Citroën ë-Berlingo Multispace M Shine Pack XTR. Multiusos e em versão elétrica

Texto: Carlos Moura
Data: 12 de Janeiro, 2022

Com uma autonomia de até 280 km, o ë-Berlingo é o mais recente reforço da gama elétrica da Citroën, que, na versão de passageiros, se assume como um verdadeiro multiusos para as famílias que necessitam de espaço para as atividades de lazer. A versão mais equipada (e cara) é a Shine Pack com ambiente XTR. A partir de agora esta será a única motorização disponível no Berlingo de passageiros porque as versões térmicas deixaram de ser comercializadas.

Em alguns mercados europeus, as versões de passageiros, de cinco ou sete lugares, dos comerciais ligeiros suscitam bastante interesse junto dos consumidores pelo seu compromisso entre funcionalidade, versatilidade e espaço de bagageira. Espanha ou França são casos paradigmáticos, não só porque a fiscalidade é diferente, mas, sobretudo, porque a decisão se baseia em critérios mais racionais do que propriamente emocionais.

Em Portugal, onde nem sempre a razão fala mais alto do que o coração, as vendas deste tipo de viaturas multisusos são relativamente marginais porque as suas “origens” comerciais não transmitem a imagem pretendida de requinte e sofisticação, não obstante a evolução tecnológica dessas viaturas que cada vez mais se aproximam dos ligeiros de passageiros.

A sofisticação tecnológica está a ser acompanhada pela eletrificação e quase todas as marcas têm, ou vão ter, soluções elétricas para este segmento. Uma das mais propostas mais recentes a chegar ao mercado nacional é o Citroën e-Berlingo, que está disponível em dois comprimentos de carroçaria (M e XL), três níveis de equipamento (Feel, Shine, Shine Pack), mas sempre associadas a uma motorização elétrica de 100 kW (136 cv) e a uma bateria de iões de lítio com capacidade de 50 kWh.

Exteriormente, o ë-Berlingo poucas diferenças apresenta relativamente às versões de combustão. Exceção feita ao monograma “ë”, colocado na nova grelha “double chevron” e antes da denominação do modelo no portão traseiro ou o “Azul Anodizado” presente nos pára-choques e nos airbumps laterais. A tomada de carregamento está localizada na traseira onde habitualmente se situa o bocal de abastecimento de combustível, mas essa solução está longe de ser prático quando se pretende carregar num posto rápido porque obriga a fazer várias manobras.

INTERIOR

Com um comprimento exterior de 4,40 metros, uma largura de 1,85 metros e uma altura de 1,88 metros, a versão de chassis M do Citroën ë-Berlingo possui um habitáculo que oferece um amplo espaço interior, designadamente ao nível da largura dos ombros e da altura, assumido-se como uma alternativa mais racional face a station-wagons ou SUV de maiores dimensões, para quem necessita de versatilidade e funcionalidade.

O acesso assegurado por duas portas laterais deslizantes, dotadas de sistema de abertura fácil e vidros elétricos (solução pouco habitual neste tipo de viaturas). O habitáculo oferece cinco lugares individuais, incluindo dois à frente e três atrás. A segunda fila proporciona um espaço generoso para os joelhos dos passageiros.

LEIA TAMBÉM
Lembra-se do Citroën DS? Regressou… e com propulsão elétrica!

Os lugares dianteiros também são bastante espaçosos, o que se deve à ausência do travão de estacionamento mecânico e do seletor da transmissão, substituídos por um travão elétrico e por um ë-toggle na consola central.

Trabalhado na horizontalidade para garantir a disponibilização de vários lugares e arrumação e o acesso direto aos comandos do travão de estacionamento elétrico, do botão “Start” ou do ar condicionado, o painel de bordo não esconde as origens “comerciais” do Berlingo devido aos plásticos utilizados.

Todavia, o nível de equipamento da unidade ensaiada Shine Pack com ambiente XTR procura contornar esse constrangimento com a adoção de  revestimento Wild Green, motivo que também está presente nas costas dos bancos, assim como uma banda colorida vermelha. Uma alça clara à direita contrasta com a decoração verde do painel de bordo. O tecto panorâmico, por sua vez, assegura uma agradável luminosidade a bordo.

A versão Shine Pack XTR conta com um painel de instrumentos digital com 10”, que disponibiliza informações relacionadas com as ajudas à condução ou o fluxo de energia, enquanto na parte superior da consola central está presente um ecrã tátil de oito polegadas.

MECÂNICA

À semelhança de outros modelos elétricos do grupo Stellantis, o Citroën ë-Berlingo vem equipado com uma cadeia de tração constituída por um motor elétrico de 100 kW (136 cv), uma caixa de velocidades com uma única relação e uma bateria com uma capacidade de 50 kWh.

O motor elétrico assegura a tração em função do modo de condução selecionado – Normal, Eco e Power – ativado através do seletor associado ao comando específico ë-Toggle, localizado na consola central.

A primeira opção foi concebida para proporcionar o melhor compromisso entre economia e prestações dinâmicas, disponibilizando uma potência de 80 kW e um binário de 210 Nm. O modo Eco privilegia a otimização da autonomia, limitando a 60 kW e o binário a 180 Nm, diminuindo o desempenho do aquecimento e do ar condicionado. Por seu lado, o modo Sport dá acesso a todas as aptidões do sistema de tração elétrico, designadamente a potência máxima de 100 kW e o binário de 260 Nm, e conta com uma afinação para permitir aumentar as sensações de dinamismo ao volante.

A partir do seletor de condução localizado na consola central é igualmente possível aceder aos dois modos de travagem regenerativa. O modo D (Drive) proporciona um comportamento semelhante a um veículo com motor térmico, enquanto o modo B (Brake) assegura um elevado nível de regeneração sempre que se levanta o pé do acelerador.

De acordo com o ciclo WLTP, o Citroën ë-Berlingo consegue percorrer até 280 quilómetros entre carregamentos. A bateria pode recuperar a sua capacidade de três formas diferentes: com recurso a uma tomada doméstica de 220V, demorando a operação até 15 horas; numa wallbox de 3,7 kW a 22 kW, sendo necessárias 7h30m numa wallbox de 7,4 kW com ligação monofásica ou cinco horas numa wallbox de 11 kW com ligação trifásica; a terceira opção consiste num posto público até 100 kW, sendo possível recuperar até 80% da capacidade em 30 minutos.

Em termos de prestações e atendendo a um peso em vazio de 1834 kg, o Citroën ë-Berlingo demora 11,7 segundos a acelerar dos 0 aos 100 km/h, enquanto a velocidade máxima está limitada a 135 km/h.

TECNOLOGIA

Muitas das tecnologias introduzidas pelas marcas da Stellantis nos seus modelos também estão presentes no Citroën ë-Berlingo. O ecrã tátil de oito polegadas não é propriamente desconhecido, mas além das funções convencionais – Rádio, Navegação, ligação smartphone – também conta com um menú específico energia, que dá acesso às especificações elétricas do veículo, designadamente o fluxo de energia, apresentando, em tempo real, o funcionamento da cadeia de tração com o modo de condução ativo, o motor elétrico e o nível de carga da bateria, incluindo as estatísticas de consumo, ou a ativação do carregamento diferido ou do pré-condicionamento térmico.

A unidade ensaiada está igualmente equipada com um painel de instrumentos digital de 10 polegadas, que mostra o nível de carga através de um indicador de percentagem e de um outro, graduado, com iluminação. As configurações de ecrã podem ser personalizadas pelo condutor através do volante multifunções: navegação, informação sobre o fluxo de energia ou ajudas à condução.

Para facilitar a condução, o ë-Berlingo Multispace conta igualmente, em opção, com um head-up display que fornece informações relativas à velocidade instantânea, aos limites de velocidade ou assistente de manutenção da faixa de rodagem, entre outros.    

No nível de equipamento Shine Pack XTR, o ë-Berlingo Multispace conta com várias tecnologias de assistência à condução. A dotação de série compreende a ajuda ao estacionamento elétrico, o Pack Safety Plus (informação dos limites de velocidade e reconhecimento sinais trânsito), Alerta de Atenção do Condutor, Pack Visibilidade (luzes e limpa-brisas automáticos), assistente de máximos, auxiliar de arranque em subida.

A unidade ensaiada conta com outros equipamentos que integram a lista de opcionais como a câmara de márcha-atrás com Top Rear Vision, ajuda ao estacionamento dianteiro, traseiro e lateral, o Active Safety Brake ou o alerta ativo de transposição involuntária da faixa.

AO VOLANTE

O condutor beneficia de uma posição de condução relativamente elevada que assegura uma boa visibilidade da estrada e das condições de circulação. A melhor posição atrás do volante não é difícil de encontrar, graças à regulação do assento em altura e inclinação.

Em termos dinâmicos, o Citroën ë-Berlingo Multispace oferece um comportamento agradável, típico de um veículo elétrico, designadamente no arranque, graças à disponibilidade imediata de binário. A aceleração é interessante, mas está longe de ser fulgurante devido a um peso em vazio superior a 1,8 toneladas.

O ë-Berlingo não denota dificuldades para aumentar o ritmo, fazendo-o com suavidade. Um comando na consola central permite variar o modo de condução. Com o “Eco”,  que limita a potência e algumas das funcionalidades, a entrega é mais linear, mas é suficiente para a maioria das ocasiões.

A bateria de iões de lítio de 50 kWh proporciona uma autonomia de até 280 quilómetros, que até é realista porque a regeneração de energia tem uma influência favorável neste capítulo, sendo mesmo possível ver, nalgumas ocasiões, o valor a aumentar. O consumo médio durante o ensaio foi de 16,8 kWh/100 km, abaixo dos 19,4 kWh anunciados pela marca em ciclo WLTP. Para preço de 0,20 kWh (sem taxas nem taxinhas), isto representa um gasto de 3,36 euros por cada cem quilómetros percorridos.

A suspensão, por sua vez, absorve com eficácia as irregularidades do piso, enquanto a colocação da bateria sob o piso entre os eixos permite baixar o centro de gravidade e ajuda a contribuir para um comportamento previsível em curva.

VEREDICTO

Para quem necessita de um veículo elétrico espaçoso, versátil, funcional e confortável, que tanto pode transportar uma família ou equipamentos de lazer como bicicletas ou pranchas de surf, o Citroën ë-Berlingo Multispace M está preparado para responder cabalmente a todas essas exigências.

Menos simpático é o preço de aquisição, já que o nível de equipamento Shine Pack com ambiente XTR está disponível a partir de 37.912 euros e com os opcionais presentes na unidade ensaiada o valor sobe para os 43.442 euros. De qualquer maneira, alternativa a combustão deixou de ser opção no Berlingo de passageiros porque a partir de agora o cliente poderá escolher qualquer tipo de motorização neste modelo, desde que seja…elétrica!

 

Gostámos Gostámos

Tecto panorâmico

O grande tecto panorâmico permite ao habitáculo ser inundado por luz natural, contribuindo para um ambiente agradável a bordo. Se for necessário é possível fechá-lo com recurso a uma cortina de acionamento elétrico.

Óculo traseiro

Para facilitar o acesso à bagageira para colocar ou retirar objetos de pequenas dimensões ou em locais mais apertados, o ë-Belingo possui um prático óculo traseiro e um mecanismo de abertura independente localizado no portão basculante.

Bagageira

A bagageira tem 775 litros de capacidade com os bancos traseiros em posição normal. Em caso de necessidade podem ser rebatidos individualmente, assim como o assento do passageiro da frente, obtendo-se um comprimento de carga de 2,70 metros.

Não Gostámos Não Gostámos

Preço

O acesso à mobilidade elétrica está longe de ser propriamente acessível. Exemplo disso é a unidade ensaiada que com todos os opcionais tem um preço de venda ao público de 43.411 euros. Convenhamos que para um Berlingo não é barato…

Materiais

Onde o ë-Berlingo Multispace não consegue esconder as suas origens de veículo comercial é nos materiais utilizados a bordo, que são duros, mas resistentes. O revestimento Wild Green procura disfarçar e dar um toque mais sofisticado.

Tomada carregamento

Em termos de engenharia faz sentido colocar a tomada de carregamento no local do bocal de enchimento do combustível. Essa solução, porém, está longe de ser prática nos carregamentos rápidos porque obriga a fazer manobras para chegar a uma mangueira demasiado curta.


Citroën ë-Berlingo Multispace M Shine Pack XTR

Preço 43.441 € (com opcionais)

Motor Elétrico
Potência 100 kW (136 cv)
Binário 260 Nm
Transmissão Auto, 1 vel.
Bateria / Autonomia 50,0 kWh / 280 km
Peso 1834 kg
Comp./Larg./Alt. 4,44/1,85/1,88 m
Dist. entre eixos 2,79 m
Mala 775 l – 2126 l
Desempenho 11,7 0-100 km/h; 135 km/h Vel. Máx.
Autonomia 280 km
Tempo de carga 30 minutos (80%) a 15 horas
Consumo 19,4 (16,8*) kWh/100 km
Emissões CO2 0 g/Km

* – Medições Turbo

Equipamento
Série: Airbags frontais e laterais, duas portas laterais, ajuda ao estacionamento traseiro, travão estacionamento elétrico, Pack Safety Plus (reconhecimento sinais trânsito e assistente inteligente de velocidade), retrovisores elétricos com desembaciamento, Driver Attention Alert, limitador e regulador de velocidade, assistente de máximos, mesas rebatíveis nas costas dos bancos dianteiros, ecrã tátil de 8” com DAB, kit anti-furo, pára-choques na cor da carroçaria e LED de iluminação diurna, faróis nevoeiro, carregador de bordo de 7 kW.