Guiámos o novo Corolla, que começa nos 21 299€

Texto: António Amorim
Data: 22 Fevereiro, 2019

O carro mais vendido no Mundo entra agora na sua 12ª geração. O momento é solene. A tal ponto, que a Toyota decidiu fazê-lo totalmente de novo e recuperar o nome Corolla. Nova plataforma, novas motorizações, novo habitáculo e, acima de tudo, novo Design.

Fique a conhecer o novo Toyota Corolla, que chega a 16 de março (Operação Portas Abertas da Toyota) ao mercado nacional, nos seus três formatos: hatchback de 5 portas, sedan de 4 portas e carrinha (Touring Sports), todos parecidos mas de design diferenciado, mesmo na zona frontal.

Adeus Auris, olá Corolla

A aparência desta nova coleção de modelos do Corolla rompe por completo com as anteriores. Haverá sempre quem goste e quem não goste, mas afirmação não lhe falta, nem propostas variadas.

 

Ao facto de termos perante nós um sedan de quatro portas com mala atrás, uma carrinha e um compacto de cinco portas disponíveis logo à partida, soma-se a diversidade de motorizações. Três no total, duas híbridas não Plug-in e uma tradicional, todas a gasolina. Neste ponto, a estreia mais importante está na versão de topo, ou seja, no novo 2.0 Hybrid Dynamic Force, equipado com um motor a gasolina de 2.0 litros com quatro cilindros e 143 cv, ajudado por um motor elétrico de 80 kW (107 cv), por sua vez alimentado por uma bateria de hidretos metálicos de níquel. A potência combinada é de 180 cv às 6000 rpm, com um torque de 190 Nm entre as 4400 e as 5200 rpm. Responde em conformidade com os números, como confirmámos.

 

Este passa a ser o conjunto motopropulsor mais refinado da gama, disponível nas versões de equipamento mais elevado (Square Collection, Exclusive e Luxury), tanto no hatchback de 5 portas como na carrinha e com preços a partir dos 32 810€ (Hatchback Square collection).

 

Para ser o primeiro carro do segmento a oferecer duas possibilidades híbridas, o novo Corolla junta a este novo híbrido de 2.0 litros a versão híbrida de 1.8 litros, a partilhar praticamente toda a tecnologia de locomoção com o Prius, mas com afinação específica do software. Neste caso, falamos da conjugação de um motor a gasolina de 1.8 litros também de quatro cilindros e também com dupla injeção (direta e indireta), mas a debitar, em conjunto com o motor elétrico, uma potência máxima de 122 cv e um binário de 142 Nm a partir das 3600 rpm. Face ao 2.o há uma grande diferença na bateria, que aqui é de iões de lítio no hatchback e na carrinha Touring Sports, mantendo-se a de hidretos metálicos de níquel no sedan de 4 portas. A versão 1.8 híbrida mais acessível é a Active de 5 portas, a começar nos 25 990€.

 

As médias de consumo e a redução de emissões poluentes são os grandes objetivos desta dupla de híbridos, com o conjunto de 2.0 litros a anunciar 3,7 litros aos cem (106 g/km de CO2) e o 1.8 litros a ficar-se pelos 3,3 litros aos cem (101 g/km de CO2).

Dimensões Toyota Corolla
Preços: 1.8 Sedan
Preços: 1.8 Hybrid
Preços: 1.2 Turbo
Equipamento Hatchback e Touring Sports

Motor 1.2 turbo com 114 cv

Para quem procura um preço mais acessível e dispensa as tecnologias eletrificadas, a gama disponibiliza o motor a gasolina de 1.2 litros com turbocompressor, tecnologia tradicional disponível nos formatos Hatchback e Touring Sports, desde os níveis de equipamento mais baixos. Assim, encontra-se um Hatchback com o nível de equipamento Active (sem jantes de liga leve nem volante em pele, por exemplo), por 21 200€, o valor mais baixo da tabela.

 

Este é também o único motor que pode adquirir-se associado a uma caixa manual de seis velocidades, enquanto os híbridos estão sempre conjugados, como habitualmente, com uma caixa automática de variação contínua, mais sofisticada e com patilhas no volante no caso do 2.0 híbrido. Para o 1.2 turbo a marca anuncia médias de consumo de 5,2 litros aos cem e 119 g/km de CO2.

 

Nova arquitetura

O novo Corolla utiliza a nova plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture), que já conhecemos do Prius, do C-HR e do novo RAV4. Graças a ela, o Corolla ganhou 60% na rigidez estrutural e 40% de redução de fricção na suspensão, enquanto o centro de gravidade pôde ser rebaixado em 10 mm. Tão importante quanto isso são os ganho em habitabilidade e estabilidade dinâmica, resultantes do aumento da distância entre eixos.

 

A marca destaca no novo modelo o aumento na largura e comprimento, mas uma redução ligeira na altura, enquanto a posição de condução melhorou e a visibilidade também, devido ao estreitamento dos pilares e rebaixamento da linha de cintura. No hatchback o teto panorâmico duplo surge em opção, assim como o maior head-up display (projeção de informações no para-brisas) do segmento.

 

Carrinha versátil

Na carrinha, desenhada especificamente para o mercado europeu, temos uma mala com uma distância entre eixos comparável à do Avensis, um ganho de espaço para as pernas de quem viaja atrás e uma bagageira que, numa situação normal, oferece 598 litros de volumetria, mas rebatendo os bancos pode chegar aos 1606 litros.

 

Está disponível o portão elétrico de abrir com o pé, o fundo da mala tem alcatifa de um lado e plástico lavável do outro, a iluminação da mala é do tipo LED e sob o fundo, no lugardo pneu suplente, também está revestido e cabe lá uma mala de viagem caso o comprador dispense a quinta roda. Para rebater os bancos basta puxar uma pequena alavanca colocada na lateral da mala, situação em que passa a caber na Corolla TS uma bicicleta com ambas as rodas montadas.

Dimensões Toyota Corolla
Preços: 1.8 Sedan
Preços: 1.8 Hybrid
Preços: 1.2 Turbo
Equipamento Hatchback e Touring Sports

Na estrada

Durante o contacto dinâmico que tivemos com o novo Corolla em ambas as versões híbridas, confirmámos uma boa insonorização do motor e do habitual som de arrastamento provocado pela caixa CVT. A posição de condução melhorou de facto e o espaço habitável é notório.

 

A qualidade dos materiais de revestimento é elevada, assim como a qualidade da montagem e solidez geral. As médias de consumo rondaram os 4,8 l/100 km no 1.8 Hybrid e os 5,3 l/100 km no 2.0 Hybrid, conduzindo despreocupadamente num trajeto bastante plano.

O condutor tem ao seu dispor um painel de instrumentos digital configurável, assim como um ecrã central do tipo flutuante, onde encontra todas as informações necessários e controlo dos sistemas de bordo.

 

Junto ao seletor da caixa encontra-se o comutador para os modos de condução Eco, Normal e Sport, cujo efeito se nota na forma como a caixa explora o motor. De resto, o Corolla é um carro vocacionado para o conforto de rolamento e descontração na viagem, e menos para a condução mais agressiva, onde o ruído do motor aumenta mas as emoções nem por isso.

A versão híbrida maior adiciona ainda os modos de condução Sports, Sports+ e Custom, este último a permitir ao condutor configurar cada parâmetro a seu gosto, incluindo a suspensão pilotada, que não estará na gama nacional por uma questão de custos.

 

O novo Corolla também está mais seguro, beneficiando de um sistema de pré-colisão aperfeiçoado, com travagem autónoma de emergência, que agora deteta veículos a velocidades entre os 10 km/h e ao 180 km/h. O sistema também passa a detetar peões tanto de dia como de noite e ciclistas apenas de dia, funcionando a velocidades entre os 10 e os 80 km/h.

O cruise control adaptativo também faz parte, agora com a função autónoma de para-arranca entre os zero e os 30 km/h, enquanto o alerta de mudança de faixa tem intervenção na direção, acima dos 50 km/h. Máximos automáticos, sensor de sinais de trânsito e monitor de ângulo morto com alerta de trânsito por trás também passam a figurar na lista de equipamento do Corolla.

Dimensões Toyota Corolla
Preços: 1.8 Sedan
Preços: 1.8 Hybrid
Preços: 1.2 Turbo
Equipamento Hatchback e Touring Sports

Partilhar