Mobieco

Publicidade

Ainda não é desta. Faraday Future volta a adiar lançamento do SUV elétrico FF91

Texto: Francisco Cruz
Data: 26 de Julho, 2022

Há não muito tempo apontado como um dos EV mais promissores, o FF91, proposta inaugural da start-up Faraday Future, continua, contudo, sem conseguir chegar ao mercado. Sendo que o SUV elétrico acaba de ver o seu lançamento novamente adiado, desta feita, pelos motivos mais previsíveis…

O anúncio do adiamento, tanto do início da produção, como do lançamento no mercado, do FF91, foi feito pela própria start-up norte-americana, fundada pelo empreendedor chinês Jia Yueting, em 2014, que apontou como motivo para esta decisão, a mais frequente das razões: falta de dinheiro.

Assim e depois de ter anunciado a intenção de lançar o seu SUV elétrico no mercado, o mais tardar, durante o presente mês de junho, eis que a Faraday Future, que há cerca de um ano foi notícia devido à fusão com uma empresa desconhecida, volta agora a adiar a estreia do FF91. O qual, recorde-se, teve como primeira data de produção e lançamento, 2018!

O SUV EV Faraday Future 91 continua um projecto sucessivamente adiado. Desta feita, por falta de dinheiro que permita o lançamento.
O SUV EV da Faraday Future, o FF91, continua um projecto sucessivamente adiado. Desta feita, por falta de dinheiro que permita o lançamento

“A Faraday Future está necessitada de mais dinheiro para poder lançar, comercialmente, o FF91, pelo que está, neste momento, a tentar arranjar mais capital com o qual consiga financiar as suas atividades até 31 de dezembro de 2022”, pode ler-se no comunicado divulgado pela start-up e a que a Auto News dá eco.

LEIA TAMBÉM
Faraday Future FF91 é uma “bala elétrica”

De resto, numa apresentação a investidores, a empresa revelou pretender reunir qualquer coisa como 325 milhões de dólares, ou seja, pouco mais de 318 milhões de euros, à cotação atual.

Segundo algumas fontes ouvidas pela mesma publicação, a start-up norte-americana também revelou a intenção de produzir os seus veículos elétricos na China, nomeadamente, através do erigir de uma fábrica no país e a aquisição, junto do grupo automóvel chinês Geely, proprietário de marcas como a Volvo, a Lotus ou a Lynk & Co., de serviços de fabrico por contrato.

O interior do Faraday Future 91
O interior do Faraday Future 91