Mercedes-AMG GLC 63 renova-se e faz recorde em Nurburgring

Texto: Nuno Fatela
Data: 18 Abril, 2019

Os 7:49.369 da versão Mercedes-AMG GLC 63S servem de cartão de visita para o renovado SUV, já que significam o melhor tempo de sempre no ‘Ring’ para um modelo deste segmento

Melhorado em todas as vertentes. É assim que surge agora o renovado Mercedes-AMG GLC 63, SUV que recorre a um motor V8 biturbo (único da sua categoria) para dar asas à emoção. E isso mesmo ficou já comprovado no mais exigente circuito do mundo, o infernal Nurburgring, onde ele terminou a volta com o recorde para o segmento SUV. O relógio parou nos 7:49.369, o que significa cerca de menos 2,4 segundos para completar o Nordschleife que o Alfa Romeo Stelvio.

Aprimorar o estilo

Na estética foram introduzidos novos grupos óticos, jantes de 20”, novo revestimento para as ponteiras de 90mm do escape e ainda uma nova cor cinza grafite. A marca destaca ainda outras características do Mercedes-AMG GLC 63, como a grelha de generosas dimensões para alimentar de ar o interior do capot, as projeções no guarda-lamas, embaladeiras laterais e, na traseira, o largo para-choques e o difusor integrado.

 

A bordo uma das maiores novidades é o MBUX, com controlos vocais e por gestos (através da leitura de uma câmara 3D) para tornar mais intuitivo o funcionamento. E o evoluído infotainment conta com uma “área reservada AMG”, onde constam opções como warm-up, G-Force e Engine. Além disso, está também integrado o AMG Track Pace, uma novidade da marca para aprimorar a condução em circuito que foi estreada com o AMG 4 Portas. O novo volante AMG, com patilhas e botões táteis para funcionamento mais intuitivo, e os bancos opcionais AMG Performance com maior apoio lateral são outros dos destaques a bordo.

 

Ligação simbiótica

A ligação entre o comportamento do carro e o condutor é gerida com os vários modos de condução: Slippery, Comfort, Sport, Sport +, Individual e, para o Mercedes-AMG GLC 63S, o RACE. Eles atuam com o controlo dinâmico ‘AMG Dynamics’, que está programado para Basic, Advanced, Pro e, no GLC mais potente, o Master.

E por mais potente falamos do 63S com 510cv (5500-6250 rpm) e 700Nm (numa ampla faixa entre 1750 e 4500 rpm). Com menos 50Nm e 34 cv, o GLC 63 de 476cv e 650Nm é uma opção “mais calminha”… Até porque a sua velocidade máxima é de apenas 250 km/h, contra os 280 km/h do 63S. De referir ainda que nesta versão de topo estão contemplados os apoios dinâmicos do motor, que reduzem as vibrações do conjunto propulsor-transmissão. E, falando do bloco, este é o único SUV do seu segmento com um V8 biturbo, recorrendo ao motor de quatro litros desenvolvido no ‘Hogwarts’ da Mercedes, a mágica casa da AMG em Affalterbach.

A marca destaca a colocação dos dois turbos deste motor entre as bancadas de cilindros, o que significa que o seu formato fica mais compacto e o tempo de resposta é melhorado. A força gerada pelo motor é depois transmitida através da caixa AMG Speedshift MCT 9G, que pode ser operada por controlo manual através das referidas patilhas no volante.

Tanto o SUV mais veloz de sempre em Nurburgring como o seu “mano” de 476cv surgem de origem com o sistema 4MATIC com transmissão totalmente variável do binário. Como explica a marca, isso é feito através  “da embraiagem de controlo eletromecânico que liga variavelmente o eixo traseiro de tração permanente ao eixo dianteiro”. E, falando da gestão da eletrónica para melhorar o comportamento, o Mercedes-AMG GLC 63 contempla ainda o bloqueio eletrónico do diferencial que funciona nos modos ESP On, Off e Sport Handling.

A suspensão pneumática escolhida é a AMG Ride Control, com quatro braços na dianteira e um multi-link específico na retaguarda. Daqui resultou uma maior largura de vias em comparação ao AMG “regular”. A suspensão a poder ser ajustada em três níveis distintos (Comfort, Sport e Sport+), através dos botões táteis no volante AMG ou da consola central. Já a direção progressiva altera o feeling entre Confort e Sport.

Qual o resultado de toda esta mecânica de topo? O relógio a assinalar os 7:49.369 deixa uma resposta bem clara…

Veja também:

Mercedes A35 enfrenta Mégane RS na Turbo 452 – já nas bancas
Mercedes GLC atualizado para 2019
GLB é o novo SUV da Mercedes
Na Nazaré com Garrett MacNamara, Hugo Vau e os SUV da Mercedes
CLA Coupé chega em maio