Hyundai i30 N 2.0 TGDi 8DCT Performance Pack. Prazer renovado

Texto: Francisco Cruz
Data: 27 de Agosto, 2021

Modelo que veio estrear a gama de performance da Hyundai, o i30 N recebeu, recentemente, uma atualização, que, com o Performance Pack, além de uma nova transmissão e melhorias técnicas, ganhou ainda mais potência. Soluções que ajudam a fazer da condução deste i30 N, um prazer sempre renovado.

Dado a conhecer, pela primeira vez, em 2017, o i30 N não foi apenas o modelo que inaugurou a sub-marca ‘N’ da Hyundai, mas também o primeiro trabalho do até aí ‘Mr. BMW M’, Albert Biermann, na marca sul-coreana.

Acabado de contratar para criar um departamento semelhante à M Performance, na Hyundai, e que seria responsável por elaborar as versões realmente desportivas e emocionantes, dos modelos sul-coreanos, a verdade é que a estratégia dificilmente poderia ter dado mais certo. Com Biermann a conceber, a partir do anterior i30, um verdadeiro desportivo compacto, que rapidamente se revelou um autêntico tiro na mouche!

Foto: Turbo

De resto e passando à atualização que é também a razão deste ensaio, a demonstração de que, pelo menos exteriormente, pouco havia a fazer para melhorar o i30 N. Com o modelo a, basicamente, adoptar as alterações já aplicadas nas versões mais convencionais – novos faróis em LED, grelha frontal redesenhada e aqui sem moldura, farolins e pára-choques retocados… -, acrescidas de algumas soluções próprias, como é o caso das novas e específicas jantes de 19″ mais leves e resistentes, assim como de um aumento do diâmetro da já conhecida dupla ponteira de escape.

LEIA TAMBÉM
Apurado na eficácia. Renovado Hyundai i30 N já disponível em Portugal

Mantendo o azul característico que, inexplicavelmente, lhe fica tão bem, pouco mais, na verdade, havia a fazer…

INTERIOR

E se, por fora, será necessária alguma atenção para perceber que se trata do “novo” Hyundai i30 N, no habitáculo, o caso pouco muda de figura, com o desportivo sul-coreano a replicar, mais uma vez, as linhas interiores das versões menos… impetuosas, assim como a mesma qualidade de construção, materiais e soluções de funcionalidade. Às quais acresce, ainda assim, um novo ecrã central maior (10,25″) como parte de um também renovado sistema de infoentretenimento (e com funcionalidades específicas para um desportivo), além de uns excelentes bancos desportivos em pele e Alcantara, com pespontos azuis, mas também com a curiosidade de apresentarem o logótipo ‘N’ nas costas… iluminado.

Foto: Turbo

Não deixando de oferecer uma óptima e envolvente posição de condução, graças também ao papel desempenhado por um volante multiregulável de excelente pega e com as já esperadas patilhas azuis – para selecção dos modos condução -, assim como pelo apoio de pé esquerdo em metal, a certeza, ainda, de um fácil acesso à generalidade dos comandos, a par de uma habitabilidade que, em nada, se diferencia do i30 standard – muito espaço para qualquer um dos ocupantes, ainda que, em termos de conforto, as coisas não sejam propriamente iguais. Especialmente, a partir do momento em que o piso se degrada!

As mesmas semelhanças, no que à bagageira diz respeito, com o i30 N a oferecer não somente os mesmos 395 litros da versão standard, como também a possibilidade de aumentar a capacidade até aos 1301 litros, mediante o fácil rebatimento 60:40 das costas dos bancos traseiros. Único senão: a transição entre mala e habitáculo torna-se difícil, devido à presença da barra anti-aproximação que liga as duas laterais por detrás do bancos traseiros.

Ainda assim, por baixo do piso falso e amovível, continua a existir espaço, mesmo com a presença de um pneu sobressalente de emergência…

MECÂNICA

Mas se, em termos estéticos e até mesmo de tecnologias de conforto, o renovado i30 N pouco traz de novo, já no que diz àquilo que, para um condutor, verdadeiramente importa, não faltam novidades; a começar, no motor!

Foto: Turbo

Assim e embora mantendo o mesmo bloco de quatro cilindros e 2,0 litros turbocomprimido, a versão mais potente do i30 N, denominada Performance Pack, viu também aumentada a potência e o binário. No primeiro caso, dos anteriores 275, para 280 cv potência, enquanto, no binário, a subida foi de 39 Nm, para os 392 Nm.

A acompanhar esta alteração e, mais uma vez, apenas para o Performance Pack, a estreia de uma caixa automática de dupla embraiagem e oito velocidades (8DCT), a garantir não somente uma diminuição na aceleração dos 0 aos 100 km/h para os 5,9 segundos (menos 0,2s), a par da mesma velocidade máxima de 250 km/h, mas também três novas funções, inexistentes até aqui: N Grin Shift, N Power Shift e N Track Sense Shift.

Do que se trata? A primeira, N Grin Shift, libera a potência máxima do motor, ainda que por não mais que 20s, quando pressionada a respectiva patilha azul no volante; a segunda, N Power Shift, transmite o máximo do binário às rodas, sempre que a pressão no acelerador ultrapassa os 90%; e, a terceira, N Track Sense Shift, sempre que conclui que as condições da estrada são boas para uma condução mais agressiva, entra automaticamente em acção, escolhendo a relação ideal para o momento e fazendo as passagens também no momento ideal.

Já parte do sistema de modos de condução N Grin, as mais habituais opções Eco, Normal, Sport, N e N Custom, as quais, quando seleccionadas, adoptam configurações específicas de suspensão, resposta do motor e das ajudas de condução, e até mesmo da sonoridade emanada do escape.

Foto: Turbo

Finalmente e também garantido com o Performance Pack, surge um diferencial autoblocante electrónico, suspensão e direcção revistas, discos de travão dianteiros de maiores dimensões (360 mm) e as já referidas jantes de 19″ polegadas revestidas por pneus Pirelli PZero. E que permitem uma redução de 14,4 kg na massa suspensa, mas não nas médias dos consumos, que a marca situa nos 7,1 l/100 km, mas que, nas nossas mãos, nunca conseguíssemos que descesse abaixo dos 10 litros…

TECNOLOGIA

Numa proposta direccionada para a condução, ainda assim, a presença de algumas daquelas que são, hoje em dia, tecnologias obrigatórias para a maioria dos condutores, a começar no carregador de smartphone por indução, na mais recente geração do sistema Hyundai Bluelink, ou até mesmo no emparelhamento através de Apple CarPlay ou Android Auto. Isto, além das entradas AUX e USB, sistema de navegação e Cruise Control com limitador de velocidade e comandos no volante.

Ainda assim e mais importante, por se situar no domínio da segurança, a garantia, na versão Performance Pack, de tecnologias como a ajuda ao arranque em subida, câmara de estacionamento traseira, iluminação em curva, sensores de chuva e de luz, sensores de estacionamento atrás e à frente, e SmartSense. Este último, sinónimo de sistema de manutenção na faixa de rodagem, sistema de monitorização da pressão dos pneus, suspensão controlada electronicamente e travagem autónoma de emergência.

Foto: Turbo

AO VOLANTE

Resumidamente? Cada vez melhor! Já que, num extenso universo de desportivos compactos, o Hyundai i30 N assume-se, cada vez mais, como a proposta que melhor consegue juntar ao arrebatamento e potência, uma facilidade de condução verdadeiramente desarmante. Graças, também, a uma estabilidade, segurança e precisão, que só as propostas bem-nascidas e criadas, conseguem oferecer.

Partindo de uma posição de condução a roçar a perfeição que claramente convida à condução, ao serviço do condutor surge, desde logo, um motor pleno de fulgor e pujança, que, particularmente com os modos desportivos accionados, mais parece querer engolir a estrada que se nos depara à frente, embora sempre com uma estabilidade e segurança tais, que, mesmo com o aproximar da curva mais apertada, basta, tão-só, definirmos a trajectória, para sairmos perfeitos do outro lado. Até porque, mesmo quando se torna necessário fazer uma qualquer correcção a meio do percurso, basta um mero e ligeiro levantar do acelerador, a par de um toque no volante – o qual, ainda assim, podia ser um tudo-nada ainda mais directo… -, para que tudo se resolva.

Foto: Turbo

Ajudado, nestes trajectos mais exigentes, pelo agora ainda mais completo armamento tecnológico que quase nos permite acreditar que poderíamos ter enveredado pela carreira de piloto, desagrado, só mesmo a partir do momento em que o piso se deteriora, ou quando as lombas redutoras de velocidade se tornam demasiado frequentes. Levando, então, a que, até mais do que os amortecedores, seja o corpo dos ocupantes a sofrer com a agressão…

VEREDICTO

Se já era bom, é caso para dizer que, com esta atualização e respectivas melhorias operadas em termos mecânicos e tecnológicos, o Hyundai i30 N está um desportivo cada vez melhor e mais viciante! Juntando aos momentos para serem vividos a só, com o carro, as qualidades familiares e de garantias (são 7 anos de garantia geral sem limite de quilómetros, 7 anos de assistência em viagem e 7 anos de check-ups anuais gratuitos), que sempre manteve.

Assim e mesmo com consumos que chegam a assustar, uma convivência com o mau piso que não se recomenda, além de um preço – desta versão Performance Pack, em particular – que dá que pensar… para nós, seria uma alegria poder mantê-lo na garagem lá de casa!

 

Gostámos Gostámos

Comportamento

Sinónimo de uma conjugação quase perfeita entre verdadeira condução desportiva e facilidade de condução, o atualizado i30 N é um desportivo até ao tutano, mas com a capacidade de oferecer todas as suas sensações, até ao menos experiente dos condutores. E, isso, não é para qualquer um!

Motor

Agora com mais potência e binário, o quatro cilindros 2,0 litros turbo continua a ser uma das razões por que o i30 N se mantém como um dos melhores e mais apetecíveis desportivos compactos do mercado. Opinião, diga-se, que  sem contestação.

Caixa automática 8DCT

Reforço mais recente num conjunto já de qualidade superior, a nova caixa automática de dupla embraiagem e oito velocidades veio, juntamente com as suas novas funções, tornar o resultado final ainda mais arrebatador!

Não Gostámos Não Gostámos

Consumos

Numa proposta em que só apetece andar numa permanente exploração das suas capacidades, os consumos acabam sendo o travão que limita a acção do condutor. Chegando mesmo a assustar!…

Desempenho em mau piso

Se o alcatrão liso e perfeito é o céu na terra para o novo Hyundai i30 N Performance Pack, o piso degradado, ou até mesmo a sucessão de lombas anti-velocidade, rapidamente nos recordam que a perfeição, não existe…

Sistema de ar condicionado

Pode ser apenas uma embirração da nossa parte, mas os comandos do ar condicionado no i30 N, iguais aos do i30 “normal”, mostram-se tão conservadores, que mais parecem vindos do século passado.

 

Hyundai i30 N 2.0 TGDi 8DCT Performance Pack

Preço 49.400 € (com pintura metalizada)
Motor Gasolina, 4 cil., 1.998 cc, inj. directa, turbo, intercooler
Potência 280 cv às 5500-6000 rpm
Binário 392 Nm às 2100-4700 rpm
Transmissão Dianteira, Auto., 8 vel.
Peso 1530 kg
Comp./Larg./Alt. 4,34/1,79/1,44 m
Dist. entre eixos 2,65 m
Mala 395 – 1301 l
Desempenho 5,4 0-100 km/h; 250 km/h Vel. Máx.
Consumo 8,4 (10,1*) l/100 km
Emissões CO2 191 g/Km

* Medições Turbo

Equipamento
Série: Luzes de circulação diurna em LED, Pack Full LED ( Faróis dianteiros + Faróis traseiros em LED), vidros privativos (janelas traseiras + óculo traseiro), bancos em pele e tecido tipo Alcantara, espelho interior electrocromático (escurecimento automático), volante em pele perfurada ajustável em altura e profundidade, pedais em alumínio, ar condicionado automático (2 zonas) com função de desembaciamento automático, carregador de smartphone sem fios (por indução), sistema de navegação com ecrã táctil de 8″ (Android Auto/Apple CarPlay) com RDS e Cartão SD, Cruise Control com limitador de velocidade e comandos no volante, N Corner Carving differential (E-LSD), REV matching, sistema de controlo N Grin (5 modos de condução), ABS, controlo de estabilidade, ajuda ao arranque em subida (HAC), câmara de estacionamento traseira com linhas auxiliares dinâmicas, sensores de estacionamento (dianteiros/traseiros) e Hyundai SmartSense.