Relatório Bloomberg New Energy Finance 2019

A meio da próxima década os veículos elétricos serão mais baratos do que aqueles com motor de combustão.
Segundo a Bloomberg, esta vantagem estará não apenas no valor da compra como nos custos de utilização (especialmente pela menor complexidade ao nível de componentes)
Em 2040 os elétricos serão mesmo a força dominante no mercado. Nessa altura vão representar 57% das vendas. Isto significa passar de 2 milhões de unidades vendidas para 56 milhões de carros anualmente
Nessa altura os modelos de emissões 0 já vão representar 30% de todo o parque circulante nas estradas do planeta. Serão mais de 500 milhões de ligeiros de passageiros "a bateria" em todo o mundo
Nesse momento, os veículos elétricos vão representar 70% dos autocarros nas estradas e 30% dos ligeiros de passageiros e comerciais ligeiros. Mas nos pesados de mercadorias ainda só vão ser 20%
Até 2040 os veículos com motor de combustão apresentam tendência inversa. As vendas vão cair de 85 milhões de unidades anuais para apenas 42 milhões
Um dos dados mais importantes é a progressiva descida do custo das baterias. Entre 2010 e 2018 o preço por kWh das baterias caiu 85%
Segundo as contas da Bloomberg, de momento já existem 630.000 carregadores de veículos elétricos em todo o planeta. Em 2012 eram apenas 42.000
O aumento da procura por carros elétricos vai ter efeito similar no consumo mundial de eletricidade, que deve subir em 6,8%
Outra informação importante que foi apurada neste estudo é de que até 2030 a condução autónoma não terá qualquer impacto significativo no cenário de trânsito

Partilhar