Toyota Yaris Cross 1.5 HDF. Em busca de um lugar ao sol

Texto: Carlos Moura
Data: 26 de Janeiro, 2022

Com base na plataforma do Yaris, a Toyota desenvolveu um novo modelo para o segmento dos SUV-B, onde procura alcançar um lugar de destaque com o Yaris Cross. As suas dimensões compactas, a linha motriz híbrida e a qualidade de construção procuram fazer a diferença face à forte “armada” da concorrência.

O Toyota Yaris Cross resulta de dois conceitos que a marca japonesa domina na perfeição: tecnologia híbrida em veículos pequenos e a tipologia SUV. Com base nessa experiência, o construtor nipónico desenvolveu um modelo para o segmento SUV-B que, em Portugal, representa mais de metade das vendas dos SUV.

Graças às suas dimensões compactas com um comprimento exterior de 4,18 metros, à possibilidade de poder circular em modo elétrico a baixas velocidades e à imagem de  “aventureiro urbano”, o Yaris Cross reúne, à primeira vista, argumentos para desafiar os principais concorrentes num segmento onde estão presentes modelos como o Nissan Juke, o Renault Captur, o Ford Puma, o Peugeot 2008, o Volkswagen T-Roc ou o Hyundai Kauai, entre outros.

Construído sobre a plataforma global GA-B da mais recente geração do Yaris e mantendo a mesma distância entre-eixos de 2,56 metros, o novo SUV-B da Toyota é 9,5 centímetros mais alto que o modelo base, dois centímetros e 24 centímetros mais largo. O espírito de SUV é assegurado por uma maior altura ao solo de 17 centímetros, que permite saídas de estrada com relativo à vontade.

A imagem exterior procura fazer a síntese entre a forma de SUV do Toyota RAV4 e o estilo “nimble diamond” do Yaris, numa tentativa de transportar para as linhas da carroçaria as formas angulares e robustas do diamante. As luzes dianteiras e traseiras são em LED e incluem piscas sequenciais na parte traseira.

As cavas das rodas possuem proteções em plástico para sublinhar o caráter aventureiro, elemento que também se estende às portas traseiras, onde pode ser encontrada a inscrição Yaris Cross.

INTERIOR

O habitáculo do Yaris Cross apresenta acabamentos “em piano black” e um forro do tejadilho na cor preta. Os materiais utilizados estão dentro dos padrões de outros modelos, mas existem alguns tratamentos novos em algumas zonas, designadamente nos pilares dianteiros, painéis das portas ou consola central.

Apesar do painel de bordo ser fabricado totalmente em plástico por uma questão de contenção de custos, a qualidade de construção é elevada, sendo responsável pela quase ausência de ruídos parasitas, mesmo quando o piso se degrada.

LEIA TAMBÉM
Yaris Cross é o primeiro. Toyota aposta nos pequenos SUV para subir na Europa

Em termos de habitabilidade, o SUV-B da Toyota oferece um espaço suficiente nos lugares dianteiros para acomodar passageiros de estatura mais elevada. Espaços para arrumação não faltam, incluindo dois porta-copos, um compartimento à frente do selector da transmissão, onde é possível guardar a carteira ou as chaves, além de um outro por baixo do ecrã de 8” do sistema de infoentretenimento. As bolsas nas portas são muito pequenas, permitindo receber uma garrafa de água e…pouco mais.

Os bancos em pele sintética apresentam um bom apoio lateral e uma linha decorativa dourada, que é assinatura deste modelo e também pode ser encontrada ao longo do painel de bordo e no interior das portas.

Como o Yaris Cross possui um habitáculo mais pequeno que os principais concorrentes, isso reflete-se nos lugares traseiros que não permitem transportar confortavelmente mais do que dois adultos. O ângulo de abertura das portas traseiras também é reduzido, dificultando o acesso aos mesmos ou a colocação de uma cadeira para crianças.

A capacidade da bagageira de 397 litros não será propriamente a referência do segmento,  mas é mais do que suficiente para a maioria das utilizações. Em caso de necessidade é possível rebater os bancos traseiros numa configuração 40/20/40, o que não sucede com a maioria dos concorrentes. Outro factor diferenciador da bagageira é a possibilidade de divisão em duas partes para melhor acomodar malas pequenas ou o fundo falso.

MECÂNICA

O Yaris Cross é uma das poucas propostas híbridas do segmento. Por baixo do capot encontra-se uma motorização eletrificada com a tecnologia híbrida de quarta geração estreada no novo Yaris. O motor de 1,5 litros, que funciona em ciclo Atkinson para proporcionar uma maior rendimento, tem três cilindros e  desenvolve uma potência de 98 cv.

Associado ao propulsor térmico está um motor elétrico de 80 cv e uma pequena bateria de iões de lítio, com capacidade de 0,78 kWh. Esta última contribui para uma maior percentagem de condução elétrica em ambiente urbano, que segundo a marca pode chegar a 80%.

A linha motriz, que oferece uma potência combinada de 116 cv, está acoplada a uma caixa de velocidades de variação contínua (CVT) que foi melhorada pelos engenheiros da Toyota de forma a manter o funcionamento do motor em regimes mais elevados e assim otimizar o consumo de combustível, sendo anunciada uma média combinada de 4,5 l/100 km.

Em função do tipo de utilização estão disponíveis três modos de condução – Normal, Eco e Power – que podem ser selecionados através de um botão no túnel da transmissão. Além disso também pode ser selecionado o programa de maior travagem regenerativa, denominado B, através do seletor da caixa CVT. É igualmente possível conduzir em modo elétrico até uma velocidade de 130 km/h.   

As ligações ao solo são asseguradas por uma suspensão dianteira do tipo McPherson, que não obstante o reduzido peso garante uma elevada rigidez, enquanto na traseira a marca recorreu a um sistema de eixo de torsão.

TECNOLOGIA

O Yaris Cross recebeu um painel de instrumentos digital TFT de sete polegadas, que contém toda a informação necessária para a condução, destacando-se o consumo de combustível, a velocidade, o modo de condução selecionado ou os sistemas de assistência como o alerta de manutenção da faixa de rodagem ou o alerta de sinais de trânsito. A unidade ensaiada contava igualmente com um head-up display que projeta as informações no pára-brisas.

A parte superior da consola central integra o ecrã de nove polegadas do sistema Toyota Smart Connect, que não só proporciona conectividade de dispositivos móveis sem fios como também inclui um sistema de navegação simples com atualizações de mapas “over the air” a partir da cloud, assim como informações de trânsito em tempo real.

O sistema de infoentretenimento também fornece informações específicas acerca do veículo como o fluxo de energia do sistema híbrido, da condução (velocidade média ou tempo) ou histórico do consumo de combustível.

A dotação de série inclui ainda o botão de ignição, travão de estacionamento elétrico, ar condicionado automático com saídas duplas, espelhos retrovisores exteriores elétricos, aquecidos e recolhíveis, sensores de chuva e luminosidade, cruise control adaptativo, câmara auxiliar traseira, fecho elétrico da bagageira, sistema de som JBL, entre outros.

AO VOLANTE

Apesar de partilhar a mesma plataforma do Yaris, o novo Yaris Cross tem uma posição de condução mais elevada e uma maior distância ao solo. A correta posição atrás do volante encontra-se com facilidade, graças às possibilidades de regulação do assento e da coluna da direção. As linhas ascendentes da secção traseira penalizam a visibilidade, pelo que a câmara traseira com linhas dinâmicas é um precioso auxiliar.

A linha motriz Hybrid Dynamic Force (HDF) do Yaris Cross, e atendendo a um peso em vazio de 1365 kg, proporciona um comportamento honesto, embora não seja propriamente um dos SUV mais rápidos do segmento, já que para acelerar dos 0 aos 100 km/h necessita de 11,8 segundos. Todavia é suficientemente competente para acelerar em autoestrada sem deixar ninguém envergonhado.

Por outro lado e apesar do trabalho efetuado pelos engenheiros da Toyota, a transmissão de variação contínua continua a manter uma rotação elevada do motor quando se acelera ou desacelera, fazendo-se ouvir o ruído típico desta caixa.

Já pela positiva há que destacar o consumo de combustível com o computador de bordo a indicar uma média de 5,1 l/100 durante o ensaio. Atendendo à aproximação de preços de venda ao público entre a gasolina e o gasóleo, a oferta de uma motorização diesel deixou de fazer sentido.

Apesar da maior altura ao solo, o Yaris Cross controla bem as transferências de massas em trajetos mais sinuosos. A direção, por sua vez, interpreta bem as trajetórias, o que torna o trem dianteiro bastante preciso.

VEREDICTO

Projetado para desafiar os principais concorrentes do segmento SUV-B, o Yaris Cross é um dos poucos modelos a ser comercializado exclusivamente com uma linha motriz híbrida, beneficiando da elevada experiência da Toyota nesta área. A imagem exterior é agradável, enquanto o habitáculo também oferece uma qualidade de construção bastante boa, não obstante a profusão de plásticos.

A versão ensaiada, Premier Edition, conta com um equipamento bastante completo, onde nem faltam jantes de liga leve de 18”, bancos em pele, sistema de som JBL ou head-up display. Como consequência, o preço final de venda ao público chega aos 32.840€ – valor elevado para um SUV-B – embora a versão de entrada esteja disponível a partir dos 23.990€. Pela positiva há que destacar a garantia de sete anos, o baixo consumo de combustível, a qualidade de construção e a imagem de SUV, factores que podem agradar aos adeptos incondicionais da Toyota.

 

Gostámos Gostámos

Painel simples

O painel de instrumentos digital de sete polegadas concentra toda a informação que o condutor necessita e também oferece um indicador de funcionamento do sistema híbrido, permitindo ao utilizador melhorar a eficiência ao volante.

Consumo combustível

O Yaris Cross não tem motorização diesel, mas também não precisa. O consumo de 5,1 l/100 km registado durante o ensaio é inferior ao de muitos modelos equipados com motores a gasóleo, garantindo baixos custos de utilização.

Fecho elétrico

As versões de lançamento do Yaris Cross, denominadas Premier Edition, vêm equipadas com o fecho elétrico da bagageira, uma funcionalidade bastante útil e que normalmente só está presente em modelos de segmentos superiores.

Não Gostámos Não Gostámos

Caixa CVT

Não obstante a evolução da caixa automática de variação contínua, graças a uma gestão diferente, o seu funcionamento ainda deixa a desejar sobretudo pela sua tendência para manter o motor em rotações em regimes mais elevados.

Habitabilidade traseira

Como utiliza a mesma plataforma do Yaris, a habitabilidade traseira do Yaris Cross não é propriamente uma das referências do segmento, enquanto a acessibilidade também é penalizada pelo reduzido ângulo de abertura das portas.

Preço

A versão de lançamento Premier Edition do Yaris Cross conta com um nível de equipamento relativamente completo. Como consequência o preço de venda ao público de 32.840 euros parece excessivo para um veículo de segmento B.


Toyota Yaris Cross 1.5 HDF

Preço 32.840 € (unidade ensaiada)

Motor Gasolina, 1490 cc + elétrico
Potência combinada 116 cv às 5500 rpm
Binário 120 + 140 Nm entre as 3600 e as 4800 rpm
Transmissão Automática, CVT
Peso 1365 kg
Comp./Larg./Alt. 4,18/1,77/1,56 m
Dist. entre eixos 2,56 m
Mala 397 l
Desempenho 11,8 0-100 km/h; 170 km/h Vel. Máx.
Consumo 4,5 (5,1) l/100 km
Emissões CO2 113 g/Km

Equipamento
Série: Ar condicionado automático com saída dupla, bancos dianteiros aquecidos, jantes de liga leve de 18 polegadas, bancos em pele, sistema de som da JBL e head-up display, sistema de infoentretenimento Toyota Smart Connect, botão de ignição, travão de estacionamento elétrico, espelhos retrovisores exteriores elétricos, aquecidos e recolhíveis, sensores de chuva e luminosidade, cruise control adaptativo, câmara auxiliar traseira, fecho elétrico da bagageira,