Ferrari Monza SP1 e SP2 “reinventam” as barchettas

Texto: Nuno Fatela
Data: 19 Setembro, 2018
Foi ontem apresentada a estratégia do fabricante transalpino para os próximos quatro anos e, oferecendo já um “gostinho” daquilo que está para vir, foi dada a conhecer a imagem dos Ferrari Monza SP1 e SP2

Decorreu esta terça-feira o Capital Market Day da Ferrari, ocasião que serviu para ficar a conhecer os planos do Cavallino Rampante para os próximos quatro anos. Mas, além de confirmar que a hibridização das motorizações e a chegada do SUV serão uma realidade a curto-prazo, este evento também nos mostrou já o potencial da ‘Special Series, uma das quatro famílias de modelos em que as propostas do Cavallino Rampante estarão divididas. Para demonstrar aquilo que está para vir no futuro do fabricante transalpino, a opção foi por dois modelos que fazem a ligação ao passado de glória do emblema edificado por Enzo, que são os agora revelados Ferrari Monza SP1 e SP2.

Dois novos ícones

Integrando um conceito de edições especiais designado ‘Icone’, estes dois desportivos fazem mesmo justiça a esse nome, evocando ícones do mundo automóvel. Mais precisamente, as ‘barchettas’ da marca, que “nasceram” com o 166MM de 1948 e depois foram ainda também representadas por bólides como os 750 Monza e 860 Monza. Agora a famosa pista italiana volta a dar nome a duas barchettas, os Ferrari Monza SP1 e SP2.

Tal como aconteceu com os seus preciosos antepassados, o objetivo passa por uma condução sem qualquer compromisso além das mais puras performances, tendo sido desenvolvidas duas conceções. No caso do Ferrari Monza SP1, temos um desportivo para apenas um passageiro, enquanto no SP2 a ideia é que o condutor possa “partilhar as sensações de condução” ao transportar um ocupante adicional.

 

Mais de 800cv

A Ferrari afirma que obteve uma relação peso-potência nunca antes alcançada para uma barchetta, algo que resulta da combinação entre o uso intensivo da fibra de carbono, que até se encontra em toda a extensão do habitáculo, com o poder de um V12 de 810cv (mais 10cv que o 812 Superfast). O que permite aos Ferrari Monza SP1 e SP2, agraciados com detalhes especiais em locais como os grupos óticos, jantes e interior, atingir os 100km/h em 2,9 segundos e superar os 200km/h em 7,9 segundos. Para estes registos também contribui a forma extremamente aerodinâmica destas barchettas, onde elementos que constrangem a passagem do ar, como o teto e o para-brisas, estão ausentes. O que permite, conclui a Ferrari, “uma sensação de intensa velocidade que normalmente apenas é sentida pelos condutores de Fórmula 1”.

 

Para-Brisas Virtual

O trabalho de imagem do Ferrari Design Center procurou (e conseguiu) capturar a essência deste tipo de automóveis, com um visual minimalista onde apenas a pura sensação de performance e uma elegância intemporal importam. Algo obtido pela combinação de formas simples, sem os apêndices e outros elementos dos desportivos modernos, com detalhes de extremo refinamento. Destacam-se nesta área opções como a abertura das portas na vertical ou o capot em fibra de carbono e aquilo que a marca designa como “para-brisas virtual”. Este é o nome da solução escolhida no sistema que, para contrariar o efeito do vento ao passar pelo habitáculo, recorre a uma abertura colocada antes do painel de instrumentos e volante para desviar esse fluxo de ar.

 

Partilhar