Publicidade

Mégane RS Trophy, o RS mais potente de sempre

Texto: Miguel Policarpo
Data: 19 de Julho, 2018

O dia de hoje começa com uma esplêndida novidade: o Renault Mégane RS Trophy. Os gauleses revelaram este que é o carro de produção da Renault Sport mais potente de sempre. Um modelo que promete “morder os calcanhares” do Honda Civic Type R!

Depois de apresentar o Renault Mégane RS no ano passado, a marca francesa apimenta o desportivo com a versão Trophy. Aguardado com expectativa, o rótulo ‘Trophy’ eleva a potência do modelo para os 300cv, graças à adoção de “tecnologias pioneiras”, em especial no que respeita ao turbocompressor e ao sistema de escape. O resultado está à vista: o carro de produção mais potente de sempre do departamento RS. As encomendas iniciam-se no outono e as entregas estão marcadas para o inverno.

Comparativamente ao Mégane RS, a versão Trophy aumenta a potência do motor de 1.8l turbo em 20cv (para os 300cv) e incrementa o binário em 30Nm (420Nm), no caso da caixa automática EDC, e em 10Nm (400Nm) se escolhida a transmissão de caixa manual. Para alcançar estas melhorias, os engenheiros da Renault concentraram as atenções na eficácia do turbocompressor, recorrendo a uma tecnologia utilizada na Fórmula 1. A turbina – que roda a uma velocidade de aproximadamente 200,000 rpm – foi montada num rolamento de esferas de cerâmica. A utilização deste material ajuda a limitar as fricções e a reduzir o peso. Esta tecnologia permite também dividir (por três) a fricção quando comparada à película de óleo habitualmente utilizada, resultando numa diminuição do tempo de resposta do turbocompressor.

Para complementar as alterações no turbo, o novo Renault Mégane RS Trophy adotou uma nova linha de escape. Melhorando o desempenho do motor, este componente integra, na panela de escape traseira, uma válvula mecânica que influencia a sonoridade. Funciona da seguinte forma: quando a válvula está fechada, os gases de escape seguem uma trajetória delimitada de forma a filtrar as baixas frequências, que originam o som “rouco”, e a tratar das frequências médias. Assim, a sonoridade é desportiva mas confortável para uma utilização diária do automóvel. Quando a válvula está aberta, a menor resistência à passagem dos gases permite que os mesmos efetuem um trajeto mais direto. “Abrem-se os pulmões”, e todo o potencial desportivo do motor fica bem audível.

O novo Renault Mégane RS Trophy recebeu ainda a tecnologia 4Control. Este sistema de quatro rodas direcionais contribui para a agilidade em curvas apertadas e a estabilidade em curvas rápidas. A baixa velocidade, as rodas traseiras viram no sentido oposto ao das rodas dianteiras, oferecendo uma direção mais direta. A alta velocidade, todas as rodas apontam para o mesmo sentido, promovendo o equilíbrio. Esta versão do desportivo incorpora o “chassis cup”, que se distingue do “chassis sport” por integrar um diferencial autoblocante mecânico Torsen, amortecedores 25% mais rígidos e molas 30% mais firmes e ainda barras estabilizadoras mais rígidas em 10%. O sistema de travões conta com discos dianteiros bimatéria, que apresentam uma redução de peso de 1,8kg por roda e oferecem uma melhor dissipação do calor.

As alterações estéticas passam pelas listras alusivas à versão Trophy, inspiradas no F1, e o desenho específico das jantes de 19”. O habitáculo inclui novos bancos Recaro, sendo que a estrutura do banco do condutor foi desenvolvida para transmitir uma atmosfera ainda mais desportiva. A Renault enfatiza que esta conceção oferece ao condutor uma posição ao volante até 20mm mais baixa. Estes assentos são revestidos por tecido Alcântara.

Ainda não são conhecidos preços para o novo Renault Mégane RS Trophy, uma proposta que chega aos clientes neste inverno.