Mercedes-Benz Citan Tourer 110 CDI. Espaço para tudo e todos

Texto: Carlos Moura
Data: 25 de Março, 2022

Espaço para ocupantes e bagagens é um dos principais argumentos do Mercedes-Benz Citan Tourer. A isto junta-se um ambiente interior típico dos automóveis da marca alemã, incluindo o sistema de infoentretenimento MBUX, e uma eficiente motorização diesel de 95 cv.

A segunda geração do Mercedes-Benz Citan resultou de uma renovada parceria com a Renault, mas contou com um envolvimento mais profundo da marca alemã que, à semelhança do que já tinha acontecido com o Mercedes-Benz Classe X, procurou fazer a maior diferenciação possível relativamente ao Renault Kangoo, quer em termos de exterior como de interior.

Para as famílias ou as empresas que necessitam de um espaço e de uma versatilidade que muitos SUV e station-wagons não conseguem oferecer, a Mercedes-Benz propõe versões específicas deste Citan Tourer, do tipo mini-MPV, vocacionadas para o transporte de passageiros.

Denominadas Tourer permitem receber cinco ocupantes e respetivas bagagens, podendo. em caso de necessidade, a capacidade da mala ser bastante ampliada com o rebatimento dos bancos traseiros.

Na fase de lançamento, o Mercedes-Benz Citan Tourer está disponível na versão Standard, com comprimento exterior 4,5 metros,  largura de 1,86 metros e altura de 1,81 metros, linha de equipamento Tourer Pro e Pro e Pacote Dynamic exterior, ambos opcionais.

Exteriormente, o Mercedes-Benz Citan Tourer apresenta a mais recente assinatura visual da marca alemã, destacando-se a grelha preta do motor com três lâminas duplas e a estrela ao centro, e os grupos óticos dianteiros com orientação horizontal.

A vista de perfil é dominada por ombros musculados e as soleiras das portas que se estendem sobre os arcos das rodas. O design dos vidros, por sua vez, é inspirado no do Mercedes-Benz GLE, com uma contra-curva no pilar C.

INTERIOR

A funcionalidade é um dos argumentos do Mercedes-Benz Citan Tourer, começando pelo acesso ao habitáculo por duas portas laterais deslizantes, ambas de comando manual e com uma abertura de 61,5 centímetros. A ampla distância entre-eixos de 2,68 metros permitiu a disponibilização de um espaço bastante generoso para todos os ocupantes. Os passageiros dos assentos traseiros não têm problemas ao nível das pernas, dos ombros ou da cabeça.

O rebatimento dos bancos traseiros numa configuração 1/3 e 2/3 permite aumentar o já generoso espaço de carga da bagageira de 520 litros para uns impressionantes 2900 litros, permitindo transportar todo o tipo de objetos para as atividades quotidianas de uma família jovem como, por exemplo, um carrinho de bebé ou de lazer, desde uma prancha de surf, passando por uma bicicleta ou material de ski. Se for necessário transportar uma mobília pequena ou uma máquina de lavar, isso também não constitui problema, sendo o acesso assegurado por um portão basculante.

O painel de bordo do Citan Tourer apresenta um aspeto robusto, sendo dominado por plásticos relativamente duros, mas não são totalmente desagradáveis ao toque. Quem pretender um ambiente mais requintado terá de esperar pelo novo Mercedes-Benz Classe T, que será um veículo mais sofisticado e luxuoso, mas também mais caro.

LEIA TAMBÉM
Mercedes-Benz Citan Tourer. Segunda geração aposta na versatilidade

De qualquer maneira, o ambiente a bordo remete para o universo dos veículos da Mercedes-Benz, quase fazendo esquecer que se trata de um projeto comum com a Renault.

O painel de bordo apresenta uma forma que se estende na horizontal. Os designers da marca alemã foram buscar a sua inspiração para o volume encorpado e curvo do painel de bordo ao perfil de uma asa. O próprio painel de instrumentos também segue essa inspiração e sua forma faz lembrar uma pedra erodida.

Os principais elementos do habitáculo são oriundos do universo Mercedes-Benz como o volante multifunções, o punho da alavanca da caixa de velocidades, o painel de instrumentos, as saídas da ventilação com revestimentos cromados, os comandos da climatização e da iluminação, assim como o ecrã tátil de sete polegadas na consola central.

Os bancos, também de origem Mercedes-Benz, são ergonómicos e oferecem várias possibilidades de regulação para o condutor. Espaços para arrumação também não faltam a bordo, incluindo vários compartimentos no painel de bordo ou bolsas nas portas que podem receber garrafas de 1,5 litros ou uma prática prateleira superior. Por baixo do apoio de braços encontra-se mais um útil espaço para guardar objetos.

MECÂNICA

Uma das motorizações disponíveis no Mercedes-Benz Citan Tourer é a 110 CDI, baseada num bloco diesel de quatro cilindros em linha de 1461 cc que desenvolve uma potência máxima de 95 cv às 3750 rpm e um binário de 260 Nm às 1750 rpm.

Associado a uma caixa manual de seis velocidades, este bloco está claramente vocacionado para uma utilização de familiar, já que a combinação com um peso em vazio de 1,7 toneladas limita as prestações, como pode ser comprovado na aceleração dos 0 aos 100 km/h em 15,5 segundos. Por outro lado, a velocidade máxima também não vai além dos 164 km/h. Em termos de consumos, a marca anuncia uma média de 5,6 l/100 km para o Citan Tourer 110 CDI.

No que se refere à suspensão, a equipa de desenvolvimento da Mercedes-Benz procurou dotar o Citan com as caraterísticas típicas de condução da marca, definidas com uma combinação equilibrada de conforto, dinâmica de condução e segurança.

A suspensão dianteira é do tipo McPherson, com braço de fixação na parte inferior. Na traseira é utilizado um eixo de torção para otimizar o espaço. O Citan Tourer recebe molas e amortecedores de afinação específica Mercedes-Benz, enquanto um estabilizador reforçado no eixo dianteiro contribui para a redução do adornamento em curva.

TECNOLOGIA

A diferenciação no Mercedes-Benz Citan Tourer também passa pelo plano tecnológico que recebe em exclusivo o sistema de infoentretenimento MBUX, disponível em opção.

Entre as suas funcionalidades destaque para a navegação com atualização gratuita de mapas por três anos, rádio digital, pacote de integração de smartphone com Apple CarPlay ou Android e sistema mãos-livres Bluetooth.

As principais funções do sistema são acedidas através de um ecrã tátil de sete polegadas, localizado na parte superior do painel de bordo, ou através de botões táteis “Touch Control” no volante multifunções.

As informações relativas ao assistente de sinais de trânsito, ao assistente ativo de manutenção de faixa rodagem ou ao Active Brake Assist são disponibilizadas no ecrã a cores do painel de instrumentos.   

A dotação de série do Citan Tourer compreende ainda os sensores de chuva e luminosidade, o sistema de assistência no arranque, o assistente de ângulo morto, os sensores de estacionamento traseiros. Já a câmara traseira integra a lista de opcionais.

AO VOLANTE

Encontrar a correta posição atrás do volante não é complicado, graças às possibilidades de regulação manual do assento e da coluna de direção, esta última em profundidade e inclinação. O amplo pára-brisas garante uma boa visibilidade para a frente, enquanto os espelhos laterais também possuem uma dimensão adequada.

A posição elevada dos bancos traseiros não facilita as manobras em márcha-atrás, mas esse constrangimento é ultrapassado pelos sensores de estacionamento e pela câmara, um opcional bastante útil.

O motor diesel de 1461 cc revelou-se agradável de utilizar, graças à disponibilização de um elevado binário a baixas rotações, mas está longe de oferecer um comportamento desportivo, estando mais vocacionado para viagens em família, onde a descontração é a nota dominante. Mas, mesmo assim, não deixa de ser funcional e competente, como se quer.

A caixa manual de seis velocidades é precisa, embora tenha um escalonamento relativamente curto para aproveitar a rotação do motor e otimizar o consumo. Neste capítulo, o computador de bordo indicou uma média durante o ensaio de 6,1 l/100 km, acima dos 5,6 l/100 km anunciados, embora em regime urbano seja difícil baixar da fasquia dos 7,0 l/100 km.

A suspensão é bastante competente a digerir as irregularidades dos maus pisos, graças ao trabalho de afinação realizado pelos engenheiros da marca alemã. O Citan Tourer também não será o automóvel mais entusiasmante em curva, mas é estável e seguro.

VEREDICTO

O Mercedes-Benz Citan Tourer é uma proposta bastante honesta para quem necessita de um veículo suficientemente robusto e com muito espaço para famílias com um estilo de vida ativo e pretendem uma versatilidade superior à que pode oferecer um SUV de dimensões médias. Obviamente que o nível de requinte e sofisticação não é o mesmo, mas isso estará reservado para o futuro Mercedes-Benz Classe T. Só que esse modelo também deverá custar mais do que os 33.160 euros pedidos pela unidade ensaiada.

Além disso, o Citan Tourer ainda está disponível com motorização diesel que permite percorrer mais de 800 quilómetros entre reabastecimentos, enquanto alguns concorrentes do segmento já só estão em comercialização em versões elétricas e com autonomia de até 280 quilómetros.

 

Gostámos Gostámos

Bagageira

Com uma capacidade entre 520 e 2900 litros, a bagageira oferece espaço mais do que suficiente para todo os tipos de bagagens e objetos. A versatilidade acrescida é garantida pelo rebatimento dos assentos traseiros numa configuração 60:40.

Cruise-control

O regulador da velocidade de cruzeiro, com comandos táteis, no lado direito do volante multifunções é muito fácil de utilizar, não sendo necessária uma formação avançada para o efeito. Basta ativar o sistema, regular a velocidade e…já está!

Habitabilidade

A longa distância entre-eixos de 2,68 metros permitiu disponibilizar um amplo espaço interior neste Mercedes-Benz Citan Tourer, não só nos lugares dianteiros, como traseiros. Além disso, o acesso ao habitáculo também bastante conveniente em termos de largura.

Não Gostámos Não Gostámos

Plásticos duros

O painel de bordo do Citan Tourer apresenta um aspeto robusto, sendo dominado por plásticos relativamente duros, mas não são totalmente desagradáveis ao toque. A resistência e facilidade de limpeza prevaleceram neste capítulo.

Ligações USB-C

Já é habitual nas marcas alemãs! O interior do Citan Tourer possui quatro entradas USB na consola central, duas à frente e duas atrás. Porém, são todas USB-C, não permitindo a utilização por todos os tipos de dispositivos para carregar a bateria.

Preço

O preço base da unidade ensaiada, 23.567 euros, até não se pode considerar elevado, atendendo à relação entre espaço, equipamento e tecnologia. O problema são os quase dez mil euros em impostos, entre ISV e IVA, elevando o custo final para além dos 33 mil euros.

Mercedes-Benz Citan Tourer 110 CDI

Preço 33.160
Motor Diesel, 1461 cc
Potência 95 cv às 3750 rpm
Binário 260 Nm às 1750 rpm
Transmissão Dian Manual, 6 vel.
Peso 1708 kg
Comp./Larg./Alt. 4,50/1,86/1,81 m
Dist. entre eixos 2,68 m
Mala 520 – 2900 l
Desempenho 15,5 0-100 km/h; 168 km/h Vel. Máx.
Consumo 5,6 (6,1) l/100 km
Emissões CO2 140 g/Km

Equipamento
Série: Pack Cromado Interior, Pack segurança ativo, Active Brake Assist, ESP, monitorização da pressão dos pneus, Eco start-stop, vidros e espelhos elétricos, duas portas laterais deslizantes, janelas na segunda fila, com vidro fixo, vidros escurecidos, revestimento do compartimento de carga em plástico, chapeleira, iluminação interior em tecnologia LED, ar condicionado manual, rádio digital, rádio digital, navegação, pacote integração smartphone, auxílio de estacionamento na traseira, assistente de ângulo morto, volante multifunções, sensor de chuva e luminosidade, assistente sinais trânsito, assistente de faixa de rodagem, Attention Assist, cruise control, sistema de assistência no arranque