GroBglockner, Calçada da Glória – 70 Anos Porsche

Texto: Redação
Data: 5 Maio, 2019

Consta que o patriarca Ferdinand vinha para esta estrada de montanha testar os primeiros protótipos do carocha. Ferry, o filho, usou o mesmo trajeto para os primeiros Porsche 356. Agora, para comemorar o seu 70º aniversário, a Porsche decidiu subir a GroBglockner com alguns dos seus carros mais emblemáticos, desde o pequeno Spyder ao futurista Mission E

Localização: região fronteiriça entre a Carintia e o Tirol Leste, na Áustria. Foi por esta estrada acima, numa ascensão que culmina a 3798 metros de altitude, que a Porsche decidiu recordar os velhos tempos com alguns dos seus desportivos históricos mais especiais, num evento exclusivo de estrada fechada.

 

O nome diz muito sobre o Porsche 550 Spyder, já que 550 é também o seu peso em quilos. O Primeiro Spyder da Porsche, lançado em 1953, andou nas mãos de James Dean até ao último fôlego de vida do famoso ator de Hollywood, mas não ficou na História só por maus motivos. Também ganhou imensas corridas, incluindo a primeira em que participou (Nurburgring Eifel Race de 1953), mas também as Mille Miglia e Targa Florio, entre outras. O pequeno bólide de duas portas e dois lugares media apenas 3,7 metros de comprimento e estava equipado com um motor boxer de quatro cilindros e 1.5 litros, tendo sido construídas apenas 90 unidades.

 

O Little Bastard e o renascido

Outro dos históricos que tiveram o privilégio de voltar à GroBglockner foi o primeiro Speedster da História, o 356 Speedster de 1954. Embora o modelo que participou no evento tenha um raro hard top amovível, o Speedster era um descapotável, inicialmente concebido para o mercado americano.

O Porsche 911 ST 2.5 que integrou a histórica subida de montanha foi alvo de um intenso e prolongado processo de restauro, levado a cabo pela própria Porsche Classic. Vencedor em Daytona, Sebring, Targa Florio, Nürburgring, Le Mans e outras, o ST 2.5 tem 270 cv de potência extraídos do motor boxer de 2.5 litros. Depois de ter estado perdido durante anos, foi-lhe encontrado o rasto no momento exato para que fosse salvo da sucata e restaurado.

 

Foi descoberto em São Francisco em 2008 por Marco Marinello, um entendido em históricos da Porsche e presidente do Clube Porsche de Basileia. Estava então sem motor nem parte da traseira, com o tejadilho amolgado por um capotamento e num estado geral deplorável. Com a orientação de Marinello, foi adquirido por um colecionador suíço que o deu a restaurar à divisão de clássicos da Porsche.

Dois anos e meio e mais de mil horas de trabalho depois, a unidade recebeu uma pintura original de código 117 no seu caraterístico tom amarelo e subiu ao palco da Techno Clássica de 2016 onde brilhou sob os holofotes. Este exemplar é uma das apenas 24 unidades 911 modificadas para equipas privadas e ainda não tem a famosa cauda de pato que depois surgiria nas versões RS, RSR e Turbo.

O Sport Protótipo

Para fazer a ligação entre o passado e o futuro, coube ao Porsche Mission E subir a montanha alpina no silêncio quase absoluto da sua motorização elétrica de 600 cv. Com tecnologia inspirada no 919 Hybrid vencedor de Le Mans, este sedan de quatro portas e tração integral anuncia uma autonomia superior a 500 km e consegue acelerar de zero a 100 km/h em 3,5 segundos.

 

Também o Porsche 962, o sport protótipo do campeonato FIA Grupo C, pilotado pelo antigo piloto da Supercup Max von Braunmühl , integrou a caravana. Lançado no final de 1984 para substituir o 956, o lendário 962 ficou para a História como um dos carros mais bem sucedidos nas corridas de resistência e especialmente em Le Mans, tendo a sua carreira sido prolongada até meados da década de 90. No total, a Porsche construiu 91 exemplares entre 1984 e 1991.

Outros modelos históricos da marca beneficiaram desta passeio no tempo, incluindo um 911 Carrera utilizado pela polícia austríaca e agora pertencente à coleção privada de Wolfgang Porsche; o 718 RSK que Bob Donner pilotou até ao topo de Pikes Peak em 1959; o 904 Carrera GTS sucessor do 718 e a pesar apenas 615 kg; o lendário 911 SC Safari de suspensão arregaçada para os safaris e ainda o 918 Spyder, com a sua unidade de potência híbrida capaz de desenvolver 887 cv de potência.

 

Artigo publicado na Edição Premium da Revista Turbo 447, de dezembro de 2018. Adquira a nossa edição digital ou assine a Turbo e tenha acesso a mais conteúdos exclusivos

Partilhar