Mobieco

Publicidade

A anunciar um ambiente deslumbrante. Mercedes-Benz mostra interior do EQS

Texto: Francisco Cruz
Data: 2 de Abril, 2021

A preparar cuidadosamente o lançamento do seu futuro modelo porta-estandarte 100% elétrico, a Mercedes-Benz acaba de divulgar, o interior do já muito aguardado EQS. Topo de gama que, de acordo com as imagens agora divulgadas, promete seguir as tendências do mercado, desde logo, no que concerne aos ecrãs digitais e de alta definição.

Anunciando um ambiente que facilmente poderá ser descrito como deslumbrante, a verdade é que, a exemplo do que já acontece nos modelos mais modestos da marca, o Mercedes-Benz EQS faz dos ecrãs digitais, e nomeadamente de um impressionante ecrã parte do sistema de infoentretenimento MBUX, o seu elemento mais arrebatador!

Proposto, segundo avança, desde já, a marca da estrela, em duas versões, a opção mais impressionante é, como não poderia deixar de ser, o opcional Hyperscreen que as imagens revelam, graças não somente às suas 56 polegadas (1,41 m), dispostas num formato curvo, e que vai praticamente de pilar a pilar, fundindo, aparentemente, três ecrãs sob uma superfície de vidro e que a Mercedes diz ser resistente a riscos.

Destes três ecrãs, fazem parte o display do condutor, com 12,3″, o ecrã central OLED com 17,7″ e o display OLED diante do passageiro da frente, com 12,3″ – em conjunto, um enorme painel digital!

LEIA TAMBÉM
Apontado ao Tesla Model S. Mercedes apresenta referência EQS a 15 de abril

Com o propósito de todo o painel se tornar mais sensitivo, um total de 12 sensores espalhados sob a superfície, oferecendo um toque hepático com feedback táctil e de força. Ou, dito de outra forma, sempre que um dedo toca em determinados pontos dos ecrãs, estes despoletam uma vibração tangível à superfície.

Quando não em uso, o Hyperscreen pode, ainda, exibir várias imagens de fundo, as quais funcionam em sincronia com a iluminação ambiente espalhada pelo habitáculo.

A segunda opção

No entanto e para quem não pretender uma solução tão vanguardista – e, certamente, menos cara -, o EQS pode exibir, igualmente, uma opção mais convencional e muito semelhante à existente no Classe S.

Esta segunda opção é composta por um ecrã flutuante de 12,3″, enquanto painel de instrumentos para o condutor, a que se soma, depois, um ecrã táctil de 12,8″, disposto na vertical, enquanto parte do sistema de infoentretenimento. Sendo que, o restante do tablier, opta por um revestimento que pode ser, por exemplo, em madeira ou numa outra qualquer superfície, com aplicações metalizadas.

De resto, a Mercedes optou por seguir o mesmo caminho, no que aos bancos dianteiros diz respeito, propondo duas hipóteses: uma solução standard e mais confortável, ou então, uma variante de bancos mais desportivos, com encostos de cabeça integrados, e que são disponibilizados em conjunto com o pacote AMG Line.

Independentemente do tipo de tablier escolhido, garantida está sempre a “presença” daquela que será a próxima geração do MBUX, o qual inclui a já bem conhecida assistente digital, pronta para responder à frase-chave “Olá, Mercedes”. Sistema baseado em Inteligência Artificial que garante uma série de funcionalidades, desde explicações sobre praticamente tudo o que diz respeito ao veículo, até ajudas relacionadas com o exterior. Isto, graças à inclusão de um CPU de oito núcleos, 24 GB de RAM e 46,4 GB por segundo de largura de banda de memória RAM.

Autenticação biométrica… e “Power Nap”

A par deste predicado, o EQS vem ainda equipado com câmaras de reconhecimento do rosto, e que, entre outras funcionalidades, garantem autenticação biométrica, aviso de fadiga e ajuste automático dos retrovisores exteriores em função do condutor. Já para não falar no acréscimo de um scanner de impressão digital, e que serve para autenticação do condutor em questão.

Nesta apresentação, a Mercedes-Benz revelou, ainda, que o EQS conta com um filtro que consegue filtrar toda a poeira fina, micro-partículas, pólen e outras substâncias, impedindo a sua entrada no habitáculo, assim como com um sistema de som Surround Burmester de 710W e 15 altifalantes, e que é também responsável pela reprodução do som da condução, no interior do veículo.

A par de tudo isto, o futuro modelo 100% elétrico porta-estandarte da Mercedes, conta, ainda, com a funcionalidade denominada ‘Power Nap’, que, com as suas três fases – adormecer, a dormir e acordar -, está pensada para os momentos de descanso.

Assim e uma vez accionado o ‘Power Nap’, o EQS dá início à primeira fase, movendo o assento do motorista para uma posição de descanso, fechando as janelas laterais e persianas, e ativando a ionização do ar fresco e a recirculação, além de ajustar a iluminação ambiente. Sons suaves e a representação de um céu estrelado no visor central ajudam a adormecer.

Chegado o momento de despertar, ou seja, a terceira fase, o momento é acompanhado de uma “paisagem sonora agradavelmente ativadora, fragrância apropriada, bem como uma massagem sutil e brevemente ativa, além de ventilação do assento”.

A terminar, o assento é colocado na sua posição normal e a cortina do teto em vidro é aberta.

Aspectos técnicos ficam para uma segunda fase

Infelizmente, no segredo dos deuses, continuam os aspectos técnicos relacionados com este EQS, ainda que, com a Mercedes-Benz a prometer uma excelente aerodinâmica, graças às linhas esguias que os protótipos já denunciam.

Certa, de resto, parece ser, também, a possibilidade do modelo 100% elétrico poder vir a ser proposto com baterias de várias capacidades, a maior das quais, a anunciar 108 kWh. O que, acrescente-se, deverá permitir uma autonomia acima dos 700 quilómetros, já segundo o novo ciclo WLTP.

A par deste argumento, o veículo também deverá contar com a funcionalidade Plug & Charge, o que permitirá ao EQS comunicar com as estações de carregamento, via cabo de carga.

Ainda assim, muitas mais novidades ficam por descobrir, após este semi-levantar do véu, o que leva a manter alta a expectativa, para o próximo dia 15 de abril, data em que terá lugar a apresentação oficial e definitiva, do Mercedes-Benz EQS.