Jeep Wrangler 4xe 80th Anniversary. O primeiro de uma nova era

Texto: Carlos Moura
Data: 29 de Dezembro, 2021

O Jeep Wrangler 4xe 80th Anniversary inicia uma nova era na histórica marca norte-americana, em que toda a oferta na Europa assenta em motorizações híbridas plug-in e na carroçaria de cinco portas. A edição do 80º aniversário combina as lendárias capacidades de progressão em todo-o-terreno do Wrangler, com o ambiente premium de um SUV e uma motorização PHEV com 381 cv. 

O 80º aniversário do Jeep Wrangler vai ficar assinalado com a decisão da marca norte-americana de deixar de comercializar motorizações exclusivamente a gasolina ou a gasóleo na Europa, passando o descendente direto do Willys a ser disponibilizado apenas na versão híbrida plug-in, denominada 4xe, e com carroçaria de cinco portas.

Assim, a exclusiva edição especial “80th Anniversary” do Jeep Wrangler 4xe já representa o início da uma nova era na oferta deste modelo, a qual assenta na linha motriz híbrida plug-in que reúne um motor a gasolina de quatro cilindros de 2,0 litros, dois motores elétricos, uma caixa automática de oito velocidades e uma bateria de iões de lítio de 17,3 kWh, que oferece uma autonomia elétrica de até 50 quilómetros.

Exteriormente, o Jeep Wrangler 4xe mantém os mesmos elementos de design das versões tradicionais como os guarda-lamas trapezoidais, a grelha de sete entradas e os faróis redondos. A série especial do 80º aniversário acrescenta apontamentos específicos em cinzento neutro metalizado na grelha, nas molduras dos faróis e das luzes de nevoeiro.

A exclusividade desta série especial é reforçada pelas jantes em liga leve de 18” bicolores, pela capota rígida na cor da carroçaria, pela capa dura no pneu sobressalente e o emblema especial “80th Anniversary” nos guarda-lamas dianteiros.

INTERIOR

O interior do Jeep Wrangler 4xe “80th Anniversary” assemelha-se mais a um SUV premium do que propriamente a um tradicional veículo de todo-o-terreno “puro e duro”. Os bancos têm estofos em pele preta com pespontos em cor de tungsténio e emblema “80th Anniversary”.

LEIA TAMBÉM
Além do fim das duas portas. Jeep Wrangler torna-se apenas PHEV na Europa

O painel de bordo, por sua vez, possui revestimento a pele com pespontos a contrastar, enquanto o tejadilho está protegido por um forro de alta qualidade. A parte superior possui um monitor do nível de carga da bateria com LED para visualizar rapidamente o seu estado.

O painel de instrumentos específico híbrido plug-in, com ecrã TFT a cores de sete polegadas, personalizável em mais de 100 configurações diferentes, possibilita o acesso fácil e intuitivo a toda a informação, designadamente a velocidade, autonomia, pressão dos pneus, consumo, entre outras.

A consola central recebe um ecrã tátil de 8,4 polegadas, com Uconnect NAV e rádio DAB. Mais abaixo encontram-se diversos comandos físicos para climatização, sistema de som Alpine, estacionamento automático, sistema de regeneração, sistema de assistência em descidas, entre outros. Esta zona mais se assemelha ao cockpit de um avião tal a profusão de botões. A seleção dos diferentes modos de condução e da caixa de transferências são asseguradas, como tradicionalmente, por alavancas localizadas no túnel da transmissão.

A combinação de um comprimento exterior de 4,88 metros e de uma longa distância entre-eixos de 3,01 metros permite oferecer um generoso espaço para todos os ocupantes. Igualmente ampla é a bagageira que oferece um volume útil entre 533 litros e 1044 litros, com os bancos traseiros em posição normal ou rebatidos, respetivamente.

MECÂNICA

A linha motriz do Jeep Wrangler 4xe combina dois motores-geradores elétricos, um pack de baterias de 17 kWh instalado por baixo dos bancos traseiros, um motor a gasolina de quatro cilindros sobrealimentado de 2,0 litros com 272 cv, uma transmissão automática de oito velocidades, uma caixa de transferências e três diferenciais.

Em vez de instalarem os motores-geradores diretamente nos eixos, os engenheiros da Stellantis / Jeep optaram por montara um deles à frente do motor de combustão, que além de substituir o alternador tradicional também tem a missão de servir de “boost” para ajudar nas acelerações a fundo.

O outro motor-gerador, que é responsável pela propulsão elétrica e desenvolve uma potência de 145 cv, está colocado à frente da caixa de velocidades e substitui o conversor de binário, Esta unidade pode assegurar a tração elétrica até aos 130 km/h e também é sempre chamada a intervir para responder às solicitações mais intensas do acelerador.

Esta cadeia cinemática, que otimiza a eficiência dos componentes do sistema híbrido, desenvolve uma potência combinada de 381 cv, e oferece três modos de funcionamento possíveis: Híbrido, Elétrico e E-Save.

No modo híbrido, ativado por defeito, o motor de combustão e o motor elétrico trabalham em conjunto. Inicialmente, o sistema privilegia a condução elétrica e o motor térmico só entra em funcionamento quando se atinge os 130 km/h ou sempre que é exigido mais esforço mecânico. O modo elétrico permite percorrer até 50 quilómetros sem emissões, enquanto o modo E-Save permite manter a carga da bateria ou efetuar o carregamento com recurso ao motor de combustão. Nos primeiros 100 quilómetros, a marca anuncia um consumo de combustível entre 3,5 e 4,1 l/100 km.

As capacidades em fora de estrada são garantidas pelo sistema 4×4 Command-Trac, com modo “4LO”, ativado a partir da caixa de transferência com sistema de utilização temporária.

TECNOLOGIA

O equipamento tecnológico inclui o sistema Uconnect NAV com ecrã tátil de 8,4”, compatível com Apple CarPlay e Android Auto, Uconnect Services (para monitorização dos parâmetros do Wrangler 4xe através da app My Uconnect) e ainda “Hybrid Pages” para visualização da condução em modo elétrico.

O Wrangler 4xe também recebe um painel de instrumentos com ecrã TFT de 7” específico para modelos 4xe que permite monitorizar todos os parâmetros da condução, incluindo o nível de carga da bateria, a potência disponível ou os quilómetros efetuados com recurso ao motor de combustão ou elétrico. O acesso ao interface é efetuado através de comandos no volante multifunções.

O Wrangler 4xe conta ainda com o sistema denominado e-Ren, que pode ser selecionado através de um botão no painel de bordo, que aumenta a potência do sistema de regeneração de energia quando se liberta o pedal do acelerador durante as desacelerações e as travagens. Os ganhos de autonomia são, porém, pouco palpáveis.

No capítulo da segurança, o Wrangler 4xe conta, de série, com avançados sistemas de assistência à condução, incluindo o alerta de ângulo morto com deteção de veículos em aproximação, controlo de estabilidade eletrónico com sistema de anticapotamento eletrónico, a câmara traseira com linhas em grelha dinâmica, a câmara dianteira off-road, os sensores de estacionamento traseiros e dianteiros.

Em opção está disponível o Safety Pack, que integra o regulador ativo da velocidade de cruzeiro (ACC), alerta de colisão frontal e travagem de emergência, assim como o assistente de máximos.

AO VOLANTE

Como é habitual num veículo de todo-o-terreno tradicional, a posição de condução é elevada, mas o longo capot e o pára-choques dianteiro maciço penalizam a visibilidade. Para iniciar a marcha, basta carregar no botão de ignição, colocar a alavanca da caixa automática na posição “D” e levantar o pé do travão.

O arranque é sempre elétrico, mesmo no modo Hybrid, enquanto existe carga na bateria. O motor de combustão só entra em funcionamento quando se pressiona mais fortemente no acelerador ou se alcança uma velocidade até 130 km/h. Se o condutor optar pelo modo Sport, a prioridade é dada ao motor de combustão, entrando em ação o motor elétrico para uma resposta mais fulgurante.

Será de referir que não obstante um peso superior a 2,3 toneladas e um comprimento superior a 4,8 metros, os 380 cv de potência combinada debitados pelos motores de combustão e elétricos conseguem fazer o Wrangler 4xe acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 6,4 segundos, valor que não deixa de ser impressionante.

Menos simpático é o consumo de combustível quando se esgota a capacidade da bateria, após 44 quilómetros. Os 3,5 a 4,1 l/100 km anunciados pela marca nos primeiros cem quilómetros são bastante otimistas em condições reais, com o computador de bordo a registar uma média de 8,2 l/100 km, chegando depois disso facilmente aos 10,0 l/100 km/h como full hybrid.

Para baixar os custos de utilização, o melhor será mesmo ligar sempre que possível o cabo de carregamento na entrada localizada no lado dianteiro esquerdo. O carregador de bordo possui uma potência de 7,4 kW e isso significa que são necessárias cerca de três horas para recuperar a capacidade da bateria.

Se na condução em alcatrão, a combinação do motor de combustão com os elétricos já convence em termos dinâmicos, quando entra em fora de estrada o Wrangler 4xe é praticamente imparável, conseguindo ultrapassar quase todos os obstáculos em pisos de terra, lama, areia ou lama.

A progressão em todo-o-terreno é facilitada por uma altura ao solo de 25,3 centímetros, por ângulos de ataque de 36,6º, ventral de 21,4º e saída de 31,8º, além da capacidade de passagem a vau até 76 centímetros.

Se as condições de progressão forem mais complicadas é sempre possível recorrer aos quatro programas da caixa de transferências de duas velocidades: 2H (tração traseira), 4H Auto (tração 4×4 inteligente), 4H Part Time (tração 4×4, com bloqueio central e 50% para cada eixo) e 4L (tração 4×4 com redutoras).

VEREDICTO

Primeiro híbrido plug-in na gama, o Wrangler 4xe continua a apresentar as linhas clássicas de descendente direto do lendário Willys e as superiores aptidões em fora de estrada que sempre fizeram deste modelo uma das referências no segmento. A edição de 80º aniversário perpetua esta tradição, oferecendo, no entanto, um ambiente interior que mais se assemelha a um SUV premium, do que a um todo-o-terreno “puro e duro”.  Claro que isso também se reflete no preço de venda ao público, com a unidade ensaiada a custar 82.505 euros.

Contudo, quem deseja mesmo um veículo de todo-o-terreno exclusivo com um nível de equipamento bastante completo e que consegue ultrapassar quase todos os obstáculos, o Wrangler 4xe é indiscutivelmente uma das propostas mais interessantes do mercado. Quem adquire este veículo dificilmente irá querer desfazer-se dele. Provavelmente também poderá ser a oportunidade para comprar um dos últimos modelos da gama ainda com motor de combustão!

 

Gostámos Gostámos

Imagem

O descendente direto do lendário Willys continua fiel à imagem icónica daquele modelo, sublinhada pela grelha de sete entradas, os faróis dianteiros redondos ou as cavas das rodas trapezoidais. A cor opcional Verde Sarge realça o espírito Jeep.

Aptidões todo-o-terreno

O Wrangler 4xe mantém todas as aptidões de todo-o-terreno deste modelo, graças a uma altura ao solo de 24,3 centímetros, aos pneus 255/70 R18, aos excecionais ângulos de ataque e saída e naturalmente ao sistema de tração integral Command-Trac.

Equipamento premium

O nível de equipamento da série especial 80th Anniversary é idêntico ao de um SUV premium, não faltando os bancos em pele específicos, o painel de bordo com revestimento no mesmo material ou o sistema de som Alpine Premium de 552 W.

Não Gostámos Não Gostámos

Preço

A combinação de um sistema híbrido plug-in, com três motores com elevados conteúdos tecnológicos e um nível de equipamento bastante completo e sofisticado teve como reflexo um preço de venda ao público da unidade ensaiada superior a 82 mil euros.

Pára-choques dianteiro

Para oferecer uma maior proteção aos peões, o Wrangler recebeu um pára-choques dianteiro de grandes dimensões, que dificulta a circulação em ambiente urbano ou em fora de estrada. Para compensar está disponível uma câmara dianteira.

Autonomia elétrica

A bateria com capacidade de 17,4 kWh, localizada por baixo dos bancos traseiros, permite percorrer cerca de 44 quilómetros em modo elétrico, que não é muito. Por outro lado, os ganhos de autonomia do sistema de regeneração e-Ren são pouco significativos.   


Jeep Wrangler 4xe 80th Anniversary 2.0 TG Plug In Hybrid 380 cv

Preço 82.505 € (com opcionais) 

Motor Gasolina, 1995 cc + elétrico fr/tr
Potência 272 cv + 145 cv às 5250 rpm
Binário 637 Nm às 3000 rpm
Transmissão eAWD, Auto 8 vel,
Bateria / Autonomia 17,3 kWh / 50 km
Peso 2309 kg
Comp./Larg./Alt. 4,88/1,89/1,83 m
Dist. entre eixos 3,01 m
Mala 533 l – 1044 l
Desempenho 6,4 0-100 km/h; 156 km/h Vel. Máx.
Consumo 3,5 – 4,1 (8,2*) l/100 km
Emissões CO2 79 g/Km

*Medições TURBO

Equipamento
Série: Painel de instrumentos específico híbrido plug-in, sistema de infoentretenimento Uconnect com ecrã tátil de 8,4’’ NAV com funcionalidades híbrido plug-in específicas e compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto, sistema de som wi-fi Alpine Premium de 552 W de 9 altifalantes com subwoofer, visor de monitorização da pressão dos pneus e alerta de pressão dos pneus selecionável, câmara traseira com linhas em grelha dinâmicas, câmara frontal off road, cruise control & cruise control em todo-o-terreno Selec Speed, Controlo de Estabilidade Eletrónico (ESC) e Controlo de Estabilidade de Atrelado (TSC), Assistência ao Arranque em Subidas (HSA) e Sistema Anticapotamento (ERM), pack de baterias de 96 células, 400 Volts, 17 kWh c/ Modos VE: Híbrido, Elétrico, eSave, botão de ignição, sem chave, retrovisor eletrocromático com sensor de luminosidade sensores de estacionamento traseiros e dianteiros, sistema 4×4 Command-Trac 2,72:1 & Eixos Dana 30/44, caixa de transferência com sistema de seleção de utilização temporária, diferencial traseiro autoblocante Trac-Lok, sistema de iluminação Full Led, jantes de alumínio de 18” com pneus A/T, ar condicionado automático de duas zonas, estofos em pele 80th Anniversary, revestimento da roda suplente em material rígido, capota rígida de 3 peças da cor da carroçaria