Mobieco

Mercedes EQC desvendado: começou a ofensiva elétrica

Texto: Nuno Fatela
Data: 4 Setembro, 2018

Foi apresentado o primeiro modelo da submarca de veículos elétricos do fabricante germânico, o Mercedes EQC. Este é um SUV sem emissões poluentes e com tração integral, que recorre a dois motores para obter 408cv e que promete uma condução dinâmica. 

“A mobilidade elétrica já tem um Mercedes”. Este é o mote para a chegada de um modelo que a marca da estrela afirma ser pioneiro nesta área, através de uma combinação entre elegância, luxo e dinamismo, e que vem dar início a uma ofensiva para a qual já estão prometidos outros automóveis como o compacto Mercedes EQA.

A uma imagem que mistura a filosofia de design “Progressive Luxury” com os cânones da submarca criada para os modelos de emissões 0, precisamente a EQ, este veículo adiciona novos atributos específicos destinados a veículos de emissões 0 e ainda um bem agradável nível de potência, com 408cv obtidos por motores colocados nos dois eixos. A produção do Mercedes EQC será alocada à fábrica de Bremen, a partir de 2019, desconhecendo-se ainda qual o momento em que será aberta a sua comercialização.

 

Um estilo diferente…

O SUV elétrico da Mercedes anuncia generosas dimensões, onde se destacam desde logo os 4761mm de comprimento, 1884 mm de largura e ainda 1624 mm de altura. A isto juntam-se as medidas que têm impacto na habitabilidade, onde se enfatiza a distância entre eixos de 1625mm. E além de transportar os ocupantes, surgem ainda mais 500l de capacidade na bagageira.

Com uma carroçaria que fica a meio caminho entre os SUV e os SUV Coupé, a dianteira do Mercedes EQC assinala imediatamente a sua natureza diferente. O traço mais marcante está no painel que substitui a habitual grelha, em tons pretos e azuis como assinatura de estilo EQ, que está envolvida por uma faixa de fibra ótica que se mescla com a assinatura visual diurna dos grupos óticos.

A bordo temos também características diferentes, com o que é designado como “um visual eletrónico de vanguarda”. Assim, o Mercedes EQC conta com elementos como as saídas de ar com envolvência em rosé-dourado, e onde a apresentação dos elementos será marcadamente diferente. Isto porque no MBUX haverá grafismos específicos, com elementos como o status de carga e o fluxo de energia. Existe mesmo um menu específico para todas estas informações, facilmente acessível através de uma tecla no painel de controlo inferior esquerdo do MBUX.

 

A este visual diferente surge também um conjunto de soluções inteligentes e pensadas para otimizar as viagens de emissões 0. É o caso da navegação otimizada EQ, que planeia a rota tendo em conta a sua rapidez, mudanças durante a viagem e o menor tempo de carregamento possível.

Potência eletrizante

Apesar de tudo, será preciso percorrer mais de 450km antes de pensar em ligar o Mercedes EQC à ficha, pois esta é a autonomia oferecida pela bateria de iões de lítio com 80kWh de capacidade. Ela servirá para alimentar, com um consumo anunciado de 22kWH/100km, os motores elétricos colocados sobre os dois eixos que oferecem 408cv de potência e 765Nm de binário. E que seguramente estão aptos para conduzir em todos os cenários, já que a extensa fase de testes passou por ambientes extremos de calor, em Espanha, e também de frio extremo, na Suécia.

 

Com uma velocidade máxima que está limitada a 180 km/h, é anunciada uma capacidade de aceleração até aos 100km/h em apenas 5,1 segundos. Um valor já bem interessante, bastando para isso pensar que apenas o pack de baterias significa um peso de 650kg e o peso total do SUV supera as duas toneladas.

Referência ainda para as capacidades de carregamento do Mercedes EQC, que pode passar de 10% para 80% da carga em apenas 40 minutos, quando utilizada uma ligação rápida a 110KW. No caso de se optar por uma tomada doméstica a ligação é mais lenta, mas em alternativa é disponibilizada uma WallBox da marca que acelera para o triplo a velocidade a que se “abastece” o Mercedes EQC em ambiente doméstico. E encontrar um local para fazer a ligação ao carregador de bordo OBC refrigerado a água com capacidade de 7,4kW não será difícil, pois o primeiro EQ consegue ligar-se a diferentes pontos de carga, o CCS e o CHAdeMo.

Com todas estas características que garantem ampla liberdade de movimento aos que optam pela mobilidade elétrica, bastará escolher agora qual o modo de condução no Mercedes EQC. E existem cinco possibilidades para escolha, já que aos pré-programados Comfort, Eco, Max Range e Sport se junta ainda uma modalidade personalizável. Mas isso apenas poderá ser testado a partir de 2019, quando entrar nas linhas da fábrica da marca da estrela em Bremen o primeiro modelo da gama com que ela pretende revolucionar a mobilidade elétrica. Quando a preços e datas de início de comercialização do Mercedes EQC, será necessário esperar mais algum tempo para conhecer todos os pormenores.

Partilhar