Ferrari P80/C é um Cavallino bem agressivo…

Texto: Nuno Fatela
Data: 25 Março, 2019

Inspirado nos modelos clássicos, especialmente no 330 P3/P4, o Ferrari P80/C é um projeto único que leva a aerodinâmica e as performances para novos extremos

Depois dos teasers publicados no Facebook da marca, foi desvendado o mais hardcore projeto especial de transformação de um carro a pedido de um cliente da Ferrari. Assim nasceu o novo P80/C, o resultado final de um trabalho que demorou quatro anos a ficar concluído pois, explicam os responsáveis do Cavallino Rampante, foi necessário “um grande investimento em design e engenharia. Cada elemento da performance e da aerodinâmica foi meticulosamente analisado, num projeto que distingue este carro dos outros projetos para carros personalizados da Ferrari”.

A base deste desportivo, criado sob encomenda do concessionário da marca em Singapura, foi o 488 GT3, versão de competição que tem por base um 488 GTB com distância entre eixos aumentada em 50mm. E, claro, muitos outros pozinhos mágicos dos alquimistas de Maranello, que neste caso libertaram todo o potencial do motor (valores não especificados) e trabalharam para obter a máxima carga aerodinâmica possível. Na estética, este modelo foi adaptado para prestar tributo a alguns dos mais famosos Ferrari da história da marca, como o 330P3/P4, o Dino 206 SP e o 250LM.

Mas é no primeiro destes clássicos que o modelo busca a principal inspiração. A marca afirma que isso fica visível desde logo no local onde supostamente deviam estar as óticas dianteiras, eliminadas e substituídas por uma simples abertura na carroçaria, para recordar as entradas de ar na grelha do 330 P3/P4. O mesmo sucede na retaguarda, enfatizando a procura da máxima eficácia aerodinâmica, com duas óticas “camufladas” de apêndices para extrair o ar.

É na traseira que está aquele que é, provavelmente, o mais peculiar e genial elemento deste Ferrari P80/C. E nem falamos da enorme asa ou do difusor que, como diz a própria marca, parece estar a “flutuar”. Falamos daquilo que se encontra entre estes dois elementos, uma abertura que permite observar o funcionamento das maravilhas mecânicas escondidas sob a cobertura côncava do motor. Cobertura essa que, aliás, apresenta lâminas em alumínio e pretende mais uma vez recordar o estilo do 330 P3/P4.

Visto de lado, existe no P80/C uma separação estética entre a dianteira, laterais e secção posterior do carro. E isso capta atenção para as aberturas existentes atrás das portas, com lâminas aerodinâmicas a prolongar as linhas da envolvência das janelas, dando espetacularidade e estas entradas de ar essenciais para canalizar o ar para o motor. Já as superfícies em vidro têm uma curiosa inspiração, procurando imitar a viseira de um capacete.

Para este modelo, com design assinado pelo Centro de Estilo da Ferrari e Flavio Manzoni, a opção foi para um novo vermelho ‘Rosso Vero’. Uma cor que é uma verdadeira beleza, especialmente pela combinação com as zonas “técnicas” onde está exposta a fibra de carbono (material usado em todo o corpo do carro).

A bordo também temos um ‘vero’ trabalho artístico, especialmente na forma como a consola central está inclinada para o condutor, tornando mais fácil a execução dos diversos comandos. Algo essencial para um carro de pista, como é o caso. De resto, temos um verdadeiro cockpit pensado para a competição, desde o volante e ecrã às bacquets e ainda à roll cage bem visível.

 

Verdadeiramente espetacular por dentro e por fora, este Ferrari P80/C é tão singular e extremo que até os responsáveis da marca agradeceram ao cliente por lhes ter dado a possibilidade de criar um carro como este. Nós fazemos o mesmo, pois as boas ideias são sempre para elogiar!

 

Veja também:

Descubra os modelos que a Ferrari está a planear
Testarossa enfrenta Countach (vídeo)
Ferrari faz recall a 2500 carros
F8 Tributo já acelera em vídeo
A marca que mais lucra por automóvel é… a Ferrari