Mobieco

A incrível aventura de 13000km de um Nissan Leaf

Texto: Nuno Fatela
Data: 30 Setembro, 2017

Não foi fácil a jornada do primeiro veículo elétrico a cumprir a maratona do Rali da Mongolia, entre o Reino Unido e o Extremo Oriente. Isso mesmo se comprova pelas  insólitas soluções que foram necessárias para recarregar as baterias deste maratonista Nissan Leaf dos “Plug-In Adventures”.

O Nissan Leaf AT-EV (All-Terrain Eletric Vehicle) tornou-se no primeiro veículo elétrico a cumprir os 12874km do Rali da Mongólia, quase completando uma ligação entre os Oceanos Atlântico e Pacífico. Conduzido pelo casal Chris e Julie Ramsey, conhecidos como os Plug-In Adventures, este modelo tornou-se no primeiro veículo elétrico a concluir esta verdadeira maratona quando cortou a meta no dia 9 de setembro. Para trás ficaram quase dois meses de uma verdadeira aventura, recheada de momentos preciosos, como poderá descobrir no seguimento deste artigo.

12874km – Distância percorrida pela Nissan Leaf no Rali da Mongólia
16900km – Contando com o regresso a Aberdeen, os Plug-In Adventures vão somar quase 17000km nesta aventura
56 – Dias que a equipa demorou a completar a viagem entre Goodwood e Uland-Ude
13 – Países que o veículo elétrico ultrapasssou durante esta maratona
111 – Carregamentos efetuados durante a viagem
26 – Cargas em postos “muito rápidos”
15 – Paragens em pontos de carregamento rápidos
70 – A ligação a tomada doméstica foi a solução mais habitual para dar vida às baterias
1 – “Ligação Direta”. Por uma vez, no meio da Sibéria, o carro foi ligado diretamente a um poste de eletricidade
150 - € gastos em eletricidade durante a viagem
0 – Na maior parte dos carregamentos, a eletricidade foi oferecida ao casal Ramsey
153km – Distância média percorrida entre carregamentos
185km – Distância máxima percorrida entre paragens
6% - A escasa quantidade de eletricidade que restava nas baterias após este “troço” mais longo

Após já terem feito a ligação desde sua casa, em Aberdeen (Escócia), os Plug-In apresentaram-se a dia 16 de julho na linha de partida do Rali da Mongólia em Goodwood, no Reino Unido. Quando completaram o trajeto, em Ulan-Ude, numa zona da Sibéria próxima da fronteira com a Mongólia, terminaram uma viagem de 12874km por treze países, que culminou com uma conta do “combustível” espetacular, pois foram gastos apenas 150€ em eletricidade ao longo do percurso. A esta longa distância haverá ainda que juntar mais 4000km  brevemente, pois quando o carro desembarcar do vagão onde fez o regresso para o Reino Unido os Plug-In Adventures planeiam ainda seguir por estrada ao longo dos 4000km para Aberdeen.

Após uma fase inicial de travessia da Europa sem problemas para carregar o carro, a aventura do Nissan Leaf AT-EV no Rali da Mongólia começou a ser um desafio maior quando o casal Ramsey entrou na Roménia. Daqui para a frente “valeu quase tudo” para carregar as baterias, pois os postos rápidos foram ficando cada vez mais escassos. Foi portanto preciso encontrar alternativas, algumas delas bem peculiares…

Bares, cafés, hotéis, oficinas e concessionários automóveis, uma esquadra da polícia e quatro quartéis dos bombeiros, um salão de exposição de tratores e até uma barbearia juntaram-se a esta aventura, ao permitirem carregar as baterias. Mas o caso mais surreal foi quando, no meio da Sibéria, um eletricista qualificado acabou por “fazer uma ligação direta”, conetando o Leaf AT-EV diretamente a um poste de eletricidade.

Além de raramente ter sido pedido aos Plug-In Adventures o pagamento dos carregamentos, destaque para a simpatia que esta jornada despertou, pois a boa-vontade foi além da eletricidade e inclui também a oferta de comida, bebidas e até alojamento.

Esta imensa aventura também demonstrou a fiabilidade do Nissan Leaf, que apenas teve um furo, uma jante danificada e a pala de um guarda-lamas partido. Durante a maratona do Rali da Mongólia, a maior distância percorrida entre carregamentos foi de 185km, com a paragem a acontecer quando as baterias tinham apenas 6% da sua capacidade, e em média foram percorridos 153km entre paragens. E os  Plug-In Adventures até acabaram por ser embaixadores dos veículos elétricos, quando Chris foi convidado a participar no debate “2017 – A Energia do Futuro” que decorreu durante a Exposição Internacional de Astana, no Azerbaijão.

Partilhar