Publicidade

Mercedes-Benz. Classe A e B em vias de perder 1.5 Diesel da Renault?

Texto: Redação
Data: 16 de Outubro, 2020

Produto resultante da joint-venture com o fabricante automóvel francês Renault e que a marca alemã tem vindo, de resto, a aplicar em vários dos seus modelos, a Mercedes-Benz pode, no entanto, estar em vias de colocar um ponto final na utilização do pequeno quatro cilindros 1.5 Diesel, tanto no Classe A, como no B.

A primeira indicação de que a Mercedes-Benz poderá, mesmo, seguir este caminho, resulta de uma decisão que deverá ser tomada ainda este mês e que, segundo avança a publicação francesa L’Argus, passa, precisamente, para retirada deste motor, daquela que é a oferta, em termos de motorizações, no Classe A e Classe B.

Ainda de acordo com a mesma fonte, disponível, manter-se-á, apenas, o CLA 180d, naquela que é a sua atual configuração, embora não por muito tempo. Sendo que, quando isso acontecer, o 1.5 dCi de origem Renault, denominado OM608, continuará apenas em propostas comerciais como o próximo Citan, ou ainda o MPV compacto T-Class.

Mercedes-Benz CLA 180d
Mercedes-Benz CLA 180d

Quanto aos Classe A e B, a solução encontrada é a troca do 1.5 dCi, que inclusivamente já deixou de ser produzido para a Mercedes no final de setembro, por um novo 2.0 litros Diesel, denominado OM654q. O qual anunciará a mesma potência do bloco francês – 116 cv -, além de um binário ligeiramente melhor, de 260 para 280 Nm.

Outra novidade é a introdução de uma nova caixa automática de dupla embraiagem de oito velocidades, que terá por missão substituir a atual caixa de sete velocidades.

Ainda de acordo com a mesma fonte, este novo 2.0 litros emitirá um pouco mais de CO2 que o bloco francês, passando dos atuais 129 para 147 g/km, embora melhorando, igualmente, a capacidade de aceleração dos 0 aos 100 km/h, que assim passa dos 10,5 segundos, para 10 segundos.

LEIA TAMBÉM
Mercedes CLS veste-se com novas cores e tecnologia para 2021

Todas estas mudanças, as quais aguardam ainda confirmação oficial,  deverão tornar, também, tanto o Classe A, como o Classe B, mais caros, embora tal também não tenha sido ainda confirmado pela Mercedes-Benz.  Algo que, porém, só deverá ter lugar mais perto do lançamento destas novas versões.

De resto, estas novas versões deverão começar a ser produzidas em dezembro, com as primeiras entregas a terem lugar, muito provavelmente, já em 2021.