Ceed tem muitos concorrentes, alguns deles recentes.

Substancialmente diferente por fora, o estilo urbano está bem patente nas reduzidas dimensões exteriores que, à exceção da distância entre eixos (agora 15 milímetros mais longa) não cresceu. Ao contrário do que acontece noutros segmentos, nos carros mais urbanos a tendência é para manter as dimensões ou até reduzi-las, o que se compreende para um carro destinado a andar na cidade, onde quanto mais pequeno melhor, por ser mais fácil de arrumar e mais ágil. A agilidade foi um dos aspetos que mais melhorou nesta nova geração do Picanto, graças a uma direção mais direta e, como a distância entre eixos aumentou, as rodas estão agora mais encostadas à parte dianteira do carro o que pressupõe menos peso à frente com as vantagens que isso tem para uma condução mais agradável. Também o aumento da rigidez das barras estabilizadoras e pequenas alterações na suspensão, permitiu controlar melhor o rolamento da carroçaria.

Positivo é também o bom isolamento do habitáculo agora mais acolhedor e com mais opções em termos de equipamento, mas não tão grande como seria de prever pelo aumento da distância entre eixos. Em compensação a mala cresceu dos 200 para os 255 litros, um valor que coloca o Kia Picanto no primeiro lugar do pódio do seu segmento.

Para acompanhar o melhor comportamento dinâmico a Kia propõe três motorizações. Duas que transitam da anterior geração (1.0 e 1.25) e o novovo motor 1.0 T-GDi de 101 CV, previsto chegar lá mais para o final do ano. Entretanto deixou de haver a versão GPL, bem como a carroçaria de 3 portas. Em contrapartida a transmissão conta agora com uma caixa automática. Neste primeiro contacto experimentamos a versão 1.0 de 67 CV, com caixa manual de 5 velocidades, uma solução económica e agradável de utilizar.

Entre os níveis de equipamento encontra-se uma novidade, o GT Line, para além dos habituais LX e EX. O preço da versão mais barata com a campanha de 1400 euros, custa 11 720 euros, um preço que se situa na média dos concorrentes, com vantagem de oferecer mais equipamento. Para além da pintura metalizada, as únicas opções são o sistema de navegação e a travagem autónoma de emergência. Outra grande vantagem é a garantia de 7 anos ou 150 mil quilómetros. Outra novidade é a oferta do valor do IUC no primeiro ano. A diferença de preço entre a versão manual e automática é de 2150 euros.