Fiat-Chrysler investe forte na produção em Itália

Texto: Nuno Fatela
Data: 1 Dezembro, 2018

Serão investidos 5 mil milhões de euros pela Fiat-Chrysler para garantir o futuro das suas unidades de produção em Itália, que vão aumentar a eficiência, ganhar novos modelos e apostar nos híbridos e elétricos

A Fiat-Chrysler está a apostar forte na produção em Itália, dotando uma generosa verba e diversos projetos às suas fábricas locais. Este extenso programa de modernização, que tem alocado um montante de 5 mil milhões de euros, vai permitir aumentar a eficiência e também as margens de lucro obtidas na produção, contemplando projetos das marcas Fiat, Jeep, Maserati e Alfa Romeo. Para tal serão introduzidos novos modelos, destacando-se os híbridos de Plug-In e elétricos (como o Fiat 500e ou o 500X Plug-In), e será fomentada a utilização de novas plataformas comuns. Os projetos anunciados para as várias marcas do grupo italo-americano podem ser vistos na galeria de imagens seguinte.

Alfa Romeo
Será introduzido um novo SUV compacto, com base no Jeep Compass. Este modelo, que terá também versão híbrida de Plug-In, está confiado a Pomigliano.
Os Giulia e Stelvio serão renovados, mantendo-se em Cassino.
Fiat
A maior novidade é a introdução do Fiat 500e, com a versão elétrica do citadino a ser produzida em Mirafiori
Em Pomigliano vai ser fabricada uma versão 'mild hybrid' do Panda.
Foi ainda confirmado que o novo 500X vai ganhar uma versão híbrida de Plug-In.
Jeep
Melfi já é a casa do Renegade, e passará também a ser agora a do Compass para a Europa.
Maserati
Um SUV de médio porte, desenvolvido a partir do Alfa Romeo Stelvio, está destinado a Cassino.
Foi confirmado um novo modelo para a fábrica de Modena. Segundo os média italianos, a principal fábrica da marca do tridente ganha assim o projeto dos novos Alfieri Coupé e Alfieri Cabrio.
As duas fábricas da FCA em Turim vão manter nas suas linhas os Ghibli, Quattroporte e Levante, que serão renovados. 
Motores Firefly
Vai ser criado um módulo adicional na fábrica de Termoli para a produção das versões atmosféricas, turbo e híbridas dos novos blocos a gasolina Firefly

Além de ter anunciado a chegada de treze modelos novos ou renovados entre 2019 e 2021, surgiu ainda outro dado importante da parte da FCA. O seu responsável para a Europa, Pietro Gorlier, anunciou que o objetivo de eliminar os Diesel da gama até 2021 foi reformulado, por ser considerado “demasiado agressivo”. Acompanhando a progressiva queda na procura por estas motorizações, a FCA tem planos para os eliminar da gama, mas isso ficará destinado a um prazo posterior.

 

Fonte: Fiat-Chrysler + Automotive News Europe