Publicidade

Michelin assegura gestão da manutenção dos pneus da frota dos CTT

Texto: Carlos Moura
Data: 3 de Maio, 2021

A Michelin passou a assegurar a gestão da manutenção dos pneus da frota de pesados e ligeiros de mercadorias dos CTT. A empresa também decidiu apostar em pneus recauchutados para minimizar o impacto da sua atividade sobre o ambiente.  

A Michelin vai passar a assegurar a gestão da manutenção dos pneus da frota de pesados e ligeiros de mercadorias dos CTT para permitir a total mobilidade dos veículos, onde quer que se encontrem.

O acordo prevê a implementação de uma gestão profissional dos pneus da frota própria dos CTT, para garantir não só uma maior duração dos mesmos, mas também um menor consumo quer dos próprios pneumáticos como também de combustível, reforçando simultaneamente a segurança das pessoas e da mercadoria transportada.

Através de inspeções preventivas, a Michelin conta com uma longa experiência na gestão e otimização dos pneus, contribuindo para o aumento da segurança dos veículos das empresas que trabalham com a marca, assim como a redução de custos,

No caso concreto da manutenção dos pneus veículos pesados dos CTT, todas as operações são realizadas pelos centros de serviço da rede da Michelin. 

As operações de manutenção compreendem inspeções de caráter preventivo, realizadas periodicamente aos pneumáticos de cada veículo com o objetivo de verificar o desgaste, a pressão e o estado geral.

A informação detalhada de cada viatura da frota permitirá aos CTT terem o acesso, em cada momento, aos indicadores operacionais dos pneumáticos, designadamente a data de intervenção, altura de borracha, pressão e serviços efetuados.

Além disso, a rede de assistência em estrada ‘On Call” da Michelin garante a minimização das imobilizações dos veículos em caso de incidente. 

Aposta em pneus recauchutados

Os CTT também têm vindo a optar pela utilização de pneus recauchutados para minimizar o impacto da sua atividade sobre o ambiente. O prolongamento da via do pneu através da recauchutagem permite reduzir o número de pneumáticos novos e preservar cerca de 50 quilogramas de matérias-primas em cada recauchutagem Michelin. 

Cada pneumático recauchutado necessita apenas, em média, de 20 quilogramas de material, isto é, menos 70% do que as matérias-primas necessárias para produzir um pneu novo. 

LEIA TAMBÉM Michelin.
Sete novas referências na gama X Multi para camiões

Este acordo com a Michelin permitirá aos CTT obterem uma redução anual de emissões de dióxido de carbono de aproximadamente 100 toneladas, equivalente a cerca de um milhão de quilómetros percorridos por um ligeiro de passageiros em território nacional ou a 3200 viagens entre Lisboa e Madrid, também num veículo ligeiro.

Os CTT possuem uma das maiores frotas em operação no nosso país, dispondo de 3851 veículos em regime de exploração direta, contratando ainda serviços de transporte a terceiros. A empresa conta ainda com 335 veículos de baixas emissões, maioritariamente elétricos que correspondem atualmente a 9% da frota total da empresa.