Incrível coleção de carros do filho do ditador da Guiné-Equatorial em leilão

Texto: Nuno Fatela
Data: 26 Junho, 2019

Esperam-se pelo menos doze milhões de euros angariados para projetos de cariz social na Guiné-Equatorial através da venda em leilão dos carros do filho de Teodoro Obiang, uma coleção onde se incluem máquinas como o Lamborghini Veneno Roadster ou o Koenigsegg One:1

A vida dos ditadores e das suas famílias costuma, infelizmente, envolver sempre muitos luxos obtidos às custas do dinheiro que devia ser gasto com a população dos países que lideram. Agora surge mais um exemplo disso, mais precisamente com a incrível coleção de carros do filho de Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, o ditador que lidera a Guiné-Equatorial desde 1979. Tendo em conta que Obiang chegou a ser considerado pela Forbes como o oitavo governante mais rico do mundo, percebe-se logo que esta coleção de carros não é composta por citadinos e utilitários…

São verdadeiramente de exceção os modelos que se encontram nesta lista. A começar, um dos mais raros Lamborghini de sempre: o Veneno Roadster, versão descapotável do modelo criado para celebrar os 50 anos da marca. Depois outro dos superdesportivos mais exclusivos que existem: o Koenigsegg One:1. E a lista dos carros do filho do ditador da Guiné-Equatorial continua com altas doses de exclusividade, falando-se da presença do superhíbrido McLaren P1 num chamativo amarelo, um Aston Martin One 77, um Maserati MC12, um Porsche Carrera GT e ainda um Mercedes-Maybach. Como seria de esperar, também não faltam modelos da Ferrari: um Enzo, um LaFerrari, um 599 GTO e um F12 tdf.

Tendo em conta que os modelos foram apreendidos em duas ocasiões, em 2012 e 2016, subsiste ainda uma dúvida. Teria o filho do ditador Obiang apenas um Bugatti Veyron, ou será antes um Veyron normal e também um exemplar do Veyron Super Sport? As informações obtidas não permitem ainda confirmar. Mas é seguro que os carros foram apreendidos na Suiça, sendo de louvar o que país alpino vai agora fazer com o valor angariado. Estima-se que a coleção acabe por valer 12 milhões de euros, que depois serão aplicados em projetos sociais na Guiné-Equatorial num processo conduzido pelas autoridades helvéticas.

 

Fonte: CarScoops e GT Spirit

Partilhar