Citroën My Ami Pop. Dificilmente passa despercebido

Texto: Carlos Moura
Data: 10 de Dezembro, 2021

Com um design original e que dificilmente passa despercebido, o Citroën Ami é um quadriciclo elétrico de dois lugares vocacionado para utilização urbana. O motor elétrico de 6 kW permite atingir uma velocidade máxima de 45 km/h e a bateria oferece uma autonomia de 75 km. Sem luxos ou requintes, mas com um preço convidativo, será que vale mesmo a pena?   

“Olha o Ami!”; “Que giro!”. Estes eram alguns dos comentários feitos por algumas pessoas à passagem do novo Citroën Ami, um veículo ultra-compacto de dois lugares que capta as atenções e dificilmente consegue passar despercebido.

Apesar de parecer um automóvel e de ter quatro rodas, o Citroën Ami foi homologado como um quadriciclo ligeiro (tipo “L6e”). Isso significa que recebe uma matrícula amarela, pelo que não pode circular nas autoestradas nem nos IC. Por outro lado, pode ser conduzido por maiores de 16 anos, com carta da categoria “B1”.

O design disruptor é indiscutivelmente uma das principais caraterísticas do ultra-compacto Ami, destacando-se a frente expressiva marcada pela identidade Citroën, com faróis e indicadores de mudança de direção alojados numa assinatura de dois andares.

A ampla superfície vidrada repartida entre o pára-brisas, tejadilho panorâmico, janelas laterais, óculo traseiro, as portas com abertura oposta e as óticas traseiras são outros elementos que completam o estilo inédito deste modelo.

Para uma personalização mais completa, a Citroën propõe dois pacotes, que incluem apontamentos coloridos no embelezadores das rodas, nos autocolantes das janelas laterais traseiras ou na cápsula na zona inferior das portas.

A versão ensaiada corresponde ao nível My Ami Pop que recebe uma personalização em tom laranja, a que se junta um spoiler, um aileron preto, embelezadores de faróis e reforço do pára-choques traseiro e dianteiro. A instalação dos packs de personalização é efetuada pelos profissionais da marca, realizando-se antes da entrega da viatura.

INTERIOR

Apesar do comprimento exterior de apenas 2,41 metros, da largura de 1,39 metros e da altura de 1,52 metros, o Citroën Ami consegue disponibilizar um generoso espaço interior que não só permite transportar duas pessoas lado a lado com uma estatura de 1,80 metros como ainda inclui um espaço de bagagem à frente do passageiro. Esta solução veio compensar a ausência de qualquer tipo de bagageira devido à sua carroçaria em policarbonato.

O conforto não será propriamente um dos argumentos do Citroën, mas também não está (nem pode estar) vocacionado para longos trajetos. Os bancos são do mais simples que se possam imaginar. Além de não serem cómodos, só o condutor pode regular longitudinalmente o seu assento.

LEIA TAMBÉM
Citroën Ami é o elétrico do povo por 19.99€/mês

O painel de bordo pouco mais oferece do que o mínimo essencial, enquanto os plásticos utilizados são rijos. A sua simplicidade é tão grande que dispensa inúmeros elementos como o ar condicionado, substituído por um ventilador. Os manípulos de abertura e os puxadores das portas também são peculiares: tiras em lona.

Apesar da construção ter sido reduzida à expressão mínima, isso não impede que o seu aspeto possa ser personalizado como se fosse um “Lego”. Na verdade, a Citröen disponibiliza vários elementos decorativos funcionais como uma rede de separação central, redes nas portas, compartimento de arrumação na parte superior do painel de bordo, ganchos para sacos, suporte para smartphone. À semelhança do exterior, o interior da versão My Ami Pop também apresenta apontamentos em tom laranja.

MECÂNICA

Montado à frente, juntamente com a transmissão de relação única, o motor elétrico da Valeo utilizado pelo Ami disponibilização uma potência de 6 kW (8,2 cv), sendo alimentado por uma bateria de iões de lítio de 5,5 kWh. Esta última está colocada horizontalmente sob o painel de bordo para maximizar o espaço no habitáculo.

A bateria recupera a sua capacidade total em apenas três horas numa tomada elétrica doméstica de 220 V, graças ao cabo existente a bordo e que engenhosamente guardado ao nível da entrada da porta do lado do passageiro. O Ami também pode ser carregado num posto da rede pública Mobi.e, mas para isso é necessário utilizar um adaptador que é um acessório pago à parte.

Em termos de prestações, o quadriciclo elétrico da Citroën oferece uma autonomia de 75 quilómetros e uma velocidade máxima de 45 km/h. Graças a um peso em vazio, incluindo bateria, de 471 quilos, o Ami consegue acelerar dos 0 aos 45 km/h em dez segundos.

TECNOLOGIA

O conceito de simplicidade aplicado ao Citroën Ami também se estende ao capítulo tecnológico que pouco mais oferece do que um pequeno painel de instrumentos digital, com informação relativa ao nível de carga da bateria, autonomia, quilometragem, velocidade instantânea e o modo de condução selecionado.

O sistema de navegação e de audio do Ami é assegurado pelo próprio smartphone do utilizador, estando, no entanto, disponível um suporte próprio para o equipamento.

O Ami possui ainda um compartimento denominado [email protected] (adaptador para Bluetooth) que, ligado à porta USB, permite conectar o smartphone à “app” My Citroën e apresentar todas as informações essenciais, incluindo a autonomia, estado da carga, tempo restante para carga, quilometragem, marcação de serviços de após-venda.

A redução do equipamento ao estritamente essencial também se aplica na área da segurança, já que o Ami não tem ABS, airbag ou outras ajudas normais. Na verdade, também não precisa.

AO VOLANTE

Para iniciar a márcha do Ami, o condutor tem de girar a chave no canhão da ignição para ligar o veículo e depois voltar a “dar” à chave para que possa arrancar. Seguidamente há que selecionar um dos botões que controlam a transmissão, localizados no lado esquerdo do condutor, libertar o travão de estacionamento (mecânico, claro) e pressionar o pedal do acelerador ou do travão.

O Ami oferece aceleração, mas não muita nem durante muito tempo. A velocidade máxima de 45 km/h é aceitável para deslocações em hora de ponta e nos arruamentos onde o limite de 50 km/h é normal, permitindo ao condutor defender-se contra os radares que têm nascido como cogumelos em cidades como Lisboa.

Nas vias onde é permitido uma velocidade máxima superior, o Ami é ultrapassado por praticamente todas as viaturas em circulação. Por outro lado, a autonomia entre carregamentos é mais que do que suficiente para a utilização média diária em ambiente urbano.

Será de referir que os travões do Ami funcionam, embora seja suficiente levantar o pé do acelerador para perder velocidade e chegar mesmo a parar. As suspensões também estão lá, mas têm bastante dificuldade em digerir as irregularidades do piso, penalizando o conforto a bordo e as costas dos ocupantes. Por outro lado e ao contrário do que seria de esperar de um veículo elétrico, o ruído do transmitido ao habitáculo é bastante elevado, chegando a ser incomodativo.

Graças a um diâmetro de viragem de apenas 7,2 metros, o Ami movimenta-se muito bem em espaços pequenos, embora a ausência da direção assistida dificulte algumas manobras como o estacionamento.   

VEREDICTO

O Citroën My Ami Pop assume-se como uma opção de mobilidade para os maiores de 16 anos com título de condução B1 e para curtas deslocações em ambiente urbano. As suas dimensões compactas, com um comprimento de apenas 2,41 metros permitem estacionar em espaços onde mais nenhum veículo cabe.

O interior é básico, o equipamento básico, a autonomia sofrível, mas por um preço de venda ao público de 8250 euros não se pode pedir muito mais. Quem o adquirir, saberá muito bem o que estará a comprar para assegurar as suas necessidades de deslocação. Despercebido seguramente que não passa.

 

Gostámos Gostámos

Preço

O preço de aquisição é um dos fortes argumentos do Citroën Ami. A sua aquisição, porém, é feita exclusivamente online ou através de uma grande rede de distribuição ao grande público. A entrega pode ser no domicílio ou num concessionário.

Design original

Um design irreverente, original e disruptor é uma das caraterísticas do Citroën Ami, que combina dimensões compactas com soluções engenhosas para satisfazer as necessidades de mobilidade em ambiente urbano dos seus utilizadores.

Bagageira

Como não existe espaço para bagageira na traseira, a equipa de design da Citroën optou por criar um nicho de arrumação junto aos pés do passageiro, com capacidade para acomodar uma mala de viagem de cabina. Verdadeiramente engenhoso!

Não Gostámos Não Gostámos

Tejadilho panorâmico

O Ami vem equipado com um tejadilho panorâmico de série, uma solução interessante para os países do norte da Europa, geralmente cobertos de nuvens. Em Portugal, o excesso de luminosidade e a ausência de párassol chegam a ser incomodativos.

Equipamento

Os materiais utilizados a bordo são duros, embora algumas soluções de arrumação sejam originais, e o nível de equipamento resume-se verdadeiramente ao essencial. Requinte e sofisticação não existe no Ami, mas essa também não é essa a sua missão.

Conforto

Os bancos são rijos, a suspensão é dura e o ruído oriundo do motor elevado, penalizando o conforto a bordo. A ausência de direção assistida também dificulta algumas manobras como o estacionamento, não obstante as dimensões compactas do veículo.


Citroën My Ami Pop

Preço 8.250

Motor Elétrico
Potência 6 kW (8,2 cv)
Binário ND
Transmissão Auto, 1 vel.
Peso 471 kg
Comp./Larg./Alt. 2,41/1,39/1,53 m
Dist. entre eixos ND
Mala 63 l (frente do passageiro)
Desempenho 10,0 0-45 km/h; 45 km/h Vel. Máx.
Consumo ND
Emissões CO2 0 g/Km
Bateria/capacidade Iões de lítio, 5,5 kWh
Tempos de carga 3h00 (220V)

Equipamento
Série: Tejadilho vidro panorâmico, entrada USB, cabo carregamento, embelezadores de rodas e dos faróis traseiros, aileron, autocolantes na parte inferior das portas e no vidro de custódia, redes de arrumação, suporte para mala no lado do passageiro, caixas de arrumação para o painel de bordo, suporte de apoio para smartphone, caixa conectividade [email protected]