Mais de duas pessoas morrem nas estradas a cada minuto

Texto: Nuno Fatela
Data: 12 Dezembro, 2018

Foi revelado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) o Relatório Mundial da Segurança Rodoviária, onde se pode ler que, em média, morrem mais de duas pessoas por minuto devido à sinistralidade rodoviária. E são também assinaladas as fortes discrepâncias nas estatísticas entre os países mais ricos e mais pobres do mundo.

A OMS revelou na última semana o seu relatório “Global Status on Road Safety”, um documento que vem assinalar alguns dados importantes sobre o impacto da sinistralidade rodoviária. Esta é mesmo considerada a maior causa de morte nas crianças e jovens entre os 5 e os 29 anos, que assim contribuem fortemente para um total de 1,35 milhões de pessoas que falecem em acidentes e outros problemas de trânsito a cada ano. Isto significa que morrem mais de duas pessoas nas estradas a cada minuto, com a média a indicar que 2,5 perdem a vida a cada 60 segundos.

Anualmente morrem 1,35 milhões de pessoas nas estradas de todo o mundo.
Os últimos dados globais remontam a 2016, e significam um crescimento em comparação às estatísticas anteriores, de 2013.
Esta é considerada a maior causa de morte para crianças e jovens entre os 5 e os 29 anos em todo o mundo
Os dados da OMS referem uma média de 18,2 mortes por cada 100.000 habitantes em todo o mundo.
A Europa é a região mais segura do planeta. Aqui a média desce para apenas 9,3 mortes por cada 100.000 habitantes
A África e Sudoeste Asiático são as regiões onde a sinistralidade rodoviária é mais alta
Entre as mortes, a nível global, 29% ocorrem em veículos de quatro rodas, 28% em veículos de duas rodas, 23% são peões e 3% ciclistas. Não existem dados exatos relativos aos restantes 17%.
Este relatório mostra também a discrepância existente entre os países mais ricos e os mais pobres.
Apesar de apenas 1% dos carros de todo o mundo circular nos países mais pobres, nestas nações ocorrem 13% das mortes nas estradas
As economias intermédias, que representam a maior parte do globo, têm 59% dos carros do planeta e são responsáveis por 4/5 das mortes
Nos países desenvolvidos circulam 40% de todos os automóveis. Mas aqui as mortes apenas são 7% do total global
Existem também alguns dados concretos sobre Portugal
É destacado o cumprimento, no nosso país, dos mais altos patamares de exigência para algumas das maiores causas de sinistralidade rodoviária
Como na generalidade do continente europeu, Portugal respeita as diretrizes respeitantes à condução sobre o efeito de alcool (média inferior a 0.5 g/l), ao uso de capacete e de cinto de segurança, e ao transporte de crianças com menos de 10 anos

Os dados são também claros relativos à diferença entre os Estados mais ricos e mais pobres. Apesar das nações com menor riqueza representarem apenas 1% dos veículos que circulam nas estradas, as estatísticas mostram que 13% das mortes ocorrem nestes países. Fica ainda demonstrado que a Europa é a região com menor sinistralidade rodoviária, com um total de 9,3 mortes por cada 100.000 habitantes, metade da média mundial de 18,2 falecimentos. Para ver os principais dados do relatório da OMS, navegue entre as fotos da galeria deste artigo…

 

Veja também:

Estes são os carros mais seguros da Europa em 2018

 

Fonte: OMS

Partilhar