Publicidade

Novo Audi A1 só terá motores a gasolina. Veja o video.

Texto: António Amorim
Data: 21 de Novembro, 2018

O carro mais pequeno da gama Audi perde a versão de três portas e os motores Diesel, mas ganha uma alma nova para combater no exigente segmento dos utilitários de luxo. A qualidade de condução continua referencial.

 

Com chegada a Portugal prevista já para dezembro e ainda sem preços anunciados, a gama nacional do novo Audi A1 terá três motores disponíveis, todos a gasolina e com filtro de partículas:

Audi A1 30 TFSi: 1.0 de três cilindros com 116 cv

Audi A1 35 TFSi: 1.5 de quatro cilindros com 150 cv e tecnologia Cilinder On Demand disponível

Audi A1 40 TFSI: 2.0 de quatro cilindros e 200 cv

Três níveis de equipamento completam a escolha, começando pelo Base, seguido do intermédio Advanced e com o S Line no topo.

Agora a medir 4,03 metros de comprimento por 1,74 m de largura, a segunda geração do Audi A1 partilha a plataforma MQB A0 com o VW Polo, o que se traduz num importante crescimento da distância entre eixos (quase 10 cm), num ligeiro crescimento em comprimento e numa ligeira redução na altura.

Embora se identifique de imediato como um Audi A1, as alterações exteriores são bastante óbvias: nova frente com óticas novas e grelha mais larga e estreita; pilar C mais inclinado e largo; faróis full LED em opção, com luzes traseiras também LED e piscas crescentes em opção.

Há agora dez cores exteriores disponíveis e duas cores contrastantes para o tejadilho.

 

O habitáculo é um dos principais cartões de visita do A1 geração dois e onde se nota que o carro ficou mais “egoísta”, no sentido de estar mais voltado para a satisfação do condutor em primeiro lugar.

A consola central está agora orientada para quem vai ao volante, tendo o tablier um formato mais invasivo do lado do acompanhante. Os materiais de revestimento são macios e com qualidade nas zonas de maior contacto, mas não nas portas, onde há plástico, sólido e resistente, mas plástico.

Todos os Audi A1 recebem instrumentação totalmente digital, sem indicadores analógicos, embora o mais sofisticado digital cockpit configurável só esteja disponível em opção. O ecrã da consola das versões de série tem 8,8 polegadas, sendo o do digital cockpit maior, com 10,25 polegadas.

O aumento da distância entre eixos resultou num ganho importante de espaço para as pernas de quem viaja atrás, enquanto a bagageira dá um salto de 65 litros no espaço disponível, passando a oferecer 335 litros e tornando-se assim numa das maiores do segmento.

Para saber mais sobre o novo Audi A1 veja o video e fique atento à revista TURBO, onde iremos mais ao pormenor.